Restaurante Xapuri

NOTA GERAL: 4.4/5

 www.restaurantexapuri.com.br
Rua Mandacarú, 260 – Pampulha – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 3496-6198

Localização e Ambiente: 5/5

O ambiente é muito legal, elaborado e divertido, parecendo uma grande casa da roça. A decoração é bem pensada, e busca um estilo rústico mineiro, com bancadas simples de madeira, bancos longos (a falta de encosto nas mesas de espera pode incomodar depois de um tempo), e estruturas de galpões cobertos. Tudo é voltado para passar esse sentimento aos clientes, se mantendo fiel desde os banheiros até o fogão à lenha. As refeições são servidas em grandes panelas de aço ou cerâmica, que são levadas a mesa com conchas de metal, e acompanham mini-caldeirõezinhos com as guarnições. A vontade de levar um dos simpáticos caldeirãozinhos pra casa é grande, mas dá pra resistir. A localização é excelente, porém o problema para estacionar é uma constante. No final das contas, nada que caminhar um quarteirão não resolva.

Atendimento: 4/5

O restaurante estava cheio, e bem cheio. Para otimizar o atendimento, e mascarar os minutos de uma forma psicologicamente mais agradável, o Xapuri tem uma sessão ampla de mesas para a espera. Dessa forma, você pode pedir petiscos, bebidas e entradas enquanto aguarda ser chamado para de fato adentrar o restaurante. Em ambas as partes do ambiente, os pratos são bem rápidos (considerando o enorme movimento, a agilidade realmente foi destaque). Outra vantagem é a liberdade na escolha de seus garçons, de forma que você pode fazer seu pedido para qualquer um que passar uniformizado, sem causar desconforto, burocracia, ou disputa de 10%. Já que os garçons vivem perambulando pelo restaurante, é fácil dar um aceno e ser atendido prontamente.

Gastronomia: 4.4/5

Comida mineira, mineira, e é isso aí. No cardápio constam os pratos mais tradicionais, como as famosas abóboras recheadas, buffet de sobremeses típicas e também pratos que devem ser encomendados. Veja no site as opções disponíveis e peça com 48h de antecedência para pratos especiais e bolos de aniversário.

Entradas:

Pastel de angu com carne e catupiry: 3/5

A famosa polenta não decepcionou. A massa estava bastante saborosa, porém o recheio estava um pouco molhado (e engordurado) demais. A carne era bem gostosa, e combina com o catupiry – que ficou só de um lado do pastelzinho, reduzindo a região de prazer. O petisco estava bastante regado na gordura, dando uma sensação pouco agradável na boca depois de engolido.

Torresmo à pururuca: 5/5

AAAh, torresmo. A comida mineira normalmente implora pela porção de milhões de calorias que tanto apetece os sedentos por carne. O torresmo estava bem quente, crocante, macio e ideal. Salgadinho e parecendo chips (no bom sentido, não no sentido murcho e fedido que alguns chips podem carregar) o torresmo do Xapuri não decepciona. Muito, mas muito bom e com muito gosto sem ser em nada –  pasmem – empapado na gordura.

Bolinho de mandioca com muçarela: 5/5

Por melhor que sejam os pratos do Xapuri e por mais bem servidos que eles se apresentem, este é definitivamente um pedido que você tem que fazer. Qualquer visita à casa será mais feliz se for iniciada com a porção de bolinhos de aipim recheados. No ponto ideal, sem estar branco e nem queimado, com a massa extremamente macia e sequinha, dotada de um leve apimentado, fomos completamente surpreendidos. Sua muçarela estava bem derretida, e vinha puxada pelos dentes a cada mordida, um amor de entrada <3.

Pratos Principais:

Frango Preguento do Bento: 5/5

Pedimos a opção de meia porção, meia porção talvez para dinossauros, já que é bem possível que ela alimente uma família de seres humanos. O frango estava bem feito, limpo, com gosto de frango de qualidade. É a tipica comida mineira elevada a perfeição. O molho combinava com tudo que acompanhava o prato e dava vontade de lamber a panela. ❤

Filet Mignon à Campanha: 4/5 

Nossa, de comer de joelhos. O filet com banana caramelada, cenoura, batatas coradas, lingüiça apimentada e brócolis veio servido numa chapa que o manteve quente durante bastante tempo. Nas panelinhas mais simpáticas do Brasil, vieram o arroz e feijão tropeiro (que não fazia parte do prato mas incluimos nele). O filet estava soberbo e a batata saltava a boca dissolvendo ao menor contato, sem perder o elevado sabor. Tudo estava combinando muito bem, até que foi servida a farofa de ovos, completamente deslocada, que deixou muito à desejar. O feijão tropeiro (incluido por nós) era muito gostoso, a linguiça apimentada fazia contraste com o feijão e o ovo com um eventual crocante de torresmo, numa sinergia que assustava e fazia o coração de qualquer mineiro parar. O ponto do filet estava quase ideal, bem passado por fora, macio e com uma parte mais (mas não o bastante) avermelhada no miolo. As batatas vieram coradas e não esturricadas, e a banana caramelada era o paradoxo adocicado que faltava. Um prato incrivel se analisado sem a farofa e com o tropeiro.

Custo Beneficio: 4/5

A alta qualidade na escolha e no preparo dos ingredientes é notável. Portanto, também foi notada ao estabelecer o preço dos pratos. Os petiscos são bem inflacionados se comparados com os demais, especialmente na quantidade. Os pratos principais também têm um preço salgado, porém são muito bem servidos bastando um prato para um grupo de três ou quatro. A boa localização, ambiente e gastronomia justificam o valor agregado do Xapuri.

Dicas:

Um bom lugar se você está fazendo um passeio turístico ou trazendo alguém de fora da cidade, do estado ou do país. Primeiro pela localização num bairro que é cheio de programas de lazer (zoológico, parque ecológico, passeio na lagoa, etc), e segundo pelo enorme número de cartões postais que se encontram na região da Pampulha (entre eles, a famosa igrejinha do Niemeyer e o jardim de Burle Marx). Além disso, é uma grande demonstração da cultura mineira, tanto no ambiente, quanto na gastronomia.

Experimente os bolinhos de mandioca recheados e peça o feijão tropeiro! Seja ele como um extra ou substituindo algum acompanhamento já existente. Tenha sempre em mente que as porções são bem servidas. Quando falam “individual” leia “para um casal faminto”. Quando falam “para duas pessoas” leia “para sua família feliz”.

post and review by Eduardo Boaventura & Path Tôrres
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s