La Pasta Gialla – RW 2011, 3ª edição


Excepcionalmente nos próximos dias, entre 22 de agosto e 04 de setembro, a equipe do ONDEcomo cobrirá a Restaurant Week! Confiram então o site regularmente, teremos um diferente estilo de atualização sempre que visitarmos algum estabelecimento da week. Caso você deseje que visitemos algum restaurante específico do festival, deixe seu recado ou mande um e-mail para nós, e não se esqueça de falar qual menu (noturno ou diurno) você gostaria que fosse avaliado. Nessa edição, os valores para o menu degustação com entrada, prato principal e sobremesa são R$29,90 no almoço e R$39,90 no jantar.

NOTA GERAL: 3.2/5

Menu ALMOÇO

Sobre o La Pasta Gialla:

Com entrada simples e ambiente simpático, o La Pasta Gialla não é um restaurante que busca clientes pelo seu fascinante conceito ou atendimento excepcional. Na verdade, se fosse para definir o restaurante com uma única palavra, sem sombra de dúvidas a escolhida seria “padrão”. Sim, tudo lá grita à padrão; paredes em amarelo padrão, quadros específicos, ambiente definido, atendimento, menu, propagandas, promoções. A sensação que se tem ao entrar no restaurante é a mesma passada por franquias famosas como Mc Donald’s ou Subway: tudo vai estar dentro do padrão.

Gastronomia:

O escolhido para a degustação foi o menu de almoço do festival. Os pratos do La Pasta Gialla são muito bem servidos e não combinavam muito bem entre si. A impressão é simples, eles estão apenas definidos numa ordem temporal de entradas, pratos principais e sobremesas sem nenhuma preocupação de criar uma sensação especial à medida que a degustação evolui. Existiu também uma pequena demora pra chegar o primeiro e também os demais pratos servidos no menu degustação. Ainda assim, nada muito alarmante ou que gerasse algum real desconforto.

Entradas:

Arancine de abóbora recheado com carne seca e saladinha de rúcula ao azeite de tomate: 4/5

O prato é simples e ideal para um menu degustação, já que é rápido de ser feito e possível de se deixar pré-preparado. Arancine, para aqueles que como eu não sabiam do significado da palavra, são simples bolinhos de arroz. Os bolinhos estavam levemente temperados com abóbora, mantendo um suave sabor que quando diluído no gosto forte do arroz de risoto o diferencia maravilhosamente de um bolinho de arroz comum. Seu recheio de carne seca era bem pontuado e em pouca quantidade, dando força ao gosto do bolinho, que estava muito bem frito. O azeite (de tomate?) que me parecia tradicional, junto com as poucas folhas de rúcula (saladinha?) que enfeitavam o prato combinavam e casavam perfeitamente com o bolinho, gerando uma combinação muito agradável ao paladar.

Salada de folhas com berinjela e abobrinha parmigiana: 2/5

O prato era uma fatia de abóbora e outra de berinjela, dispostas uma sobre a outra com um amontoado de  molho de tomate e queijo no topo, acompanhado de uma saladinha básica regada no azeite. Definitivamente o molho de tomate estava uma delícia, bem temperado e com a textura perfeita. A infelicidade fica por conta do grande número de ingredientes diferentemente preparados, alguns cozidos, alguns crus, e outros até mesmo gelados gerando uma gama de texturas (fibroso, duro, aveludado, crocante, mole) e temperaturas (morno, frio, gelado) que não se completavam nem buscavam um propósito, desagradando suficientemente ao paladar.

Pratos principais:

Tagliatelle com ragú de peixe e vôngole ao pomodoro brasílico: 3/5

Como provavelmente já notaram, sou particularmente chato e exigente com o ponto das coisas, especialmente das massas e risotos. E aqui não foi exceção. Portanto quando digo que o tagliatelle da La Pasta Gialla estava no ponto PERFEITO, podem acreditar. Nem mole demais nem deixando de ter a textura ideal, ele se manteve com o sabor impecável de massa sem tirar o prazer de se morder algo. Infelizmente, o tanto que a massa me encantou, o molho conseguiu decepcionar. Seu gosto era bem enjoativo e pouquíssimo criativo, além de ralo, diferente do servido com a entrada. Felizmente, quando combinado com o queijo ralado (na hora) servido separadamente, o sabor do conjunto se torna satisfatoriamente melhor.

Escalope suíno com fonduta de queijo serra da canastra e gnocchi de mandioquinha na manteiga de ervas: 4/5

O gnocchi estava excelente, e seu ponto foi novamente um destaque, confirmando a qualidade das massas artesanais servidas pela casa. Minhas reclamações portanto são apenas para o excesso de manteiga de ervas que temperava a massa e para a elevada fibrosidade da carne. Ainda assim sua combinação de ingredientes estava ideal, tanto em volume quanto em sabores. A carne presente e levemente salgada, combinada com o gnocchi mais neutro e macio, unidos e dosados na fonduta (que acredito levar também gorgonzola) criavam uma combinação que era sem dúvidas, equilibrada e deliciosa.

Sobremesa:

Frutas flambadas na cachaça com sorvete de rapadura: 5/5

Definitivamente o prato mais feio servido. Visualmente sem solução, o conjunto simples e constantemente utilizado de frutas com sorvete realmente teve seu destaque devido à cachaça maravilhosamente bem pontuada. Servido com as frutas ainda quentes, o sorvete mais parecia uma espuma de sabor maravilhoso do que realmente uma bola de sorvete. A sobremesa estava muito saborosa e só pecava por não se aproveitar da oportunidade de utilizar pedaços de rapadura polvilhados sobre o conjunto, o que forneceria um crocante e um sabor mais disformemente adocicado ao prato.

Crostine de chocolate com ricota temperada e gratinada: 1/5

O crostine não passava de um Cookie Balducco duro e queimado. A sobremesa, definitivamente melhor apresentada que sua irmã, não tinha a mais feliz das combinações. O queijo disposto sobre o cookie era forte e excessivamente salgado, incomum nas ricotas, e não combinava com o resto dos ingredientes, que também não eram tão doces. Sua calda de caramelo estava uma delícia, tinha sabor de queimado, mas se mantinha no ponto em que o sabor completava maravilhosamente bem o adocicado tradicional, dando apenas aquele gostinho de quero mais. E quero mais mesmo, afinal a calda não passava de uma decoração do infeliz conjunto.

Dicas:

Sem sombra de dúvidas vale a pena conferir o menu de almoço do La Pasta Gialla, especialmente se você nunca visitou a casa. Caso opte pela opção do almoço, recomendamos que escolham entre as opções o Arancine, o Escalope e as Frutas. Porque? Simplesmente porque são opções realmente mais elaboradas, criativas e melhor executadas que as demais, além de mostrar melhor a verdadeira capacidade da casa. É claro que você é livre para montar o seu próprio menu, aqui ficam apenas dicas da nossa experiência com os pratos que pedimos.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Tôrres 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s