Duke’n’Duke – RW 2011, 3ª edição


Excepcionalmente nos próximos dias, entre 22 de agosto e 04 de setembro, a equipe do ONDEcomo cobrirá a Restaurant Week! Confiram então o site regularmente, teremos um diferente estilo de atualização sempre que visitarmos algum estabelecimento da week. Caso você deseje que visitemos algum restaurante específico do festival, deixe seu recado ou mande um e-mail para nós, e não se esqueça de falar qual menu (noturno ou diurno) você gostaria que fosse avaliado. Nessa edição, os valores para o menu degustação com entrada, prato principal e sobremesa são R$29,90 no almoço e R$39,90 no jantar.

NOTA GERAL: 2.8/5

Menu ALMOÇO

Sobre o Duke’n’Duke:

Sim, voltamos ao Duke’n’Duke. Então se você gostaria de saber melhor à seu respeito vale ler o que falamos sobre seu ambiente, atendimento e localização aqui. Nessa segunda visita, mesmo com um maior índice de rotatividade devido ao festival, seu atendimento continua rápido e atencioso e seu ambiente agradável e organizado.

Gastronomia:

O menu do Duke’n’Duke para o Restaurant Week decepciona um pouco, com opções pouco criativas e uma ausência de preocupação da evolução dos pratos. A sensação passada é que todo os esforços foram exclusivamente para os pratos principais, negligenciando as entradas e sobremesas completamente. Ainda assim, a cozinha manteve o ritmo e entregou tudo sem atraso algum, e a maior demora que tivemos no restaurante foi para conseguirmos fechar a conta.

Entradas:

Duke Salad (alface americana, alface roxa, abacaxi e croutons): 1/5

Definitivamente uma salada que não merecia ser chamada de salada, muito menos ter seu nome associado ao nome do restaurante. A casa deveria ter vergonha de servir algo com tamanha falta de criatividade para seus clientes. Falando em números, o prato é composto por 5 pedaços de abacaxi, 2 folhas de alface americana, 1 folha de alface roxa, e 5 croutons. Ele não é decorado para agradar visualmente nem sequer tem um molho diferenciado para dar um “toque especial”, não passam de folhas lavadas dispostas em formato de cestinha com pedaços de abacaxi velho. A única coisa minimamente saborosa foram os croutons que ainda assim não chegam perto de solucionar os problemas do prato.

Rúcula Rústica (salada de pimentão amarelo, pimentão verde e cebola cortados a brunoise e molho campanha): 1/5

Outra indignação. Uma dúzia de folhinhas de rúcula com algo que se assemelhava a um vinagrete sem graça na ponta, tudo devidamente molhado no azeite. Definitivamente um prato mais forte que a outra opção de entrada, porém igualmente bobo. O mix de pimentões e cebolas estava muito bem cortado e foi temperado sem pudor no vinagre, o que ia até bem com a rúcula que tem um gosto mais forte; porém não adicionavam nada de criativo nem de espetacular a cada garfada, o prato não evoluía e tinha o mesmo gosto de decepção do início ao fim.

Pratos principais:

Thelonious Monk (pão australiano, hambúrguer dupla face, picanha e pepperoni, queijo gouda holandês com pimenta, presunto parma italiano e home sauce, acompanha fritas): 5/5

A principal razão de irmos conferir o menu do Restaurant Week. O chamado hambúrguer dupla face tinha um gosto sensível de pepperoni, sem perder o charme da carne de picanha. Seu preparo estava impecável, seu tempero maravilhoso e o combinado dos ingredientes perfeito. A carne estava suculenta e no ponto correto, com o gosto apimentado do pepperoni dando margem suficiente para agradar aqueles que gostam da pimenta e aqueles que optam por dosar melhor esse tempero. O queijo gouda e o parma combinam maravilhosamente bem entre si, mas são frequentemente sobrepostos pelos sabores mais presentes como o da carne e do pepperoni. Possivelmente uma opção de queijo mais amarelo e um parma previamente assado fariam com que os sabores dos ingredientes saltassem mais ao paladar, porém nada disso é um problema quando a sensação que o restaurante passa é definitivamente a de que o foco principal do sanduíche é a carne. O chamado “home sauce”, tomate picado e temperado com alho e manjericão, dá um toque sensacional ao sanduíche enquanto o pão preto mais adocicado cria o contraponto ideal para uma combinação mais apimentada. As batatas fritas artesanais estavam excelentes, mais espessas que as tradicionais e muito crocantes por fora, sem deixar de manter o centro macio.

Sobremesas:

Miningrato do Chef (wrap crocante recheado com creme de avelã, servido com uma bola de sorvete de creme): 3/5

Notem o detalhe do termo utilizado no singular na descrição do prato: wrap. A sobremesa não passou de uma bola de sorvete acompanhada de um cigarrinho mínimo (veja aqui) recheado de nutella. Não que o cigarrinho venha a ser ruim, na verdade a ideia é até boa, mas a quantidade realmente decepciona. O crocante da massa do wrap, misturado com o sorvete e as castanhas que decoravam o prato, quando servidos juntos à textura mais aveludada do creme de avelã davam um sabor e jogo de texturas muito bem pontuados à sobremesa. Sobremesa que durou, dentro das sensações descritas anteriormente, uma única mordida. Assim, após nossa primeira e satisfatória mordida, o prato que já não tinha mais wrap para acompanhar, virou apenas uma bola de sorvete de creme com castanhas.

Cantaloupe (fatias de rocambole de creme de avelã, decoradas com fatias finas de morango): 4/5

Igualmente mal servida, o cantaloupe também deveria ter o termo de sua descrição no singular. O sabor da única fatia do “rocambole” servida tinha presença e gosto forte de Nutella, se misturando extremamente bem com às castanhas que o compunham (e davam todo um toque crocante). Os pedaços de morango serviam como uma forma de quebrar o doce com uma agradável sensação de azedo, completando muito bem o prato.

Dicas:

Pense duas vezes antes de ir experimentar o menu da Restaurant Week. Já fomos ao Duke’n’Duke e o achamos sensacional (confira aqui), e digo sem medo que não deixem de conferir os hambúrgueres da casa, mas as entradas e sobremesas oferecidos para o festival decepcionam bastante. Definitivamente existem opções mais elaboradas e criativas para se conferir até o dia 04, a não ser é claro, que você esteja louco para experimentar o sanduíche que foi feito especialmente para a data, daí vá e aproveite o prato principal, se esforçando ao máximo para ignorar os acompanhamentos que lhe serão servidos.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Tôrres

Anúncios

3 Respostas para “Duke’n’Duke – RW 2011, 3ª edição

  1. Faltou falar sobre o outro prato, o Entrecote com Gratin Dalphinoir .
    Aliás, pela descrição do cardápio, não pediria. Só pedimos porque perguntei mais informações à garçonete.
    Foi um contra-filé bem servido, um bife grosso, ao ponto, com um tempero divino, e uma batata assada gratinada. Achei o sabor melhor do que o sanduíche.
    Parabéns por suas colocações, nos dão água na boca só de ler, e ajuda bastante a decidir qual opção pedir!

    • Olá Regiane!

      Realmente não conseguimos resistir ao vistoso Thelonious Monk, e acabamos deixando o Entrecote de lado. Por isso agradecemos por comentar e agregar mais um prato à nossa avaliação! Acredito que tanto a carne quanto a batata deveriam estar divinas, sendo essa a especialidade de ingredientes do local.
      Agradecemos também pelos elogios, pois nossa intenção é realmente ajudar nas escolhas ao tentar descrever detalhadamente os sabores que provamos.
      Continue comentando e nos visitando sempre que puder! 😀
      Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s