Benvindo – RW 2012, 1ª edição

Excepcionalmente nos próximos dias, entre 30 de janeiro e 19 de fevereiro, a equipe do ONDEcomo cobrirá a Restaurant Week! Confiram então o site regularmente, teremos um diferente estilo de atualização sempre que visitarmos algum estabelecimento da week. Caso você deseje que visitemos algum restaurante específico do festival, deixe seu recado ou mande um e-mail para nós, e não se esqueça de falar qual menu (noturno ou diurno) você gostaria que fosse avaliado. Nessa edição, os valores para o menu degustação com entrada, prato principal e sobremesa são R$31,90 no almoço e R$43,90 no jantar.

NOTA GERAL: 3.1/5

Menu JANTAR

Sobre o Benvindo:

O local é muito bonito e muito bem localizado, numa esquina de duas movimentadas ruas do bairro de Lourdes. A decoração é minimalista e nobre, e o atendimento é bem ágil. Os garçons, devo admitir, são um pouco heterogêneos. Alguns deles são extremamente simpáticos, bem humorados e animadíssimos, e outros são bem alheios, respondendo secamente e até mesmo de maneira rude aos clientes. Vale conferir aqui mais à respeito da casa, visitada também noutra oportunidade.

Gastronomia:

O menu do week tem 2 opções de entrada, 3 de prato principal e 2 de sobremesa. As carnes dos pratos são variadas, e a diversidade atende todos os gostos. Visitamos a casa num horário extremamente vazio, aproveitando o início da noite e facilitando o trabalho da cozinha. Dentro deste escopo os passos foram quase perfeitos, trocando todos os pratos – com exceção do principal que demorou um pouco além da conta – num tempo ideal.

Entradas:

Caprese da Casa (Espuma de tomate com mussarela de búfala e manjericão): 3/5

Um prato simples e fácil de fazer. Ideal para dias como os da Week que geram um grande fluxo de clientes, já que seu conteúdo pode ser previamente preparado deixando apenas a tarefa de monta-lo no prato para o momento do pedido. Sua temperatura indicava uma situação semi-refrigerada, ressaltando a teoria dele já ter sido deixado pronto. Servido com um volume demasiadamente alto de manjericão qualquer um era capaz de sentir o forte gosto e cheiro em cada bocada, mesmo que a folhinha não estivesse visualmente presente na colher. No mais, o creme era bom, levemente azedo, sem muito ou qualquer tratamento, assim como o queijo servido em cubos. Um prato que como já foi dito, era simples por demais, além é claro de pouco criativo.

Moqueca enlatada de siri: 4/5

Com uma textura extremamente agradável, a carne que fora desfiada à perfeição não dava abertura para pequenos pedaços infortunos de casca, deixando que os sabores fluíssem pela boca maravilhosamente bem. Para completar sua apresentação esbanjava simpatia, e o melhor, sem ser em nada complexa de se executar. A entrada vinha dentro de uma latinha de sardinha sem a tampa, sendo decorada posteriormente apenas com uma pétala de flor e um toque verde, combinação simples e eficaz. Como era de se esperar das moquecas, o cheiro era bem forte e o prato um pouco pesado para uma entrada, se tornando até enjoativo para aqueles que não apreciam tanto o paladar do siri puro.

Pratos principais:

Risoto ao Parma e Funghi: 4/5

O prato fora servido com bastante parma e tinha um ponto que beirava o mole demais, mas ainda assim se mantinha uma sensação aceitável nas mordidas. Servido quente (e vocês verão que isto aqui é uma vantagem) e de gosto presente, o risoto dava abertura a todos seus ingredientes. O parma em fatias mais espessas deixava um sabor forte porém não enjoativo, e a textura mais firme nas mordidas era deliciosa. Além disso, os cogumelos bem feitos e bem distribuídos se contrapunham à carne com sua extrema maciez e sabor marcante. Seu ponto não chegou a obter a característica liga dos risotos, pecando um pouco no volume de queijo adicionado à massa. Detalhe que poderia cooperar para um sensação mais aveludada e unificada do arroz, mas que ainda assim não deixou este se tornar algo ruim, sendo um dos pratos mais deliciosos da noite.

Salmão com farinha de avelã e cabelinho de anjo na manteiga de limão siciliano: 2/5

O prato era lindo, possivelmente o mais belo da noite. Além de ser simpaticamente disposto com o cabelinho de anjo em paralelo à carne, o peixe tinha uma bela cor, e cada um dos detalhes esbanjava apreço em seu preparo. O toque de limão siciliano transformava a simples massa em algo ideal para se completar o salmão e a cada garfada as texturas se completavam muito bem. O problema fica exclusivamente por conta da temperatura, já que nosso prato não chegava a beirar o morno, sendo servido completamente frio. Erro, que devo ressaltar, é imperdoável! Especialmente num restaurante que como o Benvindo tem experiência em trabalhar com menu de passos no seu dia a dia.

Filé em fonduta de queijo alpestre e cebola roxa com batatas rústicas: 3/5

O prato também foi servido frio, ainda que mais quente que o peixe. O filé, que era muito mais bonito na foto promocional do evento, estava da cor perfeita do verdadeiro ao ponto: com crosta tostada e cerne extremamente vermelho, mas no nível tal que não se derramava uma gota sequer de sangue. De gosto presente e casca tostada à perfeição, as pequenas batatas que decoravam o prato estavam quentinhas e eram o acompanhamento perfeito para o alto, e mais firme, filé. No meio de ambos os ingredientes existia ainda o creme, que acompanhava tudo e era claramente subjugado por todos, deixando apenas um suave toque apimentado na boca, se distanciando enormemente daquilo que alguém possa imaginar ser uma fonduta de queijo.

Sobremesa:

Pudim de doce de leite com caramelo de café: 2/5

Com um gostinho de nada – novamente distante do doce de leite prometido -, o flan dá a sensação que falta alguma semente para completar o prato. Enquanto a calda de caramelo de café dura, que já adianto ser uma delicia, o pudim se mantém agradável, mas assim que esta se esgota a verdade aparece e você se depara com o gostinho, sem graça, do flan.

Torija de Abuela com sorvete de baunilha: 4/5

O prato, para quem que, como eu, nunca tinha ouvido tal nome, é basicamente uma rabanada com sorvete. Servido de forma simples, pão embaixo e sorvete em cima, ele poderia ter um toque extra e muito agradável se a rabanada viesse quente à mesa. Rabanada que tinha textura agradabilíssima e bom gosto, em especial quando acompanhada do açúcar e canela bem dosados que a envolviam. Tudo ficava ainda melhor quando combinados com o sorvete de baunilha que suavizava todos os sabores, adoçando simpaticamente o conjunto.

Dicas:

Reserve! O local enche e o atendimento fica insuportável. Então acredite quando recomendamos que você reserve e de preferência chegue cedo. Ainda que eu espere que tenha sido uma eventualidade, o risoto foi o único prato principal servido verdadeiramente quente. Detalhe que gera uma dica importante: tente combinar todos os pratos de sua mesa para serem iguais e portanto, terem o mesmo tempo de preparo, evitando assim que a cozinha erre a mão e um de seus pratos fique pronto extremamente antes doutro. Ou então, dê um toque no garçom e espere, para que não tenha a mesma infelicidade que nós tivemos com as temperaturas dos pratos.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s