Duke’n’Duke – RW 2012, 1ª edição

Excepcionalmente nos próximos dias, entre 30 de janeiro e 19 de fevereiro, a equipe do ONDEcomo cobrirá a Restaurant Week! Confiram então o site regularmente, teremos um diferente estilo de atualização sempre que visitarmos algum estabelecimento da week. Caso você deseje que visitemos algum restaurante específico do festival, deixe seu recado ou mande um e-mail para nós, e não se esqueça de falar qual menu (noturno ou diurno) você gostaria que fosse avaliado. Nessa edição, os valores para o menu degustação com entrada, prato principal e sobremesa são R$31,90 no almoço e R$43,90 no jantar.

NOTA GERAL: 2.7/5

Menu ALMOÇO

Sobre o Duke’n’Duke:

Novamente uma casa que já visitamos, e não apenas uma, mas duas vezes! Caso queiram, confiram as críticas antigas que fizemos durante o Restaurant Week e fora deste.

Gastronomia:

Para o festival, a casa apresenta escolhas bastante econômicas e sem criatividade para ambas as sobremesas e entradas, focando seus esforços apenas no prato principal. Uma infelicidade que nos chocou, não apenas devido à brusca variação que acontece durante os passos do menu, mas também pela petulância de um estabelecimento que prima pelo seu nome em oferecer um menu tão mal elaborado. A verdade é que o Duke’n’Duke, ainda que vagamente melhor posicionado que o ano passado em relação à seus acompanhamentos, manteve a completa falta de criatividade (e também um volume ridículo) em seus passos não principais.

Entrada:

Blue toast (pão de azeite, creme especial de gorgonzola, gratinado com queijo parmesão): 2/5

Uma verdadeira amostra grátis de torradinhas. Seu gosto divagava um pouco entre os queijos e o sabor tradicionalmente esperado de um pão. Pão que, diferente do esperado, não esfarelava quando mordido, pelo contrário, se mantinha inteiro e bastante cremoso, mostrando que este tinha sido previamente umedecido em algo, ou então que o creme de queijo era líquido suficiente para molhar o pão a tal ponto que o deixou realmente com uma textura infeliz e distante de uma “toast”. Uma entrada gostosa, porém em nada surpreendentemente maravilhosa, somente algo aceitável, pequeno, básico e sem criatividade.

Prato principal:

Frank Sinatra (hambúrguer de picanha nobre de 180g, empanado em farinha especial, presunto, mozarela de búfala e orégano, servido em pão francês redondo): 4/5

Os hambúrgueres da casa nunca decepcionam, trazendo sempre algum ingrediente ou maneira de preparo inovadores. Com um avantajado tamanho, que ia contra os outros componentes do menu, o sanduíche por si só era capaz de satisfazer bem qualquer ser humano, ainda mais quando acompanhado das enormes batatas fritas no verdadeiro estilo batata de avó. O pão de sal utilizado era incrível! Macio em seu cerne, crocante e quebradiço por fora, sem se esfarelar nem perder o sabor único do estiloso pão francês. O hambúrguer era delicioso, como sempre, porém o gosto do empanado (teoricamente em farinha especial?) era pra lá de ignorável, assim como sua suposta textura diferenciada. Como acompanhamento, a muçarela, o presunto e orégano, dispostos sobre a carne, davam um quê de pizza à combinação, especialmente quando unidos ao molho vermelho – que me pareceu um estilo de barbecue extremamente suave – não descrito na combinação do prato. Um hambúrguer definitivamente bom e extremamente (acreditem quando digo extremamente) complicado de comer sem criar uma verdadeira lambança.

Sobremesa:

Insensatez (brigadeiro gourmet, feito com especiarias e coberto com chocolate): 2/5

Descrito de forma pra lá de errônea, o prato que mais parecia um macaron sem o merengue, não cativava nem atingia a textura esperada com sua massa simplória. O gosto das especiarias em seu recheio, servido ainda quente, deixava na boca um sabor forte, levemente alcoólico e com um toque que recordava à hortelã, ainda que eu esteja incerto que o prato leve ou não conhaque ou licor em seu preparo. O recheio, devo ressaltar, era apenas uma calda de chocolate, tal qual a disposta em cima, porém um tanto quanto mais carregada em suas ditas, especiarias.

Dicas:

Minha dica é simples, visite o Duke’n’Duke e opte por um prato fora do Festival. O porquê? Simples, a casa oferece sanduíches melhores, mais baratos, e que não tentam vir acompanhados de entradas e sobremesas patéticas. Além de manter sempre um bom atendimento e um ambiente que definitivamente é pra lá de agradável, sendo então uma excepcional opção de almoço ou jantar!

Ainda assim, se você optar por experimentar a opção da week, e se tratando de um menu de almoço, não se preocupe tanto com a disputa elevada dos poucos lugares da casa, nada que uma chegada prematura, ou atrasada, ao horário padrão da refeição não resolva a possível, e pequena, fila ocasional.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Tôrres

Anúncios

2 Respostas para “Duke’n’Duke – RW 2012, 1ª edição

  1. Gostaria de sugerir os seguintes estabelecimentos para que vcs visitem e avaliem:

    Casa Infinita – almoço
    Cinecittá – jantar
    D´istinto – Almoço

    • Olá Dan!

      Tudo bem?
      Obrigado pelas sugestões! Inclusive, já acatamos uma delas e fomos visitar o Cinecittá para o jantar! Confira nossa crítica aqui:
      https://ondecomo.com/2012/02/13/cinecitta-restaurant-week-2012/

      Como visitamos a Casa Infinita há pouco tempo (você pode conferir a crítica no site), e não ficamos impressionados, não iremos retornar para o Week. Porém tentaremos ainda visitar o D’istinto no almoço, conforme sugerido, ok?

      Obrigado novamente e continue conferindo nossas postagens, comentando sempre que puder!

      Cordialmente,

      Equipe ONDEcomo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s