Flores – RW 2012, 1ª edição

Excepcionalmente nos próximos dias, entre 30 de janeiro e 19 de fevereiro, a equipe do ONDEcomo cobrirá a Restaurant Week! Confiram então o site regularmente, teremos um diferente estilo de atualização sempre que visitarmos algum estabelecimento da week. Caso você deseje que visitemos algum restaurante específico do festival, deixe seu recado ou mande um e-mail para nós, e não se esqueça de falar qual menu (noturno ou diurno) você gostaria que fosse avaliado. Nessa edição, os valores para o menu degustação com entrada, prato principal e sobremesa são R$31,90 no almoço e R$43,90 no jantar.

NOTA GERAL: 4.2/5

Menu JANTAR

Sobre o Flores:

O local é super simpático, numa rua estreita e incomumente plana da Serra. Localizado um pouco distante dos pontos mais buscados pelos estabelecimentos gastronômicos, a casa velha casa próxima ao Parque dos Mangabeiras se esconde numa rua primordialmente residencial e quieta. A descrição do lugar colabora para o ambiente mais reservado e mais íntimo, com uma decoração bucólica e bem romântica, tanto no estilo da arquitetura quanto nos adornos e prataria em geral. O atendimento foi bom, confesso que a casa estava relativamente cheia e nossa posição na parte externa desprivilegiava a visão do garçom, porém sua sutil ausência e seu frequente esquecimento continuaram sendo um ponto negativo da noite. O destaque fica mesmo por conta da cozinha que manteve um ritmo maravilhoso para um menu de passos.

Gastronomia:

O Flores opta por combinações exóticas e inusitadas, frequentes da casa, trazendo um pouco da inovação e criatividade que vínhamos sentindo falta no festival desse ano. Como já foi dito, os passos foram todos perfeitos, com intervalos curtos porém suficientes para um pouco de conversa e um princípio de digestão. Tudo isto sem esquecer o cuidado no preparo e nas apresentações dos pratos, detalhes importantes para se fidelizar os novos clientes que o evento atrai, além, é claro, de dar água na boca a cada foto.

Entradas:

Quesadilha de tomates secos e queijo minas ao molho de bacon e balsâmico: 4/5

Com uma massa folhada, e lembrando um pouco uma pizza ou um calzone, a entrada que mais parecia vir com um creme de tomate ao invés de tomates secos era uma delícia. Sua massa mais crocante fazia contraponto ideal com o queijo minas derretido e tinha o sabor quebrado pelo bacon (que infelizmente não era servido em tiras) em molho de balsâmico. Tudo no prato era bem combinado e contrastado, deixando a entrada equilibrada e satisfatória. O conjunto da massa e do queijo mais neutros eram aguçados pelo adocicado dos tomates, reforçado pelo salgadinho crocante do bacon e perfumado pelo balsâmico, tornando a experiência completa e incrível.

Carpaccio de mozzarella de búfala com limão siciliano e creme de leite fresco: 3/5

O finíssimo carpaccio apresentado deixava que o suave sabor do queijo florescesse sem perder sua leve textura. A mussarela de búfala dava a liga ideal para o pão, tornando a entrada um conjunto de torradinhas maravilhosas, macias e muito presentes em seu recheio. A maciez dos pães e a temperatura geladinha do carpaccio balanceavam o prato, principalmente quando acompanhadas das pequenas folhas de manjericão. Em cima disso tudo, o creme de leite fresco e o limão siciliano, presentes em grandes quantidades, modificavam o sabor esperado do prato fornecendo um cítrico robusto e, infelizmente, tornando por vezes as simpáticas fatias de queijo ignoráveis.

Pratos principais:

Carré de porco’ ao molho mediterrâneo com abóbora laqueada com melado de cana: 5/5

Maravilhoso, um prato que era um primor na apresentação e um verdadeiro destaque nos sabores. A textura mais pesada do porco, e seu gosto mais forte, faziam par perfeito ao maravilhoso (perfeito, sensacional, estupendo, e outros mais adjetivos positivos) molho mediterrâneo com legumes glaciados. Tudo isso no topo de uma abóbora assombrosamente bem feita e adocicada que desfazia simpaticamente ao menor dos toques do garfo.

Namorado com purê de cogumelos paris e salsa verde: 4/5

Sua suavidade era assustadora, e o sutil sabor do azeite (trufado?) com um toque de hortelã era sensacional, tudo isso acompanhado de um pequeno e diferente purê de cogumelos paris que provinha uma sensação um tanto quanto única quando levado à boca. Uma experiência agradabilíssima, pontuada pela textura granulada do purê e pela característica de gomos do peixe. Um prato que se embasava no sutil contraste dos diversos sabores, todos muito suaves, com o gosto perfumado do azeite e das ervas sobre a carne branca.

Sobremesas:

Cestinha de massa filo com creme de nozes e calda de chocolate: 5/5

Cestinha de massa filo com creme de nozes e calda de chocolate ou, casquinha crocante com recheio de bombom. O chocolate disposto num estilo de calda era artesanal, de consistência ideal aveludada e sabor forte, se encontrava na perfeita e tênue linha entre o doce e o amargo. A simpática sobremesa tinha sabor adocicado, porém não doce demais, transbordando cada uma das mordidas numa sensação que, de início mais neutra e extremamente crocante, saltava da casca para seu recheio doce e de textura maravilhosa, imundando de prazer até o mais amargo dos corações. Tudo isso sem deixar de ter o devido cuidado no preparo do creme, ao manter as nozes em tamanhos mínimos, porém necessários, para se tornarem crocantes a cada mordida e serem ainda sensíveis ao paladar.

Maçãs carameladas com creme de limão: 4/5

Servida em pedaços a fruta era caramelada e bem doce, e vinha disposta de forma elegante sob um aveludado creme de limão. Doce que, quebrado pelo simpático creme de limão que envolvia toda a maçã, transformava seu sabor mais forte em algo minimalista. Isso tudo acompanhado do sorvete de creme que buscava contrabalancear o creme atingindo um ponto correto entre o cítrico e o doce, além de dar um toque extra e gelado à combinação.

Dicas:

A casa é linda e extremamente romântica, portanto vá preferencialmente a dois, mas não se esqueça de reservar! Aproveite a oportunidade para tomar um vinho, jantar a luz de velas, e apreciar tudo que é feito com muito esmero e criatividade.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Tôrres

Anúncios

3 Respostas para “Flores – RW 2012, 1ª edição

  1. Pessoal, a avaliação de vcs é mesmo uma “mão na roda”! heheh… Só adianto que não vale à pena vcs perderem seu tempo avaliando o Saatore, pq nunca tive uma experiência tão ruim em um restaurante em BH! Simplesmente chocante! Não sei como eles conseguiram participar do evento este ano! Parabéns pelo Blog! Muito útil!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s