Santa Sophia – RW 2012, 1ª edição

Excepcionalmente nos próximos dias, entre 30 de janeiro e 19 de fevereiro, a equipe do ONDEcomo cobrirá a Restaurant Week! Confiram então o site regularmente, teremos um diferente estilo de atualização sempre que visitarmos algum estabelecimento da week. Caso você deseje que visitemos algum restaurante específico do festival, deixe seu recado ou mande um e-mail para nós, e não se esqueça de falar qual menu (noturno ou diurno) você gostaria que fosse avaliado. Nessa edição, os valores para o menu degustação com entrada, prato principal e sobremesa são R$31,90 no almoço e R$43,90 no jantar.

NOTA GERAL: 1.8/5

Menu ALMOÇO

Sobre o Santa Sophia:

Visitamos o Santa Sophia no último week, você pode conferir nossa impressão clicando aqui. No último ano, recomendamos o Santa Sophia como um dos melhores que experimentamos no festival, um dentre vários outros detalhes que certamente incrementaram a decepção deste ano. O atendimento foi, eufemisticamente falando, péssimo. Não houve interação alguma com os clientes, apenas uma comunicação seca que magoaria qualquer mineiro. Isso somente não seria motivo para tanta crítica, afinal, cada lugar tem seu perfil de atendimento. Porém aqui, não houve o menor cuidado e atenção para conosco, tanto dos garçons quanto da cozinha. Chegamos ao restaurante às 13:50, e saímos de lá às 16:30, após darmos a última garfada na sobremesa. Um intervalo de tempo pra lá de elevado para um simples menu de três passos, ainda mais quando a casa não se encontrava exatamente abarrotada de clientes. Esse erro, considerado  gravíssimo em qualquer estabelecimento comercial, foi piorado ainda mais pelo descaso total de praticamente todas as pessoas envolvidas no processo de atendimento. Uma casa como o Santa Sophia, que preza tanto pela boa gastronomia, deveria se envergonhar de sua performance e, no mínimo, ser mais cuidadosa com qualquer um que sente em suas mesas.

Gastronomia:

A casa oferece um menu simples para o festival. As opções são variadas entre si, porém não há nada de exótico ou de especial nos ingredientes escolhidos. Novamente, isso sozinho não seria um agravante (o D’artagnan, por exemplo, tem um menu básico que é simplesmente delicioso) porém a deficiência no atendimento e a extrema demora entre um prato e outro acabam com o bom humor de qualquer pessoa. Ainda mais quando, depois de tanta espera, o prato ainda consegue ser mal executado. Outro incômodo foi o desencontro dos passos, já que em todos os passos uma ou duas pessoas foram servidas antes, deixando as outras assistindo o almoço alheio enquanto esperavam.

Entrada:

Mousse de frango ao molho de mostarda: 1/5

O gosto da mousse era o de uma grande colher de Hellmann’s. Seu alto teor de maionese se sobrepunha a qualquer sabor suave (leia-se frango desfiado) que tentasse contracenar com o novo ingrediente principal do prato – ainda mais considerando as raríssimas garfadas em que se encontrava a sensação mais firme da carne branca nas mordidas. Esse detalhe, mesmo para os fãs mais aficcionados por maionese, transforma a entrada em algo extremamente enjoativo. O dito molho de mostarda era somente um enfeite sobre a mousse, num tom amarelo claro como se tivesse sido fortemente diluído, e, consequentemente, também era sobreposto pela maionese. Restavam então apenas as folhas – que mais enfeiavam o prato – para se degustar, puras.

Pratos principais:

Ravióli de Brie ao molho de manteiga de Paris e tomatinhos apaziguados: 1/5

O ravióli foi servido frio, e novamente não tinha gosto algum de nenhum de seus ingredientes. A excessiva quantidade de manteiga trazia um aspecto gorduroso e deixava a massa mergulhada em puro óleo, fornecendo um sabor pra lá de enjoativo e ocultando ainda mais o gosto dos outros integrantes. Os tomatinhos eram o triunfo do prato, sendo adicionados à massa apenas em seus momentos finais de preparo, o que os deixava macios mas ainda com as maravilhosas características da fruta. Ainda assim, não bastam os tomates para salvar um amontoado de erros, ainda mais quando, para piorar, o queijo ralado jogado sobre a massa era apenas uma terrível mussarela levemente derretida que mais atrapalhava do que ajudava o já nada exepcional prato. Ah! Além disso, a porção era minúscula, os 6 raviólis não alimentariam ninguém, ainda mais após uma espera superior à unidade de hora.

Lombo Confit com Duo de batatas assadas no alecrim: 3/5

O melhor dos pratos do dia, mas ainda assim um prato que era apenas, ok. Seu molho era bom, mas vinha em reduzida quantidade para a também pequena quantidade de lombo, deixando o prato ainda mais seco. O duo de batatas, uma doce e uma inglesa, estavam no ponto correto, desmanchavam ao garfo e ofereciam uma textura agradável característica de uma boa batata. Sobre estas se tinha o alecrim numa quantidade ideal, temperando e perfumando sem roubar a cena. O problema, além da extrema simplicidade, fica por conta da alta sensação de secura da carne e de suas acompanhantes, transformando a pequena porção de molho em algo realmente ingrato.

Sobremesa:

Tortinha de amendoim ao creme inglês e sorvete de baunilha: 2/5

A porção que mais parecia uma piada de mal gosto era mínima, tendo pouco mais de um centímetro de largura em sua parte mais espessa! Ainda assim a torta era bem gostosa, uma digna torta de amendoim feita com maestria. Infelizmente aqui seus acompanhamentos estavam completamente fora do compasso, e a torta não interagia de forma alguma com nenhum deles, podendo ser muito mais apreciada pura que como nos foi proposto. Além, é claro do tamanho da fatia que, convenhamos, mais parecia uma amostra grátis de supermercado. A unica diferença é que, quando num supermercado, podemos dissuadir a atendente para obtermos três ou quatro pedaços e transformarmos o volume servido em algo satisfatoriamente aceitável.

Dicas:

Recomendo fortemente que, caso você vá ao Santa Sophia, opte por um período fora dos festivais. A casa provou várias vezes ao longo de nossa visita não ser (mais?) capaz de servir um menu de passos. Ainda assim, dentro ou fora do Restaurant Week, dê preferência à parte interna (já que a parte externa dificulta o já não extraordinário atendimento) e tente ir num dia mais vazio, para diminuir as chances de uma decepção com a demora.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s