Oak Wine Bar – RW 2012, 1ª edição

Excepcionalmente nos próximos dias, entre 30 de janeiro e 19 de fevereiro, a equipe do ONDEcomo cobrirá a Restaurant Week! Confiram então o site regularmente, teremos um diferente estilo de atualização sempre que visitarmos algum estabelecimento da week. Caso você deseje que visitemos algum restaurante específico do festival, deixe seu recado ou mande um e-mail para nós, e não se esqueça de falar qual menu (noturno ou diurno) você gostaria que fosse avaliado. Nessa edição, os valores para o menu degustação com entrada, prato principal e sobremesa são R$31,90 no almoço e R$43,90 no jantar.

NOTA GERAL: 3.8/5

Menu JANTAR

Sobre o Oak:

Como estamos repetindo nossos favoritos do último week, já demos nossa impressão à respeito da localização, ambiente e atendimento do Oak, que podem ser conferidos aqui.

Gastronomia:

A culinária do Oak ousa em alguns pontos, oferecendo pratos diferenciados, porém não completamente inusitados. Na verdade são combinações acertadas, com algum modo de preparo ou ingrediente inédito, criando novas experiências e deliciosas degustações. A apresentação, como sempre, é impecável, criando verdadeiras vitrines com cada um dos pratos.

Entradas:

Trio de peixes marinados: 3/5

Uma criativa e extremamente bem apresentada entrada. Entre os peixes servidos, o único de gosto mais marcante era o de atum com wasabi, que se utilizava da combinação mais clichê dentre as opções. Com sua carne sutilmente selada, deixando um gosto mais firme e menos gelatinoso do que no tradicional japonês, o sabor do atum saltava à boca para ser acompanhado suavemente pela combinação do arroz embebido em shoyu e raiz forte. A opção de salmão tinha o peixe delicioso, com um molho que poderia ser considerado exagerado na suavidade, deixando o par da carne para ser feito apenas com as amargas folhinhas dispostas sobre ele. A última opção era algum tipo de peixe branco que, infelizmente, não sei dizer qual era. Sua combinação era mais criativa que bem executada, combinando a carne com um agradável amontoado de pedaços de abacate extremamente bem picados, mas devido a característica de um gosto menos presente do peixe, o sabor final do conjunto era quase somente o da fruta, apagando completamente o peixe.

Espuma de carazinho com Magret de pato e crisp de poró: 4/5

A espuma era muito aveludada e extremamente saborosa, além de acompanhar o pato, que estava no ponto ideal, maravilhosamente. Uma entrada divertida de se comer, saindo da suavidade aerada do cará, e indo pro sabor mais forte e texturizado pato. As partes da carne desfiada vinham em pequena quantidade, preparadas de maneira a deixá-las mais amolecidas porém ainda assim bem cozidas. O crisp era quase uma batata palha, dando o toque correto sem exagerar em nada o prato, e ainda agregando uma nova sensação à leveza da espuma.

Prato principal:

Filé com Gratin Dauphinoise e creme de espinafre: 5/5

Passando um pouco do ponto, a carne tinha gosto forte e extremamente presente. Estava bastante macia, mais escura por fora, porém não tão ao ponto quanto havíamos pedido. Ficava ainda mais sensitiva quando acompanhada das batatas perfeitamente montadas e douradas com queijo. De fato, a gratin estava deliciosa, com camadas finas de batata muito bem preparadas, e uma aparência folhada em seu gratinado que dava água na boca. Literalmente um acompanhamento executado à perfeição que roubava a cena da carne em todos os aspectos. Como é frequente da casa, um prato lindo que, como vemos na foto, usa o creme de espinafre apenas como um simpático enfeite. Definitivamente vale a experiência.

Sobremesas:

Parfait de dois chocolates com doce de leite e calda de chocolate amargo: 2/5

Simples por demais, e sem doce de leite algum. Parecia um dos doces que se compra pronto em algum dos empórios mais caros da cidade. Não que não estivesse gostoso, pois estava, mas era somente um lindo bolinho bastante amargo e sem muito apelo criativo. As camadas eram bastante aeradas, mas não completavam os sabores uma das outras, tendo seu sabor final completamente dominado pela camada de chocolate ou ainda pela calda deliciosa, porém amarguíssima, servida ao lado. Realmente uma montagem sedutora de texturas, com um sabor completamente sem criatividade.

Sopa de morango silvestre com mousse de hortelã e caramelo balsâmico: 5/5

Exótica, linda, e pra lá de gostosa. A mousse era maravilhosa e o toque de hortelã dava uma sensação gelada e extremamente agradável ao menor dos contatos com a língua. Tudo isso ficava ainda mais sensacional quando combinado com o sabor forte e azedo da sopa de frutas vermelhas, gerando uma combinação explosiva e absurdamente bem executada.

Dicas:

O Oak não faz reservas para o week, então nosso conselho é: chegue fora dos horários ou dos dias de pico. Fomos numa quarta-feira, às 21:15h, e encontramos somente uma mesa disponível. Certamente, 30 minutos antes fariam uma enorme diferença de movimento, então se programe para não ficar de pé. Dentre o que provamos, fica a dica para o filé como prato principal (mais pela batata do que pelo próprio filé) e da sopa para a sobremesa, principalmente nesse calorzinho do último domingo do festival.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s