D’istinto – RW 2012, 1ª edição

Excepcionalmente nos próximos dias, entre 30 de janeiro e 19 de fevereiro, a equipe do ONDEcomo cobrirá a Restaurant Week! Confiram então o site regularmente, teremos um diferente estilo de atualização sempre que visitarmos algum estabelecimento da week. Caso você deseje que visitemos algum restaurante específico do festival, deixe seu recado ou mande um e-mail para nós, e não se esqueça de falar qual menu (noturno ou diurno) você gostaria que fosse avaliado. Nessa edição, os valores para o menu degustação com entrada, prato principal e sobremesa são R$31,90 no almoço e R$43,90 no jantar.

NOTA GERAL: 3.6/5

Menu ALMOÇO

Sobre o D’istinto:

O restaurante que ficava no bairro Santo Antônio foi recentemente mudado para o Funcionários, e juntamente com a nova localização ganhou um novo estilo de decoração. Na verdade, a mobília é praticamente a mesma, assim como alguns dos quadros e adornos do local, mas agora seu ambiente tem um estilo meio nova yorkino, com pé direito alto, uma relativa distância entre as mesas e  grandes janelas sempre fechadas. A nova amplitude do espaço deu um toque moderno e inovador à casa que, apesar de sua fachada deslocada, surpreende muito em seu interior. A casa mantém seu antigo e padronizado atendimento que não perdeu o pique durante o festival e cumpriu rapidamente todas nossas requisições.

Gastronomia:

O D’istinto apresenta um dos melhores risotos da cidade, e se especializa num menu italiano divino, com combinações esplêndidas mesmo nos pratos mais tradicionais. No week, apresentou pratos bem diferentes entre si, deixando os clientes em dúvida diante de conjuntos tão bem escolhidos. A surpresa desagradável fica por conta das entradas-bebê, que acabaram sendo compensadas no volume dos pratos principais.

Entradas:

Bruschetta de tomate com manjericão: 3/5

Gostosa e tradicional, a bruschetta do D’istinto era simpática e bastante recheada. A filha única no prato deixava o cliente intrigado, imaginando se por acaso seu prato havia sido injustiçado com a pequena porção. Volumes à parte, a fina fatia de pão estava uma delícia, extremamente crocante e macia no ponto ideal. O azeite que vinha decorando o prato combinava muito bem com as texturas oferecidas, os tomates estavam bem cortados e bem bonitos, e o manjericão dava um toque suave agradável de uma tradicional bruschetta. O destaque fica por conta do primor do pão, que poderia vir em maior número, talvez somando outras opções de recheio para as bruschettas.

Pratos principais:

Risoto de abóbora com pancetta crocante: 5/5

Conforme supracitado, o D’istinto é uma das melhores casas para risoto da cidade. E desde a mudança não tivemos a oportunidade de retornar a casa para conferir se eles ainda mantinham sua característica qualidade no quesito. Então, é com felicidade que digo, bastou uma garfada para relembrar do bom o velho italiano. O risoto estava sensacional, maravilhosamente no ponto (e lembrem que aqui quem vos fala é um antipático irremediável com risotos) e com o sabor evidente de um arroz de qualidade. Os pequenos cubinhos de abóbora davam um agradável toque aveludado e forneciam um sabor diferenciado do padrão do arroz, tudo mesclado perfeitamente com a pancetta! Um prato divino, muito bem combinado nos sabores suaves do risoto e da abóbora e na presença salgadinha da pancetta.

Parpardelle com ragù de linguiça e cogumelo: 4/5

Forte e de sabor presente, o prato que tem um estilo menu kids (massa, carne e molho vermelho) é uma combinação que torna impossível desagradar as pessoas. A massa espessa estava na textura perfeita e a lingüiça com os cogumelos formavam um molho saboroso e extremamente presente. O toque apimentado dos ingredientes tirava o lado sem graça da massa, e seu cozimento perfeito trazia uma maciez excepcional ao prato.

Sobremesas:

Abacaxi grelhado em açúcar de especiarias com sorvete de creme: 5/5

Deuses, como uma simples fatia de fruta pode ser tão maravilhosamente preparada, o ponto de ficar com uma textura sensacional e um sabor latente tão pecaminoso: O paladar da fruta misturada com a calda quase caramelada criava uma parceria mais do que acertada, tudo isso ainda combinado com uma bola de sorvete de creme que completava e criava um contraponto quente e frio lindíssimo.

Torta folhada de maça com Chantilly: 1/5

Sem graça e com uma massa péssima, a torta que mais parecia de ontem tinha um gosto de maçã bastante questionável. Sua parte folhada não tinha a maravilhosa leveza e o agradável toque crocante esperado, além de fornecer um sabor neutro que não era completado por nada. A felicidade era mesmo o creme que além de delicioso ia contra o infeliz padrão que as casas vêm utilizando no festival de se combinar tudo com sorvete.

Dicas:

Fomos ao restaurante para o menu de almoço, e a casa estava nem perto de cheia. Escolha qualquer um dos pratos oferecidos que você não irá se decepcionar, mas pessoalmente sugiro para que se opte por algum dos risotos da casa, seja para o festival (que teoricamente já acabou) ou para uma visita normal. Quanto às sobremesas, opte sempre pelo simples, como o abacaxi, que estava deliciosamente bem feito.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s