Vinícius

NOTA GERAL: 3.3/5

Rua Pium-í, 1259 – Sion – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 3879-0248
 

Localização e Ambiente: 5/5

A Pium-í, como já falamos, abriga uma enorme concentração de bares e restaurantes, e acaba se tornando um verdadeiro inferno na Terra para se transitar e estacionar em horários onde as casas estão borbulhando de clientes. A Vinícius conseguiu evitar esse caos, se posicionando um pouco afastada da interminável sequência de estabelecimentos da rua, tornando assim o ato de estacionar um veículo nas proximidades, possível, sem é claro perder sua excelente localização no bairro. Seu ambiente interno mantém a boa qualidade visual esperada da casa, presente em todos os demais restaurantes do grupo que, muito cuidadoso, preza muito pela caracterização de seus estabelecimentos e seus singulares detalhes. Dispondo de várias características cariocas, e decorado com posteres e vinis de Vinicius de Moraes e Toquinho, a casa esbanja simpatia. Especialmente pela lateral do restaurante que é formada por uma parede estampada conforme o calçadão de Copacabana, uma bicicleta e alguns postes de luz, trazendo a impressão litorânea do Rio, e deixando tudo ainda mais amável.

Atendimento: 3/5

Os garçons não são muitos, e ficam bem divididos em dois andares. O atendimento é apenas ok, não sendo sempre tão ágil ou tão solícito, fazendo poucas sugestões e interações com o cliente. Na verdade, acreditamos que o atendimento seja tão carioca quanto a decoração, levando em conta que este foi consideravelmente mais seco do que o padrão mineiro desejado. De qualquer forma, os pedidos vieram corretos, e não demoraram nem um pouco, mostrando que a cozinha é bastante eficaz e não acredita muito na teoria de se dar um tempo para que os clientes curtam o ambiente e uma boa conversa.

Gastronomia: 3.3/5

A pizzaria apresenta diversas opções com inúmeros ingredientes. Os mais indecisos devem tentar pedir sugestões aos garçons, caso contrário poderão ficar horas folheando o cardápio. Basicamente, as pizzas são tamanho único (6 fatias), com massa leve porém não tão fina, e ingredientes bem frescos. Além das pizzas temos algumas entradinhas, e, é claro, sobremesas.

La Rivale – (molho de tomates, mozzarella, lingüiça toscana marinada no molho inglês, azeitona preta e orégano): 3/5

A decisão pela linguiça destrinchada não foi das melhores, servir-la fatiada seria uma opção mais aceitável e que possivelmente acarretaria numa menor quantidade de gordura desprendida da carne. A combinação do molho inglês com as azeitonas pretas era sensacional, porém o excesso de líquido acumulado devido a ingredientes extremamente “molhados” em conjunto com uma linguiça não devidamente seca, proporcionava por demais um acúmulo destes por toda a pizza, lambuzando excessivamente as garfadas e molhando a massa de maneira prejudicial. Os sabores eram no final complementares, com a linguiça trazendo um sabor mais quente, muito bem contornado pelo sabor mais forte porém frio das azeitonas, o problema aqui era mesmo a textura emborrachada geral atribuída a uma massa nem um pouco crocante.

Vinicius (molho de tomates, calabresa, mozzarella, parmesão, gorgonzola, presunto de Parma e orégano): 4/5

Gostosa e saborosa, a pizza que levava o nome da casa sabia como combinar bem os seus ingredientes. Com um conjunto de sabores muito bem escolhidos e dosados a pizza se tornava harmoniosa e nada enjoativa. O resultado então é um mix cuidadosamente disposto que criava muito bem um sabor único que, apesar de suas vantagens, acaba não deixando espaço para que um de seus ingredientes tivessem eventuais destaques ao longo das garfadas, transformando o prato numa pouco criativa constante. Ainda assim, o gosto final que era gerado pela articulação dos sabores era de se tirar o chapéu e sem duvidas formavam uma pizza para se pedir de novo.

La Milanese (molho de tomates, mozzarella, salame de milano, gorgonzola e orégano): 2/5

Uma pizza que definitivamente não foi assertiva em nenhuma das escolhas. A gorgonzola e o salame são dois ingredientes fortes demais, que acabaram brigando pelo papel principal e não geraram nenhum resultado satisfatório. Nada, e quando eu digo aqui nada vale reforçar, nada, se completava, deixando a pizza exagerada e altamente enjoativa. Além disso, assim como a La Rivale, sua massa estava por demais molhada, proporcionando uma sensação engordurada e, convenhamos, ruim ao conjunto.

Parigina (molho de tomates, mozzarella, presunto cozido, orégano e ovos cozidos): 4/5

Com um suave gosto de ovos de codorna cozidos e um maravilhoso presunto a pizza era no mínimo, saborosa. Ambos os gostos convergiam num equilibrado e delicioso resultado final que, além de completo em suas texturas, era formidavelmente agradável. Ainda assim esta se assemelhava à sua irmã e, no geral, era mais uma pizza sem muita abertura especial a algum ingrediente, resultando num gosto final aceitável, porém pouco animador, como na já descrita Vinicius.

Custo Beneficio: 2/5

As pizzas custam entre R$40 e R$60, e servem bem duas pessoas. Dessa forma, o custo seria válido se a pizza fosse um pouco mais elaborada e suas opções mais criativas. Talvez tenhamos feito as escolhas erradas, porém, de fato, nenhuma das pizzas escolhidas é motivo suficiente para um retorno ao Vinícius, especialmente com tantas outras pizzarias já consagradas na cidade.

Dicas:

Aproveite a terça-feira para ir com os amigos e ganhar a segunda pizza, rateando os custos e aproveitando o lugar agradável para um bom papo na “orla Carioca”.

post and review by Eduardo Boaventura & Path Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s