Koneteria Gourmet

NOTA GERAL: 3.5/5

www.koneteria.com.br
R. Antônio Aleixo, 592 – Lourdes – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 3879-9699

Localização e Ambiente: 4/5

Na esquina de duas importantes ruas do Lourdes, próximo ao L’entrecôte e à Sorriso Risoteria, o restaurante está muito bem posicionado, com fachada discreta porém muito simpática e um totem com as bandeiras das nacionalidade culinárias do local, que realmente chama a atenção sem ser em nada extravagante. Na verdade o lugar instiga a curiosidade por servir japonês, mexicano e italiano, além de ser extremamente bem decorado e movimentado. Seu ambiente inicialmente é questionável, não pela simpaticíssima varandinha, mas sim pelo “não tão agradável assim” toldo de amarrados de bambu, ou seja lá o que for aquilo, que reveste a cobertura externa. Uma vez que o estranho acabamento escolhido pela casa é esquecido, ou ignorado, tudo começa a exalar certa simpatia. Seu ambiente interno é extremamente bem montado, mantendo uma decoração num estilo inca interessante, com estampas em preto e branco nas mesas, quadros e cores muito bem escolhidas. Outro ponto positivo é justamente o conforto, frequentemente ignorado por ambientes de alta rotatividade, das mesas espaçosas, dos belos sofás ou até mesmo de suas sólidas cadeiras e poltroninhas, detalhes que sem sombra de dúvidas deixam o ambiente interno com um ar mais amigável e passam a sensação de uma aconchegante casa.

Atendimento: 5/5

O atendimento foi, no mínimo, impressionante. Os garçons eram todos muito, muito, muito simpáticos, conversados, sorridentes e solícitos. Existem pelo menos 3 ou 4 garçons por ambiente, deixando os clientes bem servidos e tornando desnecessária uma espera longa para ser atendido. Além disso, os atendentes sabem falar sobre os pratos e são muito bem humorados, mesmo que, por vezes, estes tenham se abstido de fazer alguma sugestão.

Gastronomia: 2.8/5

Como falamos, o lugar tem 3 especialidades. Iniciando com o mexicano, que serve entre fajitas e burritos, passando pelo japonês, que oferece temakis, makis e combinados, e terminando no italiano, que oferece kones quentes – como pizzas enroladas – e outros quitutes em alta temperatura. Além disso a casa oferece também sobremesas mistas, usando um pouco de cada culinária, porém sem deixar de lado o detalhe de  que, na verdade, todos os pratos mantém: mesmo sendo uma casa de três nacionalidades todos os pratos são (bastante) abrasileirados.

Hot Filadélfia: 4/5


Surpreendente! O arroz estava delicioso, no ponto certo (sem estar muito solto e nem muito empapado) e com toque doce que acompanha o tempero oriental perfeito, neutro mas não ignorável, acompanhando bem qualquer outro ingrediente. Seu salmão era deveras gostoso e seu empanado sensacional. Executado de forma ideal, a fina casca oferecia sabor suave e textura crocante ao peixe de gosto tão conhecido por todos, tornando seus cubinhos uma excelente pedida. Outro ponto positivo foi sua alga que, num ponto assombrosamente bom, não oferecia dificuldade alguma para ser partida, facilitando a experiência e compondo os outros ingredientes com seu toque mais frio e minimalista.

Isca de filet de frango (isca de filé de frango empanado acompanhado de molho Gorgonzola e molho especial de gengibre): 1/5

Me desculpem o desdém, mas definitivamente, isso foi uma das piores coisas que já pedimos num restaurante. Por detrás do nome pomposo dado ao prato, a verdade era muito mais cruel, ele não passava uma porção de nuggets congelados de supermercado, mas não qualquer porção, definitivamente uma porção barata, terrível e incomível de nuggets congelados de supermercado. Seu sabor não era gostoso, o empanado não era bem feito, a combinação não era satisfatória e seus molhos não passavam do aceitável. Um prato vergonhoso que jamais deveria fazer parte do cardápio da casa, na verdade, um prato que jamais deveria fazer parte do cardápio de qualquer lugar, nem mesmo da residência de um homem solteiro incapaz de realizar com sucesso um macarrão de três minutos.

Especial salmão com cream cheese: 4/5


Um prato realmente muito bom, e muito bonito. O arroz, já descrito anteriormente, continuava sensacional, com o paladar agridoce agradabilíssimo e a textura deliciosa. Seu salmão, tanto no recheio quanto na cobertura, estava excelente, especialmente seu exemplar externo, que de textura perfeita e fibrosidade exemplar, servia de prova para os mais enjoados, como eu, de que o peixe tinha sido cortado na angulação correta. Um prato incrível que pecava apenas num pequeno detalhe, o cream cheese. Servido em demasia, e presente tanto internamente quanto externamente, o queijo encobertava as minúcias dos sabores, além de criar uma combinação deveras enjoativa. Problema esse que é facilmente resolvido com a correta remoção dos excessos, possibilitando o desfrute de um excelente prato.

Carne seca kone: 2/5


Muito bonito e com a casquinha muito bem feita, o simpático rolinho de massa era recheado duma pasta de carne seca e catupiry para, posteriormente, ser decorado com um aceitável crocante que se assemelhava a um crispy de alho poró. Servido muitíssimo quente, o aqui nomeado kone, vinha extremamente bem recheado da mistura enjoativa e exageradamente salgada. Ainda que sua massa estivesse bem crocante e neutra, conseguindo em algumas ocasiões abafar seu recheio, na maior parcela das mordidas o resultado era um conjunto entediante e, aparentemente, sem fim.

Brigadeiro kone: 3/5


Ou também chamado de casquinha de sorvete recheada. Diferente do visualmente esperado, o prato não era somente uma casquinha de sorvete recheada de brigadeiro. Na verdade, seu interior era revestido de um chocolate bem durinho e fino, impedindo que a casca entrasse em contato com seu recheio principal, mantendo-a crocante do inicio ao fim. O resultado então é uma sobremesa que, acredito, não ser de produção da casa, mas que agradava de maneira satisfatória, se tornando uma digna opção para se encerrar uma refeição.

Custo Beneficio: 3/5

É caro, e o valor vale a pena apenas para a parte de nipônica do cardápio. O prato principal da casa, os kones japoneses ou italianos, se mantêm na faixa de R$12 a R$17 a unidade, resultando num ticket médio para se comer uma quantidade aceitável de aproximadamente R$50 reais.

Dicas:

Vá com seu par ou com amigos, preferencialmente num grupo de quatro a seis pessoas, agilizando assim sua alocação. Evite o menu italiano e delicie-se no japonês. Ah! E ainda que não tenhamos experimentado a parcela mexicana da casa, pela experiência obtida na visita, acreditamos que a melhor dentre as opções continuará sendo as provenientes do menu nipônico.

post and review by Eduardo Boaventura & Path Tôrres
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s