La Milonga

NOTA GERAL: 3.7/5

Rua Francisco Deslandes, 10 – Anchieta – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 3282-2715

Localização e Ambiente: 5/5

O La Milonga fica em uma esquina que, apesar de movimentada, não é tão badalada assim. Iluminado à meia luz e se projetando pouco para o exterior a casa pode facilmente passar despercebida de olhares menos atentos, porém, quando notada, ela esbanja uma simpatia única, com seu padrão de belos desenhos que enriquecem e muito sua identidade visual. A parrilla uruguaia é composta por um longo balcão (por trás do qual fica a parrilla e também as bebidas), algumas poucas mesas internas, bancos feitos de couro de vaca, e algumas mesas externas, cobrindo toda a parcela da calçada que se encontra dentro dos limites de sua relativamente afastada fachada. Quanto à sua posição, ela é bem estratégica, na convergência do bairro Anchieta com o Carmo-Sion, fazendo esquina com a própria Pium-í, porém num ponto deveras mais baixo desta, afastando-se do reboliço de botecos que a compõem. Existe então, dentro de uma faixa de horário não comercial, até certa facilidade para se encontrar uma vaga próxima da casa.

Atendimento: 4/5

Seu atendimento é bom, porém não é tão presente quanto desejávamos. Durante o início de nossa visita, éramos os únicos no restaurante, motivo pelo qual tivemos atenção mais que exclusiva dos garçons. Ainda assim, depois de realizarmos nossos pedidos, a prática de certo contorcionismo para ser notado se tornou uma ação frequente. A verdade é que eles ficaram enfileirados em frente ao longo balcão, já mencionado, que bloqueia parcialmente a visão daqueles presentes na área interna da casa. Detalhes e acenos à parte, o atendimento foi sempre muito simpático e cordial, e, devo admitir, o garçom que nos atendeu conhecia o cardápio como perfeição, fazendo excelentes sugestões e comentários ao longo de toda a noite.

Gastronomia: 3.8/5

O La Milonga, como é de se imaginar, serve carnes e alguns acompanhamentos preparados na parrilla. Suas opções não são vastas, porém estão em número aceitável para deixar uma pessoa com dúvida de seu pedido. Para seus cortes principais foi criada uma simpática variação entre seus tamanhos; o individual, nomeado de “feminina”, e o para duas pessoas, nomeado de “masculina”. A casa também oferece algumas opções de petiscos ou acompanhamentos, como as lindas provoletas ou as enormes batatas assadas, criando opções diversas para se compor um jantar ou um alegre fim de dia com amigos.

Provoleta com tomate e orégano: 4/5

A entrada que, assim como as carnes, foi preparada na parrilla, era composta de queijo provolone combinado com tomates e orégano. Seu queijo era saboroso e sua casca – quase queimada – um primor. Servida quente e deveras suculenta, minha única e possível reclamação seria sua espessura. Como já foi dito, sua casca esbanjava sabor e perfeição, mas seu enorme volume criava uma relação entre a casca e o cerne não tão memoráveis assim, se tornando um pouco borrachudo, enjoativo e não tão visualmente atraente. Eu até compreendo que um pedaço muito fino da iguaria simplesmente escorreria pela parrilla, se tornando deveras complexo de ser produzido, mas o exagero de altura que nos foi servido me faz questionar se seu tamanho poderia ser reduzido até à metade, sem que este se liquefizesse durante o preparo. Ainda assim, seu queijo era saboroso e sua temperatura se mantinha constante até em seu miolo mais íntimo, detalhe importante para amenizar as frustrações de sua exacerbada grossura. Mesmo assim, como foi dito, este era o único ponto passível de qualquer reclamação, afinal, seus tomates eram simplesmente sensacionais, com sua textura única, quase cremosa, oferecida pelo seu preparo, e, é claro, seu sabor aguçado e cheiro incrível. Por fim, e não menos importante, o orégano, claro, que combinava com tudo aquilo servido, perfumando e temperando bem o prato sem estar presente em demasia. Simplesmente a combinação perfeita para um aperitivo que, quando degustado, deixava claro seu inconfundível e maravilhoso paladar.

Bife parrillero (masculino): 5/5

A sugestão do garçom nos surpreendeu e muito! A carne era um exemplo de preparo, estando muito, muito, mas muuuuuuiito macia! Seu sabor era ideal, seu tempero em nada exagerado (como é a tradição das parrillas) e seu molho era sensacional! Servida num verdadeiro ao ponto, com seu cerne vermelho e sua borda corada, o prato simplesmente era uma ameaça a qualquer fã da iguaria. De sua textura, que chegava até a desmanchar ao menor toque, ao seu cheiro, simplesmente inebriante. Ah sim, e seu molho de vinho, que em oposição à carne era bastante presente e consideravelmente salgado, completava maravilhosamente bem o sabor mais brando da carne, sem é claro que esta fosse, em nada, comtaminada por ele. Servidos à parte, existiam também o chimichurri – um molho de ervas – e ainda uma farofinha. O chimichurri, como não é comum, estava deveras fraco, mas ainda assim gostoso, e a farofa, simplesmente normal, sem nenhum adicional. Esses acompanhamentos ficam realmente a cargo do gosto do cliente, e intencionavam completar um prato que, convenhamos, já era perfeito sem eles.

Batata assada à provençal: 4/5

Novamente, preparada na parrilla. Uma simples, porém não ignorável, batata assada envolta em papel alumínio, colocada sobre a grelha quente e temperada momentos antes de ser servida. Seu preparo dourava a casca e amolecia o cerne, deixando a batata com a consistência perfeita para se acompanhar uma das opções de carne da casa, e é claro, seu recheio, oferecido em três opções, ajudava a temperar sutilmente o prato. Apesar de boa, a batata era consideravelmente neutra, sem sal ou qualquer tempero extra que não o azeite e ervas de seu recheio, fazendo-se necessária uma dosagem do cliente para temperá-la ou, como em nosso caso, uma carne mais forte e presente. Um prato perfeito para acompanhar uma carne, e somente para acompanhar uma carne, afinal, a batata sozinha dificilmente alcançaria o nível de satisfação que conquistou aqui figurando o bife.

Surpresa uruguaia: 2/5

Uma sobremesa que não estava no cardápio, e, para nosso pesar, a única opção doce da noite. Esperávamos, desde que folheamos o cardápio pela primeira vez, provar o crepe de doce de leite e chocolate amargo, uma possível perdição. Porém, como ele não estava disponível, aceitamos a surpresa, para descobrir que ela era basicamente um creme de doce de leite com chocolate, ou melhor, um creme de chocolate com um toque adocicado que, provavelmente, era doce de leite, e uma enorme bola de sorvete. Sua combinação era acertada mas pouco elaborada, a calda adquiria uma nova textura, enquanto seus sabores disputavam o papel principal da noite (vencido pelo chocolate, sempre em maior quantidade). Mesmo assim, o real protagonista se tornou o sorvete, gigantesco, colossal, monstruoso, ou qualquer outro adjetivo relacionado ao tamanho exagerado, ofuscando todo o resto da sobremesa. E finalmente, seu valor, de R$15, que convenhamos, é um absurdo para uma bola de sorvete de creme com calda. Ao menos aqui a casa poderia ter um pouco mais de noção e cobrar pelo prato de fora do cardápio um montante equivalente ao da bola de sorvete, taxada a R$7,50, afinal de contas, aquilo que nos foi servido não era nada mais que apenas uma bola de sorvete, que, aparentemente, vinha acompanhada da calda mais cara da cidade.

Custo Benefício: 2/5

O preço dos petiscos era bem aceitável, variando de R$15 a R$25, aproximadamente, e servindo bem 2 pessoas. As carnes, no entanto, não eram tão econômicas. O bife parrillero, por exemplo, em seu tamanho masculino, custava R$44, e seu volume, apenas ok para duas pessoas, podendo facilmente ser digerido por apenas uma. Além disso e, para elevar ainda mais o ticket médio da casa, o volume das carnes pedem um acompanhamento, como é típico no Brasil. Com sobremesa, então, o valor de um jantar chega aos R$60 por cabeça, isso é claro, sem contar bebidas alcóolicas.

Dicas:

Vá com amigos, vizinhos, conhecidos, familia, o que você preferir. Afinal, o ambiente do La Milonga é perfeito para qualquer grupo de pessoas! Escolham uma bela carne da parrilla e, é claro, um acompanhamento de sua preferência para esta, formando assim a receita perfeita para uma alegre e formidável noite.

post and review by Eduardo Boaventura & Path Tôrres
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s