Pellegrino

NOTA GERAL: 3.5/5

Rua Laranjal, 459 – Sion – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 2526-1085

Localização e Ambiente: 5/5

O recém nascido Pellegrino foi inaugurado há apenas 4 meses, e já tem o almoço com todas as mesas preenchidas. O lugar é bem privilegiado, numa bela casa de esquina estabelecida num dos pontos nobres para a gastronomia do Sion. Estacionar bem próximo à casa pode ser uma complicação, afinal a região mantém um fluxo considerável durante todo o dia, porém tal detalhe não deve se tornar uma tarefa exatamente impossível, já que existem inúmeras ruas que possibilitam a parada em ambos os seus lados num curto raio de espaço. Seu ambiente é super simpático, dividido em área externa e interna, sendo a interna possuidora de dois andares. Na parte de fora as simpáticas mesas, cobertas por enormes ombrellones, dão um toque muito francês ao lugar, sendo ainda reforçado pelos detalhes rústicos de suas paredes e seu deck de tijolos aparentes. Internamente sua decoração, menos elaborada, tem simpáticas soluções, como uma grande cômoda que, na verdade, é um esconderijo para um bem planejado passa-pratos, e sua cozinha à vista. O mobiliário é de muitíssimo bom gosto, e talvez o único pecado seja o uso de alguns reciclados, tais como os lustres feitos de lixeiras e bacias de plástico que, por mais dinâmicos que sejam, entram em discordância com o restante do estilo da casa, forçando a barra para o alternativo caótico exagerado que até então era agradávelmente mantido sob controle. Em seu andar superior, uma simpática sala serve de espaço para clientes ou eventos diferenciados, dispondo de uma cozinha particular que, inclusive, permite aos mais dispostos criarem seus próprios pratos.

Atendimento: 3/5

O atendimento foi deveras estranho no começo. Fomos atendidos por um garçom, depois por outro, depois por uma garçonete, e todos eles nos atenderam de forma incompleta. Um deles, inclusive, nos deixou falando sozinhos um belo par de vezes, gerando um constrangimento extra por nossa parte e fazendo com que a casa pareça um tanto quanto perdida em sua própria confusão. Após um, digamos, bizarro primeiro contato, fomos então extremamente bem atendidos, sempre com considerável cordialidade e exacerbada simpatia.

Gastronomia: 3.2/5

O Pellegrino não tem uma especialidade única. Na verdade é um contemporâneo com opções de carnes, peixes, aves, massas e risottos, com uma bela variedade de entradas e petiscos como linguiças, carnes ao molho, polvo e etc. Aos finais de semana seu o cardápio é reduzido, porém ainda se mantém extremamente satisfatório.

Linguicinha de Vitelo (ao molho Rôti aveludado com mostarda Dijon): 4/5

Uma boa entrada, servida num ótimo ponto e igualmente satisfatório tamanho. Com gosto forte da linguiça, seu molhinho, descrito como aveludado, era de fato um charmoso molho de carne que, infelizmente, deixava de lado o forte e agradável paladar da mostarda, abandonando parcialmente a oportunidade de se ganhar um destaque único da já consagrada combinação de carne e mostarda. Tal decisão seria extremamente acertada para aqueles que pretendem comer o pão apenas acompanhado do molho, sem o acréscimo das linguiças, já que assim teriamos presente o gosto de ambos os ingredientes sem que o sabor da mostarda tornasse as mordidas por demais enjoativas. O porém desta decisão se reflete nos volumes apresentados, já que sua quantidade de linguiça não foi poupada para a pequena porção de pães que, sem muitas opções, encontrava seu fim muito antes da carne ou do molho. Uma outra infeliz constante da casa foi a temperatura, nossa entrada se encontrava num não tão agradável ponto morno, que prejudicava o prato consideravelmente.

Steak de Filet (ao molho de ervas, com Fetuccine Palha e Feno): 1/5

A carne, no ponto, era acompanhada de um molho descrito como “de ervas”, que, sinceramente, não tinha a melhor das execuções. Seu sabor amargava muito quando em contato com a boca e seu cheiro, forte, recordava a algo queimado. Se estes já são detalhes que sozinhos seriam considerados terríveis num prato, tal combinação se mostrava ainda mais infeliz pela sua baixa temperatura. A carne era ainda acompanhada por um fettuccine 2 cores e um molho de queijos deveras desistimulantes, tropeçando, novamente, na baixa temperatura.

Tilápia em crosta de Macadâmia (ao molho de acerola, acompanhado de Risotto de uva): 4/5

Se nosso último prato era motivo suficiente para nunca mais voltarmos à casa, sua tilápia definitivamente era a razão de uma segunda visita. Servida com um molho de acerolas docinho, sua combinações com uma crosta neutra e com um risoto caótico eram fenomenais. O sabor do peixe, num ponto bom, saltava suavemente à boca, mas era exatamente sua crosta de macadâmias que dava o pontapé inicial do prato. Com sabor mais neutro e um gosto de cinzas sensacional, a delicada camada crocante era o meio termo perfeito para que seu molho adocicado criasse uma considerável briga com o volume de queijo do arroz. Aliás, seu risoto foi servido num ponto muito bom e por si só já era uma bela brincadeira de sabores, saltando do igualmente adocicado paladar das uvas para seus belos picos mais azedos, e finalmente para o toque salgado oferecido pelo queijo. Isolados, os componentes do prato não eram tão diferenciados assim, porém unidos eles formavam uma combinação sensacional que certamente merece uma reprise!

Ravioli de cordeiro e queijo Canastra (com capuccino de funghi): 4/5

Sua massa era uma delícia e estava no ponto correto, macia porém ainda levemente al dente. O molho era simplesmente delicioso, com gosto sutil dos cogumelos, mas ainda numa textura rançosa que dava firmeza às mordidas quando combinada ao belo ravioli. A massa se dividia em dois recheios, sendo as versões quadradas recheadas de cordeiro, muito bem feito e de sabor agradabilíssimo, e as versões redondas recheadas do lindíssimo queijo canastra, que ajudavam completando com maestria os gostos mais presentes do prato. Novamente, e mantendo o infeliz padrão que a casa adotou durante nossa visita, seu molho apesar de saboroso não seguia uma linha satisfatória de temperaturas, se mantendo apenas no não muito bem falado nível morno.

Creme brullé: 3/5

Bem servida, a sobremesa era apenas ok. A tradicional crosta de açúcar derretida se mostrava insuficiente para o tamanho do prato, sua espessura não permitia a experiência única de quebra-lá e nem temperava satisfatoriamente o creme. Uma possível desatenção em seu preparo também era ressaltada através de sua temperatura, que variava do morno ao gelado, uma possível consequência do excesso de tempo de maçarico que tentava solidificar o açúcar insuficiente depositado sobre a iguaria. Para finalizar, seu creme se encontrava exageradamente líquido, perdendo completamente a textura aveludada esperada da iguaria. O resultado então era um desandado creme brulée, que não passava do gostosinho e não era capaz de surpreeder ninguém, encerrando de maneira apenas satisfatória a experiência no Pellegrino.

Custo Benefício: 3/5

Um valor bem padrão para esse modelo de restaurante, com pratos que vão de R$30 a R$70, dependendo da complexidade e raridade de seus ingredientes. As entradas, muito bem servidas, também mantinham seus valores acima da média, detalhe que não surpreendia graças à suas diferenciadas elaborações. Suas sobremesas também ficam na média, com valores inferiores aos R$20. O ticket médio para ser bem alimentado é de R$70, valor geralmente melhor aproveitado em casas que não cometam erros básicos como os vivenciados durante nossa visita, mas que também não atinge um númeral tal que assuste seus clientes.

Dicas:

Definitivamente suas entradas podem ser uma boa opção para petiscar e provar um bom vinho. Já se sua intenção for jantar ou almoçar um empratado, sugerimos dois pratos, o ravioli e a tilápia. Porém é importante ressaltar que sempre existirá certo receio a respeito da inconstância das iguarias da casa.

post and review by Eduardo Boaventura & Path Tôrres
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s