Oak – RW 2012, 2ª edição

Teve início o maravilhoso festival de origem nova iorquina que tanto apreciamos: o Restaurant Week. Nessa edição (que vai de 27 de agosto a 09 de setembro de 2012) teremos 66 restaurantes participantes, com algumas novidades no cenário belo horizontino que mal podemos esperar para conhecer. Portanto, nas próximas semanas voltaremos ao nosso modelo mais frequente de postagens, colocando os estabelecimentos no site à medida que são visitados, para que vocês tenham a oportunidade de experimentarem os melhores menus que estão sendo servidos. Claro, se você tiver alguma sugestão de visita para o ONDEcomo, deixe seu comentário, mande um e-mail no ondecomo@gmail.com ou ainda entre em contato pelo Facebook ou Twitter especificando a casa que você sugere e o menu (almoço ou jantar). O valor dos menus é o mesmo da última edição: R$31,90 no almoço e R$43,90 no jantar, incluindo entrada, prato principal e sobremesa.

NOTA GERAL: 3.7/5

Menu JANTAR

Sobre o Oak:

O Oak foi um dos restaurantes que conhecemos devido ao Restaurant Week, em sua penúltima edição. O posicionamento estratégico e seu ambiente muitíssimo simpático, além da maravilhosa gastronomia são alguns dos elementos que realmente fidelizam clientes à casa. Nossas impressões à respeito da decoração e atendimento em geral podem ser conferidas aqui, em nossa primeira publicação sobre o estabelecimento. Vale dizer também que o Oak é um dos poucos estabelecimentos que prepara significativamente sua equipe para o festival, garantindo atendentes extremamente bem informados e um ritmo muito agradável para o menu degustação.

Gastronomia:

A casa é especializada em culinária contemporânea, contendo várias opções de massas, carnes, peixes e risotos em seu cardápio. O restaurante diversifica bastante seus pratos, contendo combinações diferenciadas e talvez até excêntricas, porém não muito exóticas, por assim dizermos. Ainda assim, é uma casa que não peca na execução, servindo sempre ingredientes selecionados e composições muito acertadas.

Entradas:

Espuma de feijão branco com bacalhau e azeite de tomilho: 4/5

A espuma era boa, deveras aerada e com sabores bastante complementares. O paladar do feijão branco era bastante presente e extremamente bem temperado com um belo fio de azeite de tomilho, dando um toque mais ousado ao creme. Sobre o conjunto era depositada uma pequenina porção de bacalhau e alguns raminhos de pirão que quebravam completamente o padrão, tornando o que poderia ser um prato muito linear, em uma deliciosa inconstância de sabores.

Polenta cremosa com Ragú de codorna, Champignon de Paris e Parma: 2/5

A polenta era boa, mas ainda assim questiono se a escolha de uma textura mais dura justifique a perda daquela sensação aerada do creme. Sua codorna era simples, bem feita e infelizmente combinada de maneira pouco inovadora. A sutil variação do prato fica por conta dos cogumelos e de seu parma que, de fato, elevavam o sabor da carne e compunham de forma agradável uma combinação “caseira”, pecando apenas em sua textura que, perdendo a oportunidade de dar um toque de alta gastronomia ao conjunto, servia o parma num ponto entre o cozido e o cru, e portanto, deixava de lado aquela sensacional atribuição crocante que a iguaria adquire quando devidamente assada.

Prato principais:

Filé em crosta de Pancetta com Pomme Rosti e molho tartufado: 4/5

Que carne, que textura, que crocância! Servida no ponto ideal, com seu cerne vermelho e as bordas mais firmes e amarronzadas, o filé dava o pontapé inicial para um sensacional prato. Sua crosta, excepcionalmente crocante, dava ainda mais sabor ao conjunto e fornecia uma inesquecível textura, além de quebrar o sabor padrão da carne, atribuindo um exótico paladar do diferente empanado. Essa delícia era muito bem acompanhada por uma espécie de panqueca-batata-rostie onde uma batata, parcialmente cozida, era ralada, prensada, frita e deliciosamente temperada – talvez até com certo exagero – com um punhado de alecrim. Tudo isso era ainda acompanhado de maravilhosos legumes salteados que combinavam muito bem com o conjunto até então pouco saudável.

Risoto de frutos do mar com espuma de ervas: 4/5

O risoto estava num ponto perfeito, al dente, e com a cremosidade ideal. Se vocês se lembram de nossa extrema rigidez com risotos, verão que esse é um quesito no qual o Oak realmente se destaca. Seu tempero era composto suavemente por açafrão, e depois acrescido de uma pequena porção de variados frutos do mar sobre o arroz. Do conjunto apenas dois destaques se mostravam infelizes, primeiro, o arroz era preparado separadamente dos frutos do mar, sendo apenas unido a estes durante a montagem do prato, desperdiçando a oportunidade de se utilizar como tempero o caldo desprendido pelos peixes durante seu preparo. Segundo, e igualmente importante, a completa ausência da descrita “espuma de ervas” deixava apenas no ar o questionamento: será que a casa havia se esquecido de adicioná-la em nosso prato ou será que a organização do festival se esqueceu de removê-la do encarte? No geral, um belo risoto, com seus tropeços, e talvez um certo exagero dos famosos mexilhões, mas ainda assim, um belo risoto.

Sobremesas:

Mousse de chocolate Belga, compota de cereja e Brownie de chocolate: 3/5

Com uma textura firme e aceitável, a chamada “mousse” mais parecia aquelas sobremesas prontas de hotel. Na verdade, o prato que foi apresentado em camadas, ganhava um visual moderno e descolado, mas perdia na mesma proporção a oportunidade de combinar suas diversas texturas. Com um brownie pouco crocante servindo como base, uma compota de cereja presente apenas para tentar, sem muito sucesso, quebrar o padrão, e uma considerável camada de chocolate meio amargo, a sobremesa não conseguia passar do bom, especialmente quando proveniente de uma casa que historicamente já deu a luz a combinações verdadeiramente sensacionais.

Seleção de profiteroles (paçoca, banana e mel e doce de leite com cappuccino): 5/5

Falando em sensacionais combinações, aqui temos uma bela comprovação de que o restaurante não perdeu seu espetacular jeito para as sobremesas. Eram 3 belíssimas unidades de profiteroles que pareciam enormes pães de queijo. Constituídos de uma massa artesanal, a combinação era a verdadeira amostra de um perfeito exemplar do doce, sequinho, estupidamente crocante e extremamente fino. Graças a seu preparo recente, a massa não endureceu ou ressecou, como é comum aos profiteroles, tornando cada mordida macia e afofada. Para completar aquelas que já me satisfariam apenas pela massa, as 3 unidades eram recheadas com cremes específicos e, ao serem servidas, eram dispostas sobre outra parcela de creme. Para duas delas, o creme do recheio era o mesmo que seu creme de base, enquanto para a outra, seu creme e seu recheio faziam uma clássica contraposição.

Para o primeiro exemplar, o recheio de paçoca era uma versão amolecida de um dos brigadeiros da casa. Muito gostoso, bem docinho e com sabor bem presente das sementes, o primeiro quitute reforçava o sensacional paladar daquele que certamente era o mais adocicado dos recheios. O segundo, de cappuccino, era muito bom, e lembrava agradavelmente um doce de leite extremamente carregado no café, ou melhor, um café engrossado no doce de leite. Por fim, o último profiterole, e o único com uma variação entre interior e exterior, era devidamente preenchido com um creme que acredito ter base de queijo e mel e disposto sobre outro creme de doce de banana, ambos simplesmente sensacionais, recriando e personalizando de forma elegante esta que é uma charmosa combinação de doces do estado.

Dicas:

O Oak realmente oferece carnes e risotos sensacionais e sobremesas dignas de um bis. Nossa dica para o festival é simples, peça, suplique, chore, para que você, assim como nós, também possam experimentar a sensacional seleção de profiteroles da casa, uma sobremesa teoricamente do menu de almoço que, certamente, merece o cargo de encerrar seu ótimo jantar!

post and review by Eduardo Boaventura e Path Tôrres

Anúncios

Uma resposta para “Oak – RW 2012, 2ª edição

  1. Indico o Verano, melhor dos 15 menus que experimentei nessa edição do restaurant week! O Verano prorrogou por mais 1 semana o menu promocional do evento!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s