Certame Pizza & Pasta – Donna Derna e Villa Roberti

Teve início no dia 1º de outubro o Certame Pizza & Pasta, um festival gastronômico italiano que promete deixar os mineiros por conta de visitar os 29 estabelecimentos participantes. São restaurantes, cantinas e pizzarias que figuram juntas em uma iniciativa da Câmara de Comércio Italiana de Minas Gerais, com o intuito de difundir não só a culinária, mas também a cultura do país em Belo Horizonte. Para participar basta adquirir o guia de cupons em qualquer estabelecimento autorizado, que garante 100% de desconto no prato do acompanhante. O festival vai até o final do mês, portanto corra para aproveitar o máximo do que há de melhor da comida italiana na capital mineira.

Donna Derna

www.donaderna.com.br
Rua Tomé de Souza, 1.343 – Savassi – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 3223-6954

Sobre a Donna Derna:

O Donna Derna é um tradicionalíssimo italiano de Belo Horizonte, há anos instalado na mesma esquina pouco movimentada da Savassi. Sua localização é excelente, próximo de tudo e ainda longe da bagunça. Mesmo assim, estacionar ainda pode ser um caos, já que a posição privilegiada é próxima a vários estabelecimentos que podem lotar com facilidade durante o dia e a noite. O ambiente do restaurante é bem clássico, lembrando um mini palácio graças à escadaria espiralada em mármore, ao altíssimo pé-direito e à fachada, que parece ser uma casa antiquíssima, provavelmente tombada, com um longo toldo verde à porta. Os garçons são altamente simpáticos e condizem totalmente com o posicionamento da casa. Educados, cordiais e solícitos, eles estão sempre oferendo algo ou apenas checando se está tudo bem em cada uma das mesas. O público mais antigo de Belo Horizonte já está fidelizado às maravilhas da Donna Derna, portanto não se espante se você se sentir jovem demais ao entrar na casa. Para o festival, o estabelecimento saiu um pouco do padrão e serviu delícias que são praticamente exclusividade dessa simpática esquina.

Delizie a Donna Derna (massa recheada em formato de rocambole com ricota, frango, presunto cozido e espinafre, gratinada ao molho branco e de tomate): 3/5

Composto por uma elegante e saborosa massa extremamente bem recheada, os poucos tubinhos eram mais que o suficiente para satisfazerem bem um pessoa. Com um recheio caótico e abarrotado de ingredientes, a presença principal se dava pelo exagerado volume de frango e ricota, oferecendo aos rocamboles um paladar simples e entediante, além de tornar seu presunto completamente invisível e deixar seu espinafre apenas como um levíssimo tempero ao fundo. Estrelando então com o papel principal, a ave não conseguia superar as expectativas, sua textura ressecada e sua completa ausência de um suculento paladar compreendiam um prato desperdiçado, onde apenas a ricota, igualmente sem graça, conseguia fazer frente ao seu robusto gosto. Para completar, uma pequena parcela de molho vermelho era individualmente adicionada sobre seus rolinhos, fornecendo um sabor extra agradável e uma textura terrosa ressecada que poderia ser evitada se este fosse acrescido ao prato apenas em sua etapa final da montagem. Poréns de lado, devemos assumir que o primor do conjunto ficava exatamente com sua base, seu estrondoso bechamel. Ridiculamente suave e de textura soberba, o molho era o acompanhamento perfeito para o conjunto mais seco, especialmente com o sutilíssimo tom trufado, provavelmente oriundo de algumas gotas de azeite ou de um toque de manteiga com a iguaria. Um prato definitivamente agradável, porém de conjunto não sensacional.

Villa Roberti

Av. Celso Porfírio Machado, 1.520 – Belvedere – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 2534-7714

Sobre o Villa Roberti:

Existe um fato muito relevante sobre o Villa Roberti ainda mais nítido durante o festival Certame. O restaurante não parece italiano. E, de fato, não é. Apesar de também servir dessa culinária, o estabelecimento é uma parrilla, um italiano e uma forneria, em um estilo cosmopolita bem continental. A casa é elegantérrima, com um tipo de luxo dosado de maneira ideal para impressionar os outros, formando o trio ambiente, localização e preço, uma combinação perfeita para aquelas pessoas que adoram ostentar. Seu ambiente amplo e arejado é perfeito para reuniões de negócios, buscando dar mais privacidade e liberdade aos clientes. Já visitamos o Villa Roberti antes portanto, caso queiram conferir nossas impressões oriundas de uma visita completa, basta clicar aqui. Vale dizer que, desde a nossa última visita (logo após a inauguração), o Villa Roberti evoluiu e muito. Seu atendimento passou do profissional para o modelo realeza, tratando os clientes como reais celebridades, de maneira extremamente cordial e simpática e em nada forçada. Sua culinária também saltou significantemente de um padrão cheio de tropeços para um agradável refinamento em seu preparo.

Capellini al pomodoro (massa fresca longa elaborada com molho tradicional de tomate fresco e manjericão): 5/5

O Villa Roberti optou por um prato simples e tradicional, escolhendo um minimalismo do qual admito ser muito fã. O diferencial de se escolher uma combinação clássica é ter total abertura para mostrar sua execução, já que seus paladares são tão bem conhecidos. É também uma chance de se ousar e colocar um pezinho para fora da caixa, utilizando um tempero diferenciado ou um ingrediente inusitado em uma combinação padrão. O capellini que, conforme pedido, estava num ponto al dente, era delicioso, tinha uma massa lindamente cozida, solta e com o molho perfeitamente incorporado, como se os dois pertencessem um ao outro. Seu sabor era presente, acentuado pelos vários tomates cereja bem distribuídos e muito bem feitos, dissolvendo na boca com sabor permutando entre o adocicado e o leve ácido da fruta. Tanto sua temperatura quanto seu visual eram soberbos, seu queijo polvilhado antes do prato vir à mesa se mostrava elegantemente derretido e sua textura aveludada e puxenta simplesmente atribuíam ao resultado uma sensacional brincadeira de sensações. Os únicos questionamentos eram oriundos da pequena porção de manjericão que, adicionados ao molho antes deste vir à mesa, acabavam perdendo um pouco de sua vistosa cor e sua textura mais rígida, e da nula intenção da casa de se mostrar soberana em sua gastronomia, oferecendo o clássico do clássico sem qualquer toque realmente diferenciado, exceto por seus muito bem selecionados ingredientes. Ah, e é claro, ficou o indagamento a respeito da opção de uma casa tão bem vista em temperar suas massas com muçarela, e não com um queijo mais duro e elegante como um bem produzido grana padano de vinte meses.

post and review by Eduardo Boaventura & Path Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s