L’Aperitivo Bottega

NOTA GERAL: 3.5/5

Rua Rio de Janeiro, 2101 – Lourdes – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 3337-7657

Localização e Ambiente: 5/5

Para quem conhece o antigo Braca Botequim, um bar em estilo carioca que coloria uma das esquinas de Lourdes, já sabe aonde encontrar o L’Aperitivo. O simpático espaço, inaugurado há apenas 8 meses, fica numa esquina movimentadíssima do bairro, bem no novo epicentro da esplêndida gastronomia boêmia de Belo Horizonte. Para quem conhece o bairro, sabe que Lourdes não é o lugar para cadeiras de plástico e copo lagoinha, e, ainda bem, o L’Aperitivo também passa longe desse estereótipo. Suas mesas ocupam toda a rua e parte de seu singelo interior, aproveitando o espaço de forma sensacional, e, claro, chamando a atenção de quem passa pelas redondezas. Um pouco diferente dos bares que conhecemos, a casa oferece um balcão de frios abarrotado de pastas e queijos e um segundo balcão de quentes com elegantes peças de carne já preparadas. Tudo ali pode ser escolhido à granel e cobrado por quilo, possibilitando então criar uma noite de petiscos pré-preparados ou um simples complemento para suas opções à la carte. Suas mesas são básicas, bem funcionais e pontuadas por alguns exemplares mais altos ou alongados, dando ao L’Aperitivo um estilo descolado que consegue ser defendido por seu cardápio. Aliás, falando em cardápio, vale o total destaque para a simpatia do design e acabamento do mesmo, com o padrão da casa formando uma bela estampa, e um estilo paisagem muito agradável de se folhear. O ambiente, no final das contas, ficou aconchegante e – pasme – elegante, tirando toda a impressão de se estar comendo, literalmente, na calçada.

Atendimento: 4/5

Com garçons ainda um pouco crus, provavelmente graças ao pouco tempo de casa, o destaque fica por conta de certa simpatia e presença. A agradável sensação transmitida pela casa é da completa disponibilidade e cordialidade de seus atendentes que, sempre dispostos a sugestões, opiniões, perguntas e ofertas, informam bem seus clientes para que eles mesmos possam tomar suas próprias decisões. Vale também um destaque pela habilidade da cozinha em manter um ritmo excelente durante toda a noite.

Gastronomia: 3.3/5

O belíssimo cardápio é recheado de aperitivos, massas e pratos principais, compondo o menu de um digno bar à italiana. As entradas são variadas, indo desde pães e carpaccio, até montagens com cogumelos e ovos empanados. Seus pratos são – na medida do possível – diversos, entre as massas da casa, risotos e combinações de carne e guarnições. Existem também algumas opções de sobremesa, que, graças a Deus, saem do basicão do petit gateau, e, é claro, o já descrito balcão de frios e quentes. Vale destaque para as várias páginas de drinks, estabelecendo a casa como um bom lugar para um elegante aquecimento de uma longa noite de sábado ou até mesmo como um ótimo ponto de encontro. O foco especial fica em sua especialidade, as belíssimas jarras de sangrias.

Arancines de açafrão com prosciutto di parma e queijo canastra: 3/5

A dupla de bolinhos era muito bem feita, e enclausurava um cremosíssimo risoto. Sua crocante casquinha, como é típico dos arancines, combinava divinamente com a suavidade do arroz, deixando uma agradável brincadeira de texturas no paladar. Com um gosto ligeiramente mais forçado que a expectativa, o açafrão impõe ao petisco um tom pesado e um pouco enjoativo, tendo tal padrão quebrado apenas por uma simpática e aceitável quantidade de parma e um formidável, porém extremamente reduzido, queijo canastra. Sua combinação de sabores então resultava num bolinho apenas ok, seja por seu empanado salgado demais, que infelizmente não combinava tanto com o paladar forte oriundo de certo tempero amarelado, ou pela quantidade reduzida do queijo, que desperdiçava a oportunidade de se brincar com diferentes texturas e amenizar os exagerados picos de sabor.

Ovos caipiras empanados na manteiga de trufas: 3/5

O prato que poderia ser servido numa versão mais, digamos, reduzida, era composto por nada menos que quatro deliciosos ovos caipiras. Empanados com a exata mesma casca salgada dos arancines supracitados, os ovos também mantinham suas características positivas, como uma textura crocante e uma superfície agradavelmente ressecada. Uma vantagem aqui, no entanto, era exatamente seu sabor mais temperado, que combinava muitíssimo bem com o recheio neutro dos ovos. A iguaria é servida num recipiente forrado com um tapete de um cheiroso molhinho branco com ervas e um suave toque trufado, que abraçava maravilhosamente os ovos, a infelicidade aqui é justamente pela incontestável simplicidade do prato que, muito pouco elaborado, dependia intimamente de seu cliente para escolher algum outro complemento que o transformasse numa bela pedida.

Cogumelos grelhados com grana padano crocante: 5/5

Composto por shitakes, shimejis e uma pequena porção de cogumelos paris, todos muito bem salteados, o prato não podia ser menos que uma delícia! A entrada tinha um gosto muito autêntico, um sabor terroso único da utilização parcial do caule dos fungos em seu preparo e um gosto digno de se comer de joelhos. Salteados de maneira elegante numa sutil manteiga, o prato exalava um cheiro forte e um sabor igualmente arrematador, seus cogumelos mais presentes mantinham o tom forte durante as garfadas enquanto a pequena porção de paris ajudava o conjunto apenas a se homogeneizar, criando uma variação de texturas únicas dos diferentes quitutes. Para completar a trinca de fungos, uma porçãozinha dum fino e frito queijo que conseguia completar o prato e criar picos de tempero formidavelmente equilibrados.

Gnocchi della casa ao pesto: 2/5

Em quantidade relevante, o nhoque tinha uma boa massa, muito macia e bem cozida sem estar mole demais. A sensação deixada pelas mordidas era de uma sutil adição de queijo à leve massa, criando um paladar agradável que combinava extremamente bem com seus possíveis molhos. O porém do prato fica justamente por conta de seu  tempero, o molho pesto, que, servido de maneira exagerada e numa proporção que tombava por demais para a quantidade extra de azeite utilizada, tornava a degustação algo enjoativo e bastante oleoso. Uma sincera pena, especialmente quando a casa poderia utilizar de tal potencial para servir menus executivos durante as tardes dos finais de semana.

Custo Benefício: 2/5

As entradas têm um bom preço para serem divididas, variando de R$20 a R$40 (exceto pela dupla de arancines, vendidas no par). Vale a pena também se servir do balcão, pagando pelo quilo, especialmente para aqueles que buscam maior variedade em seu início de noite. Os pratos custam R$28 para as massas e uma média de R$50 para as outras opções, enquanto suas sangrias ficam na faixa dos R$15 a taça. No final, o ticket médio para os aperitivos fica em R$50, sem alcóolicos, enquanto o jantar completo pode chegar aos R$80.

Dicas:

Programe-se para uma longa estadia, degustando aos poucos os aperitivos, e, caso queira jantar, seus belíssimos pratos. Vá com amigos, num estilo quanto mais melhor, aproveitem para dividir uma jarra de sangria e se divertir à vontade.

post and review by Eduardo Boaventura & Path Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s