Haus München

NOTA GERAL: 2.9/5

www.hausmunchen.com.br
Rua Juiz de Fora, 1257 – Santo Agostinho  Belo Horizonte – MG | Tel: 3291-6900

Localização e Ambiente: 3/5

Simbolicamente dividido em dois andares o Haus München consegue abrigar várias mesas em seu extenso salão, sendo funcional tanto para pequenos grupos quando para festas e eventos maiores. Tendo sua entrada simpaticamente decorada por um agradável acumulado de nichos de madeira, todos devidamente recheados de inúmeras garrafas de cerveja servidas pela casa, o estabelecimento deixa claro já em seu primeiro contato seus objetivos para com as tradicionais bebidas feitas de malte. Já mais internamente, o extenso salão abriga uma ala de pratos da boa lembrança, entidade à qual o Haus München é filiada, enquanto mais ao fundo alguns rechauds deixados de lado provavelmente abrigam um buffet para almoços. Estacionar dentro do tão dito período comercial certamente se mostrará como um desagradável caos, porém devido a sua localização distanciada do murmurinho padrão da capital sua rua acaba por se tornar tranquila à medida que a noite cai.

Atendimento: 3/5

A casa é relativamente grande e aceitavelmente bem povoada de garçons que, devido à estratégia de livre atendimento, conseguem manter uma agilidade interessante para uma equipe relativamente enxuta. O porém no entanto tem início na anotação de seus pedidos que, por ocorrência da mesma multiplicidade de pessoas capazes de atender, tem o mesmo número de funcionários capazes de lançar um produto no sistema, resultado numa frequente e indesejada duplicidade de pedidos e, consequentemente, certo retrabalho na conta. No geral a casa agrupa garçons solícitos e presentes, sempre simpáticos porém não muito amigáveis, um típico modelo de atendente que acaba por se afastar um pouco de seus clientes, transformando-se apenas numa ponte entre as mesas e a cozinha da casa. Uma pena, já que a casa perde a oportunidade de uma aprofundada interação e, consequentemente, uma mais efetiva fidelização de seus consumidores.

Gastronomia: 3.3/5

A casa alemã serve vários pratos típicos da cultura germânica, bem mesclados com elementos que agradam a todos os brasileiros. Temos portanto um cardápio amplo (disponível inclusive em um tablet) com petiscos locais e alemães, para que as pessoas possam variar e escolher o que mais apetecer. São inúmeras entradas e aperitivos para serem divididos, entre batatas, salsichas, pães, e também pratos individuais para um jantar completo.

Salsicha pingüim grelhada ao curry, batata assada com maçã, alho e alecrim: 3/5

Salsicha pingüim grelhada ao curry, batata assada com maçã, alho e alecrim

Uma salsicha deliciosa, bem vermelha e com textura firme. Na verdade a melhor das salsichas da casa experimentadas durante nossa visita, que conseguia trazer um gosto marcante (principalmente para essa categoria de alimento, que costuma ser relativamente aguado) mantendo sua tão tradicional textura gelatinosa. Estando extremamente bem temperada e com uma formidável capa sutilmente enrijecida, que agradava e agregava muito às mordidas, sua salsicha muitíssimo bem composta era o brilho de um prato simples e pouco criativo. Para acompanhar o embutido uma batata assada com maçãs cumpria um papel digno de uma ótima combinação para as salsichas, já que o gosto mais adocicado e cítrico da maçã combinava muito bem com seu sabor, porém não surpreendia devido a uma pouco relevante e extremamente batida união. Para completar o prato um não muito bem dosado molho à base de mostarda e curry, que apesar de seu casamento muito bem estabelecido com sua carne, pecava de maneira grave em seu volume exagerado, especialmente quando a iguaria já vinha à mesa misturado em seu suporto acompanhante, impossibilitando uma harmônica relação entre suas quantidades. Outro deslize, e aqui um muito mais grave, dizia em relação à temperatura morna – quase fria – do prato, que no mínimo gerava certos suspiros de desapontamento em qualquer pessoa minimamente criteriosa.

Combinado Haus München: 3/5

Combinado Haus München

O combinado que levava o nome da casa era um conjunto de especialidades, com dois diferentes tipos de salsicha, uma batata e uma porção de joelho de porco. Uma de suas salsichas era a pinguim, supracitada, deliciosa e muito bem preparada, dessa vez sem o exagero de mostarda ao curry previamente destacado. A outra, uma salsicha branca, era mais macia que sua parceira avermelhada, com uma textura um pouco mais granulada e bem mais úmida, também se portava como um bom par para a mostarda escura que veio à mesa. Completando a trinca de carnes o clássico joelho de porco, sempre sensacional, desfiando ao menor toque do garfo e derretendo no primeiro toque à língua. Para finalizar o teórico combinado de carros chefes da casa simpáticas batatinhas assadas e temperadas com um estilo de caramelo de balsâmico que, infelizmente, e como o restante do prato, mantinham o padrão vivenciado na opção supracitada de uma muito desagradável temperatura morna.

Apfel strudel: 4/5

Apfel strudel

Uma sobremesa normal que em seus detalhes conseguia se destacar frente à expectativa. Primeiramente por alguma opções de customização oferecidas pela casa, ficando a título do cliente escolher se a torta será servida quente ou fria, e se acompanhada de chantilly ou sorvete. Seguidas pela oportunidade muito negligenciada na capital mineira, e em geral em todo o Brasil, de servir suas sobremesas acompanhadas de um muito bem selecionado creme, e não de um entediante sorvete. Escolhemos então o tradicional austríaco, torta quente com chantilly. Chantilly, inclusive, que se mostrou a mais deliciosa surpresa da noite, aparentemente artesanal, com um sabor formidável, sem um forte gosto de ovo (como é comum no chantilly barato), e numa consistência muito boa, firme e aveludada. O resultado então era um prato finalmente quente e muitíssimo bem adocicado, com lâminas altas de maçã que permitiam com que a textura gelatinosa da fruta contrapusesse a leveza das folhas de massa, e é claro, seu soberbo chantilly.

Custo Benefício: 2/5

A casa é cara, muito cara. A sensação é de visitar um verdadeiro estabelecimento alemão que mesmo no país do samba gera suas contas em euros. Os pratos, por menores que sejam, não custam menos que R$40, mesmo para seus petiscos, se mantendo numa faixa muito semelhante a de bares extravagantes da capital, coisa que o Haus München sinceramente não é. Existem no entanto um par de opções sazonais oferecidas pela casa com preço aceitável, que podem tornar a noite muito mais satisfatória (como a salsicha pinguim com batatas, que custava apenas R$16,90 e vinha acompanhada de uma cerveja long neck). Ainda assim uma casa de valores exorbitante (inclusive o strudel, que custava R$23, extrapolando inclusive o preço dos restaurantes mais caros da cidade). O ticket médio não fica abaixo dos R$50, isso com porções rateadas e sem as celebradas cervejas.

Dicas:

Vá em grupo e de preferência sem muita fome, para petiscar um pouco e só. Ainda que de valor elevado, nossa dica fica por conta do strudel, é claro servido quente e com chantilly. Ah! E lembrem-se de chegar cedo, já que apesar de grande, o estabelecimento é líder em variedade de cervejas em minas, e portanto, lota.

post and review by Eduardo Boaventura & Path Tôrres
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s