Più Pizza & Birra – RW 2013, 2ª edição

Em sua segunda edição nesse ano, o Restaurant Week traz 29 opções para almoço e 47 opções para jantar em uma seleção de variadas casas da cidade. O festival acontece entre os dias 26 de agosto e 8 de setembro, mantendo seu menu degustação (entrada, prato principal e sobremesa) com o preço de R$34,90 para a opção diurna e R$47,90 para a noite. Vale lembrar que esse ano, sabe-se Deus porque, existe um tema na Week: “Frutas e Flores”, portanto os menus deverão ter sua criatividade um pouco mais canalizada para cumprir este novo desafio. Durante o festival, nos manteremos dentro de um modelo mais simples de publicações para que vocês possam conferir o maior número possível de casas. Caso vocês desejem que visitemos algum restaurante específico do festival, deixe seu recado ou mande um e-mail para ondecomo@gmail.com, e não se esqueça de falar qual menu (noturno ou diurno) você gostaria que fosse avaliado.

NOTA GERAL: 1.5/5

Menu ALMOÇO

Sobre a Più:

A Più Pizzaria é uma casa tradicional em BH, com uma localização mais que privilegiada, bem no pólo gastronômico do refinadíssimo bairro de Lourdes. Seu ambiente é bem organizado, de maneira a acomodar o maior número possível de mesas sem afetar substancialmente a circulação das pessoas entre elas. Com uma decoração simples e pontual, que ao longo dos anos foi se tornando sutilmente caída e remendada, a casa mantém um atendimento presente e educado, capaz de eclipsar muitos defeitos ali presentes e, geralmente, tornando sua visita uma agradável experiência.

Gastronomia:

Para o week, a casa resolveu demonstrar que não só de pizzas é feito seu cardápio, colocando as asinhas de fora para um menu composto por saladas, peixes, carnes e até mesmo cafés. Seu passo foi rápido e pontual, num estilo quase londrino de ser, exibindo um controle de tempo digno de um elaborado menu degustação.

Entradas:

Antepasto mediterrâneo: 2/5

Antepasto mediterrâneo

A entradinha simpática era como se fosse um couvert, montada com azeitonas, muçarela de búfala e tomatinhos cereja. Praticamente não havia preparo algum em nenhum desses itens, exceto por um confit de tomates simplista e uma conserva de alcachofras que provavelmente já fora comprada assim. O resultado era então apenas digno de um desapontado suspiro, especialmente quando tudo era acompanhado pela massa de pizza da casa completamente destemperada, criando uma combinação apenas aceitavelmente complementar e, consequentemente, distante de uma boa entrada.

Maionese de peito de peru e maçã verde: 1/5

Essa sim era uma entrada feita pela casa, e nos fazia ponderar se não era melhor voltarmos atrás. O prato era um amontoado de paralelepípedos de maçã verde, completamente besuntados numa maionese benzida com uma porção exagerada de creme de leite. Seu peito de peru, que também vinha intitulando o prato, se mostrava presente apenas numa amostra grátis, podendo ser chamado de decoração, graças à sua escassa quantidade e ao paladar completamente predominante da maçã. O resultado era um terror, com sabores completamente desconexos sem qualquer sentido, tendo apenas para vislumbrar um lado bom a textura característica da fruta.

Pratos principais:

Texas T-bone steak: 2/5

Texas T-bone steak

O menu, como podem ver, falha em explicar os pratos corretamente. Talvez isto possa ter ocorrido por um erro da organização do festival, ou talvez dos membros da pizzaria, mas o resultado do prato, explicado ou não, era o que importava, afinal, nada como um bate papo com qualquer um dos simpáticos garçons do estabalecimento para descobrirmos como era a montagem do prato. Voltando então ao que interessa, o t-bone steak vinha bem acompanhado de um saboroso barbecue (que ouso arriscar ser daquela famosa marca de catchup recentemente adquirida por um grupo brasileiro), acrescido de algum molho de pimenta muito suave. Pareando a carne ao lado do simpático molhinho terceirizado, havia também uma meia dúzia de palitos de polenta congeladas de supermercado. Por fim, um prato completamente desconexo, digno de um restaurante ruim de supermercado onde todo o insumo deve ser proveniente de suas prateleiras, resultando numa carne um pouco mal passada demais, num molho processado e, infelizmente, num amontoado de polentas igualmente decepcionantes.

Linguado ao champanhe com uva-rubi: 1/5

Linguado ao champanhe com uva-rubi

Novamente, nos questionamos qual seria o acompanhamento desse peixe que, no caso, era uma agradável mistura de arroz branco e arroz vermelho, talvez a única estrela do almoço. O conjunto era formado por um linguado completamente destroçado, em volume digno de risos que, provavelmente, era apenas um amontoado de restos de um peixe. Tudo era temperado por um molho teoricamente de champagne (digo teórico pois, apesar de saboroso, faltava o gosto da bebida) e um amontoado de uvas que, futuramente, comporiam nossa sobremesa. Como cereja do bolo deste amontoado de tropeços, sua temperatura estava bem abaixo do agradável, num morno quase frio capaz de derramar lágrimas até dos mais esfomeados. Se da carne só temos lamentações, é do arroz que temos, finalmente, uma razão para sorrir. A mistura de grãos era ideal, formando um amontoado de duas cores onde o sabor clássico e apagado do arroz branco era elegantemente temperado pela complexidade do vermelho, deixando diferentes texturas e sensações a cada mordida. Uma verdadeira pena que apenas o acompanhamento tentava levantar este prato completamente arrasado pelo ingrediente título.

Sobremesas:

Uvas flambadas: 1/5

A sobremesa era, como posso dizer, uvas – como as do peixe (lembram-se?) -, acompanhadas de um quinto de bola de sorvete que sequer fora conformada como uma elegante quenelle. O prato era um perfeito exemplo de como um menu degustação de restaurantes de primeira começa e termina, tendo seu último prato relembrando de alguma forma seu primeiro prato. O porém aqui era que este último exemplar nos lembrava de nosso primeiro prato justamente pela mesma decepção avassaladora das entradas, nos fazendo verdadeiramente questionar do porquê desta completa decadente casa da cidade ainda existir. Uma sobremesa feita de simples uvas brancas (não flambadas!) acompanhadas de uma patética fração de bola de sorvete yopa e um caramelo rançoso pouco elaborado era o ponto perfeito para terminar o menu de muitos com uma piada.

Affogato al caffè: 2/5

Affogato al caffè

A outra opção de sobremesa da casa era um clássico que, geralmente, não é servido como uma sobremesa. O Affogato consiste numa porção de sorvete completada por uma dose de expresso e algum crocante, geralmente raspas de chocolate. No copo em questão tínhamos uma bola de sorvete, muito semelhante àquela servida em nossa outra sobremesa, uma dose do mais digno café de cápsula e um amontoado de castanhas picadas. Outra sobremesa que nos deixou com um gosto amargo na boca, não pelo café, mas pela completa falta de cuidado e elaboração muito presentes em todos os demais passos do menu. Mais uma, e desta vez felizmente a última, piada de um triste almoço.

Dicas:

Aproveite o estabelecimento fora do festival, vá para comer pizzas, tomar cerveja e principalmente, se divertir com amigos. Para a week, a casa é um perfeito exemplo de economia, de pratos sem qualquer preparo que são apenas montados na casa.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s