Parrilla Los Hermanitos

NOTA GERAL: 3.3/5

Rua Lavras, 914 – São Pedro – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 3245-8077

Localização e Ambiente: 3/5

A grande parrilla é localizada no alto do bairro São Pedro, em uma parte puramente residencial e, portanto, bastante silenciosa e tranquila. Seu ambiente é situado em uma casa antiga reformada, com muros de pedra num estilo modernista quase Niemeyer de ser, com direito a passarelas suspensas e salões arredondados. Sua decoração se mantém no clássico levemente entediante de todos os estabelecimentos argentinos da cidade, abarrotada de flâmulas dos times hermanos e com paredes recheadas de quadros de Maradona, Messi e é claro, de tango. Seu ambiente é dividido em partes externa e interna, com salas extremamente amplas e mesas largas, distribuídas ao longo de um espaço com múltiplos níveis.

Atendimento: 4/5

O atendimento da casa é bem estruturado. Não são muitos garçons e garçonetes, porém eles têm espaços bem definidos e ficam sempre ao redor das mesas que atendem, notando cada aceno sutil de seus clientes. Nossa garçonete entendia muito bem do cardápio e do sistema de funcionamento da casa (que no dia, sabe-se Deus por quê, oferecia rodízio de pizzas e um menu degustação), podendo nos explicar com maestria os pratos e, é claro, fazendo sugestões e tornando nossa noite mais que agradável.

Gastronomia: 3.3/5

O restaurante é uma Parrilla, que provavelmente na tentativa de atrair mais clientes também se tornou uma pizzaria nas quintas-feiras. Ignorando então este dia especial (uma vez que as pizzas são as mesmas da Pizza Sur, que vocês podem conferir aqui), e nos mantendo na carta padrão da casa, encontramos no cardápio empanadas, bifes de chorizo, vacio, linguiças e várias outras carnes típicas, bem acompanhadas do clássico chimichurri e das mais variadas guarnições.

Entradas:

Empanada criolla (carne cortada a faca com cebola e ovo): 4/5

Empanada criolla e roquefort com aipo

A empanada era a mesma que provamos na Pizza Sur, um bom exemplar da tradicional entradinha argentina. A massa era boa e muito parecida com a dos hermanos, porém não exatamente igual. A maior probabilidade dessa diferença está no uso da farinha brasileira, um pouco menos selecionada (para não dizermos de pior qualidade) que a farinha argentina. Seu recheio era muito gostoso, porém neste caso estava servido em proporções não ideais, com ovo em demasia e carne em falta. Além disso, sua carne infelizmente não estava tão saborosa, com seu aspecto um pouco ressecado e tempero por demais sutil. Ainda assim o resultado era ótimo, dando sabores clássicos e bem distribuídos a uma excelente empanada.

Empanada roquefort e aipo (aipo, roquefort e muçarela): 4/5

Uma empanada de recheio diferenciado e acertado, com uma combinação simples mas nem sempre tão comum para os brasileiros. O resultado era delicioso, especialmente pela inteligente opção de combinar um par de queijos macios que derretiam praticamente à mesma temperatura, proporcionando uma textura uniforme e um sabor mais suave perante à força as vezes enjoativa do exemplar azul. Para completar um aipo presente em quantidade considerável que, um pouco apagado próximo aos queijos, conseguia de forma vacilante atrair certa atenção à si.

Linguiça com chimichurri: 5/5

Linguiça com chimichurri

A lingüiça era boa, seu corte alongado ajudava a intensificar o sabor e seu modo de preparo permitia criar uma leve crosta que era simplesmente um delírio. Para acompanhar um chimichurri apenas gostoso, de textura líquida demais e paladar por demais avinagrado. Ainda assim, e apesar de tudo, o pequeno potinho e seu sabor talvez exagerado de vinagre combinava muito bem com a a carne aqui servida, uma vez que as linguiças da casa eram fortes e conseguiam em meio a toda a confusão de sabores manter sua supremacia.

Pratos principais:

Vacio (fraldinha) com nhoque Alfredo: 3/5

Vacio (fraldinha) com nhoque Alfredo (2)

A carne era boa e tinha um leve gosto defumado, deixando como seu porém o detalhe desta ser preparada já fatiada, e não como uma alongada peça, atrapalhando assim sua suculência. De qualquer forma, o resultado não decepcionava, suas porções eram saborosas e seu ponto, apesar de tudo, correto. Acompanhando a carne um nhoque já não tão agradável assim, de textura por demais amolecida muito próxima de um purê de batatas com um leve sabor de farinha. Para completar um molho Alfredo apagado, de paladar monótono e por demais forçado para um queijo infelizmente poluído por uma porção avantajada de creme de leite. No geral um prato bom, que poderia ser sem muito esforço algo sensacional.

Bife de chorizo (aprox. 260g de bife ancho argentino, acompanha molho chimichurri, batatas rústicas e arroz branco): 2/5 

Vacio (fraldinha) com nhoque Alfredo

A carne estava deliciosa, seu ponto ia um pouco além do “ao ponto” requisitado, mas felizmente não chegava ao bem passado. Assim como no Vacio, seu gosto defumado era altamente relevante, e sua combinação com o chimichurri era boa, mais pelo toque apimentado do molho do que pelo molho em si, uma vez que o molho aqui utilizado era exatamente o mesmo das linguiças que, como já citado, tinha sabor forte de vinagre e atrapalhava um pouco a suavidade da carne em questão. Para acompanhar um completamente perdido arroz, que apesar de trazer um toque brasileiro simplista, não deveria existir dentro de uma combinação de qualquer cozinha mais elaborada. Para completar um amontoado de batatas rústicas extremamente oleosas e levemente queimadas.

Sobremesa:

Flan caseiro argentino com doce de leite: 2/5

Flan caseiro argentino com doce de leite

Queimado, de gosto ingrato e textura ineficiente, a sobremesa era uma infeliz finalização para qualquer noite. Toda sua superfície inferior estava preta como um carvão, contaminando qualquer parte do flan que entrasse em contato com esta de um paladar forte e desagradável. Ainda assim, e para nossa felicidade, tal camada era fina e fácil de ser isolada, deixando boa parte, para não se dizer praticamente toda a sobremesa, digna de degustação. Para acompanhar um par de mini confeitos de doce de leite argentino deliciosos, que ajudavam consideravelmente a elevar a sobremesa e quase nos fazer esquecer de seu tropeço inicial.

Custo Benefício: 3/5

Os pratos ficavam na faixa dos R$40, com empanadas por R$6 e entradinhas em geral na faixa dos R$15. O menu “executivo” servido pelo estabelecimento vale realmente a pena, sendo muitíssimo bem servido e se mantendo num preço módico de R$39,90. Sem essa opção, o ticket médio fica na casa dos R$60, caro para uma comida não tão elaborada e com algumas pontas soltas.

Dicas:

Prove as carnes tradicionais, como o vacio e o chorizo, e não se esqueçam das linguiças! Assim como em seu estabelecimento irmão, a parrilla oferece uma variedade de empanadas realmente satisfatórias. Uma pena, e digo realmente com pesar, que no geral os acompanhamentos de todos os pratos não fizeram jus às carnes servidas, tornando esta que poderia ser uma excelente casa apenas numa boa opção.

post and review by Eduardo Boaventura & Path Tôrres
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s