Vila Rica – Don Carlo

NOTA GERAL: 2.8/5

www.grupovilarica.com
Avenida Fleming, 900 – Santa Terezinha – Belo Horizonte, MG | Tel: (31) 3646-9946

Localização e Ambiente: 4/5

No coração do pólo gastronômico da Pampulha foi recentemente aberto um modelo de negócios típico de cidades turísticas. A Vila Rica é um espaço amplo que reúne vários estabelecimentos gastronômicos, semelhante a um Beco das Cores (Arraial D’Ajuda) ou mesmo a uma Rua das Pedras (Búzios), porém em menor escala. São cerca de 5 casas com diversas especialidades, entre pizzas, sucos, cervejas, culinária japonesa, feijoada e até mesmo um bistrô ítalo-francês. Sua ambientação busca inspiração no tema bucólico e romântico das vilas, se assemelhando aos becos estreitos de algumas cidades da Europa ou às ruelas do interior de Minas. Seu funcionamento se assemelha a uma praça de alimentação, ou seja, pode-se sentar em qualquer lugar da ala central e escolher de onde se servir para jantar, sendo possível inclusive que as pessoas da mesa comam de lugares diferentes. Sua única exceção fica por conta do bistrô, que tem um área mais reservada e um estilo mais intimista. Durante nossa visita escolhemos o italiano Don Carlo, após uma bela propaganda feita por um dos idealizadores do local, que nos contou um pouco do histórico do pizzaiolo.

Atendimento: 1/5

Recém-inaugurado e já focado em um público amplo e curioso, a vila dispõe de anfitriãs que apresentam cada uma das casas de forma alegre, deixando o cliente deveras em dúvida sobre onde comer. Uma pena, no entanto, era a evolução da noite a partir daí, uma vez que apesar duma ótima recepção cheia de sorrisos, o atendimento decaía drasticamente a partir de então. Com um ambiente amplo e consideravelmente dividido, a enxuta equipe de garçons se mostrava falha, parte pela divisão estranha de seu atendimento, onde casa casa obrigatoriamente tinha seus próprios atendentes que, durante o elevado movimento, não conseguiam suprir as necessidades de todos os clientes e sequer sabiam distinguir quais eram as mesas referentes ao seu restaurante. O resultado então era uma confusão generalizada, acarretando num atendimento por demais espaçado, lento e completamente confuso, digno de um ambiente pouco consolidado e processos mal definidos.

Gastronomia: 3.0/5

O cardápio da pizzaria é extenso, contendo entradinhas (entre brusquetas, crostinis e paninis, por exemplo) e pizzas, divididas em tradicionais e especiais. Como já podemos considerar habitual dentro da capital mineira, a casa não oferece nenhuma pizza verdadeiramente diferenciada em qualquer uma das categorias, deixando seus clientes presos às opções clássicas que todos já conhecemos.

La Portoghese (molho de tomate, mozzarela especial, pimentão, azeitona preta azapa, presunto cozido, ovo cozido e orégano): 2/5

La Portoghese (molho de tomate, mozzarela especial, pimentão, azeitona preta azapa, presunto cozido, ovo cozido e orégano)

Começamos pela clássica portuguesa, uma opção geralmente farta de inúmeras possibilidades que permite a casa a aplicar pequenas (e muito bem vindas) variações de seu próprio estilo dentro do sabor em questão. Fomos no entanto surpreendidos por um exemplar bagunçado, mal montado e de proporções contestáveis. A pizza em questão tinha fundamentos fracos, iniciando pelo seu molho de tomate nada artesanal, aguado e sem sabor presente da fruta e passando então para uma massa de receita clássica que, sem a adição de muitos ingredientes tenta agregar ao conjunto o paladar único da farinha utilizada em sua receita. Uma verdadeira pena, no entanto, era a escolha da casa em utilizar uma farinha tipo 01 (normal brasileira) numa receita onde o diferencial se tornava justamente a qualidade desta, criando uma massa sem sabor, por demais simples e até ignorável dentro de seu conjunto. Para completar o prato um queijo bom (não exatamente especial como descrito), que não soltava muita gordura nem se tornava enjoativo quando derretido; um presunto quase inexistente, um exagero de pimentões e ovos. O resultado, parte pelo paladar e parte pela apresentação, parecia o de uma pizza delivery, onde o motoqueiro – tentando cumprir com o horário – aplicou manobras radicais em seu trajeto, bagunçando todos seus ingredientes ao longo do caminho. Uma pena que, neste caso, nossa mesa se encontrava facilmente a uma dúzia de passos do forno da casa.

La cinque formaggi (molho de tomate, mozzarela especial, gorgonzola, parmesão, catupiry e brie): 2/5

La cinque formaggi (molho de tomate, mozzarela especial, gorgonzola, parmesão, catupiry e brie)

A pizza de quatro queijos (bom, nesse caso, 5) é uma das que usamos para balizar a qualidade de uma pizzaria, parte pela sua simplicidade, que permite sentirmos o sabor de cada um dos ingredientes, e parte pela importância de se dosar bem as proporções dos queijos, criando um disco pouco enjoativo mas de sabor verdadeiramente diferenciado, gerando assim aquilo que chamamos de um exemplar perfeito para se dizer muito a respeito da casa. Montado a partir da mesma massa sem graça e do mesmo molho de tomate ingrato, o disco, sem tirar nem por, era completamente sem graça. Nenhum de seus queijos conseguia completar uns aos outros, transformando a pizza num quente amontoado de gordura. Seu parmesão era imperceptível, seu catupiry sequer existia e, para completar, a economia do brie, faziam da peça um verdadeiro exemplar de muçarela temperada eventualmente por gorgonzola.

La trevisana (molho de tomate, mozzarela especial, linguiça picante, radicchio de Treviso, gorgonzola e manjericão): 3/5

La trevisana (molho de tomate, mozzarela especial, linguiça picante, radicchio de Treviso, gorgonzola e manjericão)

Nossa primeira pizza especial chegou à mesa como se fosse um grande monte de cebola, graças ao aspecto da chicória fatiada. Seu sabor, no entanto, garantia a presença de outros integrantes, com uma boa calabresa e um leve toque de gorgonzola. O conjunto funcionava bem, com o amargor da chicória completando o picante da calabresa, compondo também um excelente jogo de texturas e um sabor muito bem definido. Ainda assim, e apesar de tudo, haviam tropeços, principalmente pela inexistência do manjericão, que certamente adicionaria certo frescor ao conjunto. O resultado então era um disco que não surpreendia e infelizmente mantinha todos os problemas de fundamentos que os demais sabores até então apresentavam.

La premiata (molho de tomate, mozzarela especial, parmesão, brie, champignon trifolati, presunto de parma e manjericão): 4/5

La premiata (molho de tomate, mozzarela especial, parmesão, brie, champignon trifolati, presunto de parma e manjericão)

A última e felizmente a melhor das pizzas da noite! De paladar simples e surpreendentemente gostoso, a nomeada Premiata era a primeira pizza servida que conseguia verdadeira harmonia entre seus ingredientes. Suas generosas fatias de brie atribuíam ao todo um sabor único e uma textura perfeita, especialmente para este caso onde ele conseguia com sucesso suprimir sua muçarela sem graça, além de casar muitíssimo bem com seu presunto parma. Parma que, apesar de um pouco velho e de baixa cura (adjetivos geralmente atribuídos a uma carne de qualidade contestável), conseguia compor com extrema eficiência uma pizza mais elaborada. Não esquecido, seu manjericão como sempre era delicioso, dando toque final para esta que felizmente nos fez sair da casa com um sorriso na boca.

Tiramissú: 4/5

Tiramissú

Na verdade estávamos decididos a ir embora sem sobremesa, mas como é difícil resistir a um doce decidimos arriscar. O Tiramissú, para nossa enorme surpresa, era bom, de fato bom! O doce, feito num tabuleiro e depois dividido em fatias individuais, era gostoso, simples e correto. O pedaço do todo servido na ocasião tinha um paladar fino e fresco, especialmente fresco, com gosto de café na medida – de forma que não amargasse o doce mas não se tornasse ignorável – e um creme pâtissière (ok, nada do caro mascarpone) de primeira, perfeito para completar o conjunto de um doce agradabilíssimo.

Custo Beneficio: 3/5

As pizzas ficavam em torno dos R$40 e apesar de terem o tamanho padrão médio de 6 fatias são divididas em apenas 4. Talvez  uma unidade fosse insuficiente para 2 pessoas, pedindo uma entradinha ou petisco pré-jantar. O ticket médio acabava na casa dos R$40, um valor ok, talvez até um pouco caro para o padrão de atendimento e gastronomia oferecidos.

Dicas:

Se morar na região vá conhecer a simpática Vila Rica, sempre dando preferência para um horário de baixo movimento, uma vez que o atendimento simplesmente se torna impossível à medida que o ambiente lota.

post and review by Eduardo Boaventura & Path Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s