Si Señor

NOTA GERAL: 2.8/5

www.sisenor.com.br
Rodovia BR 356, nº 3.049 – Nível 3, BH Shopping – Belvedere – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 3264-1646

Localização e Ambiente: 3/5

O clássico restaurante do estilo tex-mex mais recentemente inaugurado na capital mineira se encontra dentro do BH Shopping, se posicionado assim – como todos seus semelhantes – na categoria family style, onde a casa opta por buscar grandes grupos de clientes que possam ratear seus pratos. Localizado ao lado de um fliperama e no andar de gastronomia mais “elaborada” do Shopping, a casa tem ambiente aberto para a movimentação tradicional do shopping, não se preocupando muito em se transformar numa casa mais afastada do caos tradicional do centro de compras. Seu espaço sutilmente apertado é sem dúvidas confortável, com música ambiente e um bar central para confecção de drinks e outras bebidas. O destaque da casa então passa para os pequenos detalhes de acessórios e guardanapos, onde um ar irreverente e divertido domina com variadas tipografias e desenhos.

Atendimento: 2/5

Como fomos num almoço de domingo, dia que realmente não recomendamos visitar o shopping, tivemos que enfrentar uma pequena fila numa conturbada casa. O resultado, em meio a todo aquele movimento, era claro, apontando preocupante ausência de organização de toda a casa. Essa desorganização tinha início em sua recepção, falhando em montar um simples fila de espera e consequentemente chamando clientes aleatórios para cada uma das mesas liberadas no interior da loja, passando para seus garçons que, dentro de uma correria constante, se confundiam dentro dos variados pedidos de suas mesas trazendo pratos de forma desordenada, pedidos de outras mesas e até mesmo pedidos errados até seus clientes; e, por fim, talvez milagrosamente, uma conta correta, onde nenhuma das confusões previamente citadas foram transferidas para a última etapa da refeição.

Gastronomia: 3.0/5

A comida, como falamos, é no famoso estilo Tex-Mex, a fusão da gastronomia típica do sul estadunidense com o tempero mexicano. No cardápio se encontram fajitas, burritos, tacos, nachos além dos mais variados molhos apimentados em combinações extremamente divertidas.

Texas trio (6 buffalo wings, 6 onion rings e 3 potato skins com molho creamy barbecue): 3/5

Texas trio (6 buffalo wings, 6 onion rings e 3 potato skins com molho creamy barbecue)

Começando pelos destaques, as buffalo wings (tradicionalmente, asinhas de frango com molho picante) da casa eram de fato gostosas, cobertas num ótimo molho e servidas numa quantidade ótima (até mesmo para um prato onde o objetivo é experimentar um pouco de cada uma das especialidades do estabelecimento), porém devemos ressaltar que seu molho, levemente adocicado e com sabor presente de carne, não era em nada apimentado, se distanciando do molho buffalo clássico americano e se aproximando do nosso conhecido barbecue. Uma troca estranha que funcionava de maneira extremamente agradável, transformando as pequenas peças de frango na melhor surpresa do conjunto. O prato continuava então pelas igualmente clássicas potato skins, batatas cortadas ao meio com sua casca, onde um pouco de seu cerne é removido para abrir espaço para algum recheio cremoso, que aqui se constituía primordialmente de uma pasta de queijo, ervas e bacon, completando a batata de maneira eficaz e atribuindo a esta uma nova textura agradável. Uma pena a utilização de queijo fundido processado com sabor, e não de algum exemplar não industrializado da iguaria. Para finalizar, uma porção de onion rings (anéis de cebola empanados) substancialmente ignoráveis, principalmente pelo seu empanado engordurado e pouco crocante, algo anos-luz daquele visualmente prometido pelas foto institucionais do cardápio. Para acompanhar, um molho ralo e agradavelmente temperado que ia bem com tudo, principalmente pelo seu toque de limão, e não pelo teórico sabor de churrasco.

Chili com carne (frijoles e carne temperada servida no tacho de ferro fumegante. Acompanha salsa caliente, queijo e jalapeño): 3/5

Chili com carne (frijoles e carne temperada servida no tacho de ferro fumegante. Acompanha salsa caliente, queijo e jalapeño)

Diferente das teoricamente apimentadas buffalo wings, o clássico chilli com carne era de fato regado na pimenta, conseguindo seguir com a tradição e formando um prato bom e bem temperado. Dotado de um volume consideravelmente maior, a porção do mais clássico combinado de carne, pimenta e feijão era acompanhada de inúmeros nachos também temperados com pimenta. Nachos à parte, o chili com carne da casa pecava em alguns quesitos básicos, de sua textura esmiuçada muito semelhante a de uma papinha, perdendo a oportunidade de se criar alguns grãos tanto dos feijões quanto da carne, à sua pimenta que, acredito eu, ser apenas um acréscimo de algum molho de pimenta pronto, deixando todo o sentimento deste excelente prato – onde seus ingredientes se completam com sabores adocicados e apimentados – completamente de lado. Seu resultado então era apenas ok, uma vez que sua pasta combinava com sucesso à seus belos nachos crocantes tão mexicanos. Um prato que a casa deveria servir em menor escala, talvez para acompanhar outras carnes e pães, uma vez que tanto sua carne quanto seus feijões não ganhavam qualquer merecedor destaque.

Fajita de filet mignon com molho tex-mex (salsa fajitas com pimentão e cebola salteados, cobertos com queijo): 4/5

Fajita de filet mignon com molho tex-mex (salsa fajitas com pimentão e cebola salteados, cobertos com queijo)

Um dos carros chefes da casa tinha carne boa e resultados ótimos, mas ainda assim tropeçava em alguns detalhes. Se a qualidade do filé utilizado era de fato merecedora de destaque, a opção da casa em servir-lo fatiado em iscas colossais não merecia tanta aclamação, tornando o prato complicado de se comer e chato de se lidar. Sua carne era também servida numa panela à temperaturas não inferiores às magmáticas, queimando seu molho de maneira agressiva e impregnando todo o estabelecimento de um cheiro absurdamente dispensável. Parcelas queimadas e grudadas ao fundo da frigideira à parte, o restante de seu molho merecia certo tempo sob os holofotes, uma vez que seu toque levemente adocicado ia extremamente bem com os flat breads, vulgo panquecas, e todo o toque apimentado mexicano. Aliás, tais panquecas eram também dignas de certo destaque, embaladas separadamente e redentoras de um sabor simples, os finos pães eram perfeitos para serem recheados com um pouco de cada uma das delícias servidas junto do prato. Para acompanhar então um punhado de nachos duros e dispensáveis (idênticos aos do chili com carne), uma porção do sempre bem vindo feijão mexicano, que se transformava em algo soberbo junto dos demais ingredientes, além de um questionável vinagrete e porçãozinha de arroz, que provavelmente estavam ali apenas para agradar aquela terceira idade brasileira que não largou seu pior hábito do “prato sem arroz com feijão não ser uma refeição”.

Royale (hambúrguer com queijo derretido, bacon, alface, tomate e picles no flat bread. Acompanha maionese): 3/5

Royale (hambúrguer com queijo derretido, bacon, alface, tomate e picles no flat bread. Acompanha maionese)

Feito sobre o mesmo flat bread previamente descrito e aclamado, o sanduíche da casa era de fato interessante. Sua carne de hambúrguer era boa mas se encontrava sutilmente prensada demais, deixando-a menos suculenta e consequentemente inferior ao desejado, sua salada era sutil e numa proporção ótima, recheando bem o sanduíche sem deixar com que este se transformasse numa aventura complicada de se colocar na boca e, finalmente, uma deliciosa maionese temperada que, não fosse às complicações legais de se produzir uma maionese caseira no brasil, poderia conseguir ser ainda melhor que este exemplar já ótimo servido, se tornando até capaz de arrancar lágrimas deste que está agora digitando com água na boca. Ah sim, para acompanhar uma porção de batatas congeladas e uma saladinha numa tigela que, com muito molho e bastante fritura, fazia desta uma parceira enjoativa e negativa ao agradável sanduíche.

Apple Crunch (crust de maçã e nozes, servida com sorvete de creme e calda de caramelo): 2/5

Apple Crunch (crust de maçã e nozes, servida com sorvete de creme e calda de caramelo)

A sobremesa era sutilmente decepcionante, provavelmente pela espera de mais uma das inúmeras combinações de maçã e caramelo que os estadunidenses conseguiram criar até hoje. O prato em questão era composto por pedaços de maçã fervidos numa calda de caramelo e canela, acompanhados de biscoitos quebrados, nozes pecã e uma bola de sorvete decorada por uma calda de caramelo comprada digna de lágrimas. O resultado era uma sobremesa gostosa e nada inovadora, que sinceramente pode ser ignorada numa visita futura à casa.

Custo Benefício: 3/5

Para se comer bem, gasta-se fácil R$60 por cabeça. As entradas ficam entre R$30 e R$40 sendo estas, em sua maioria, pequenas. Os sanduíches também se mantém nessa faixa das entrada enquanto as fajitas (que podem servir até 3) se aproximam dos R$60. Um valor levemente além da conta para a comida padrão, nada artesanal e pouco diferenciada oferecida pela casa.

Dicas:

Prove aquilo que tornou a casa famosa, como a fajita, sem se esquecer de degustar o justo flat bread. Ah, e não se esqueçam de tentar ir durante um momento de baixo movimento, como um dia durante a semana, para evitar o caos de um shopping lotado comum nos feriados e finais de semana.

post and review by Eduardo Boaventura & Path Tôrres
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s