Duke’n’Duke – RW 2014, 1ª edição

Nesse atribulado ano de 2014, começamos em março com um de nossos festivais favoritos da gastronomia nacional – e internacional, o Restaurant Week. Nessa primeira edição temos 61 restaurantes participantes, entre os tradicionais do festival e outros recentemente abertos que quiseram mostrar a cara com o menu especial. Portanto, entre 10 e 30 de março (sendo a primeira semana exclusiva para clientes Mastercard Black e Platinum) teremos opções de menu degustação para almoço e jantar, com entrada, prato principal e sobremesa, tudo no preço único de R$37,90 para a opção diurna e R$49,90 para a noturna. O tema dessa edição é Sabores do Brasil, por isso itens como queijo e goiabada, carne seca, mandioca e feijoada são bem recorrentes. Como vocês já sabem, fazemos um estilo de postagem mais compacta durante eventos como esse, e postaremos assim que visitarmos as casas. Caso queiram sugerir algum estabelecimento, deixem um comentário, postem no Facebook do ONDEcomo, ou mandem um e-mail para ondecomo@gmail.com, citando o nome do local e qual menu (almoço ou jantar) vocês gostariam que fosse avaliado.

NOTA GERAL: 3.3/5

Menu ALMOÇO

Sobre o Duke’n’Duke:

Como de praxe do festival sempre experimentamos os sanduíches novos da simpática hamburgueria da Savassi, localizada entre duas das principais avenidas da cidade. O local que mantém seu estilo irlandês, bem caracterizado pelos tons de verde e pelo ambiente pequeno e à meia luz, mantém praticamente todos os seus pontos fortes e seu pontos fracos que apontamos diversas vezes em seus festivais, quase como se realmente desejasse deixar claro para seus clientes que aqueles defeitos já fazem parte do estabelecimento e sua intenção de melhorá-los jamais se tornará verdadeira. Também mantendo o padrão – agora somente positivo – a casa continua com seu atendimento eficiente e simpático, características ainda mais evidentes (para não dizermos exclusivas) do intervalo de almoço. Já fomos na casa diversas vezes (e pelo menos 1 vez a cada edição do week), e você pode conferir nossas impressões clicando aqui.

Gastronomia:

Esse ano a nossa adorada hamburgueria lançou não só 1, mas 2 sandubões para o festival, demonstrando entender que, como essa é sua praia, nada melhor que abusar da expertise e oferecer duas novidades na casa, ao invés de colocar uma opção alternativa (como pratos mais tradicionais) que convenhamos, existiam somente para preencher espaço.

Entrada:

Sticks de canapé de mandioca e parmesão com cream cheese de pimenta biquinho: 2/5

Sticks de canapé de mandioca e parmesão com cream cheese de pimenta biquinho

Bem idealizado, o prato simplesmente não passava de boas idéias relativamente mal executadas. A entradinha que visualmente prometia era montada sobre uma taça para martini, detalhe que certamente agregaria à expectativa do conjunto, não fosse a infelicidade desta taça ser um modelo descartável, de plástico, com rebarbas grotescas que fariam praticamente qualquer um repensar sobre o primeiro prato deste menu sem nem mesmo coloca-lo na boca. Composta de sticks (palitinhos) de mandioca empanados e fritos, a taça simplesmente não conseguia qualquer mérito, fosse pelo detalhe dos palitos serem preparados com vasta antecedência, fornecendo a eles uma textura murcha e velha; pelo fato da casa nem sequer tentar os reaquecer a entrada; ou até pela sensação de gordura acumulada fornecida pelo seu empanado pobre. O fato era simples, o prato não conseguia cumprir com o mínimo, se tornando enjoativo e perfeitamente dispensável. Ah sim, existia também seu cream cheese de pimenta biquinho, que apesar de aceitavelmente saboroso, estava gelado como um país nórdico, detalhe que não ajudava quando em conjunto dos palitos frios.

Pratos principais:

Charlie (Bird) (hambúrguer de frango com bacon e curtido na cachaça, molho barbecue de mostarda, queijo cheddar e alface americana): 4/5

Charlie (Bird) (hambúrguer de frango com bacon e curtido na cachaça, molho barbecue de mostarda, queijo cheddar e alface americana)

O primeiro sanduíche de frango da casa era delicioso, porém não brilhava no quesito criatividade. Composto a partir de uma carne maravilhosa, bem feita, macia e muito saborosa, o sanduíche da casa simplesmente tinha o ingrediente principal perfeito para o sucesso. Se de um lado o coração do hambúrguer não era menos que perfeito, doutro a sua combinação se tornava pouco coerente. A casa escolheu para acompanhar o frango um pão simples de batata que, de sabor adocicado, ia aceitavelmente bem com a carne, especialmente quando esta havia sido curtida na cachaça e já tinha obtido traços de doçura que certamente seriam ainda mais irresistíveis quando complementados. O porém, no entanto, entra na opção da casa para seus molhos e queijo, já que a opção pelo barbecue, um molho de churrasco ideal para carnes vermelhas, não adicionava qualquer sabor ao frango e até escondia sua suavidade. Para completar a disparidade um queijo cheddar que, novamente, não era tão acertado, maltratando mais uma vez o pobre franguinho, teórico ingrediente principal do prato.

Donato (João) (hambúrguer de carne seca com creme de mandioca, requeijão, cebola roxa, tiras de pimentões e pimenta dedo de moça): 4/5
Donato (João) (hambúrguer de carne seca com creme de mandioca, requeijão, cebola roxa, tiras de pimentões e pimenta dedo de moça)

O hambúrguer mais mineiro do cardápio era surpreendente justamente pelos pontos em que seu parceiro de frango não era, os acompanhamentos. Montado sobre uma carne apenas ok, por demais dessalgada e dura, o prato merecia aplausos mais pela elaborada combinação de sabores exibidos do que pelo seu ingrediente principal. Damos então inicio ao todo através de um agradabilíssimo pão de sal que, sutilmente crocante, conseguia arrancar suspiros; passando para seu requeijão em barra, que levemente derretido arrancava lágrimas dos mais regionalistas e finalizando pela soberba julienne de legumes que, levemente salteados, se encontravam em um ponto perfeito.

Sobremesa:

Panna cotta de banana e açúcar mascavo com cobertura de calda de rapadura: 3/5

Panna cotta de banana e açúcar mascavo com cobertura de calda de rapadura

Nossa, fale de amostra grátis. A pannacotinha era um borrão no prato, deixando o cliente sinceramente indignado por seu tamanho minúsculo. Bem decorada e de sabor agradável, a sobremesa era um bom avanço para o padrão mediano dos festivais passados. Montada a partir de uma dispensável peça de mosaico nomeada panna cotta, o prato ganhava destaque pelo seu ótimo caramelo, viscoso e de sabor acentuado – que sabe-se Deus porque foi nomeado de calda de rapadura -, além de seu suave doce de banana, que saboroso conseguia agregar um algo mais ao conjunto. Ao final do menu um bom adocicador de paladar, com textura ótima e sabores simples.

Dicas:

Como os sandubas são grandes e normalmente ficam na faixa dos R$30, o week vale bastante a pena para provar os sabores novos da casa. Porém é nítido que, se os sanduíches entrarem no cardápio, como de praxe, você se sentirá mais recompensado se for em um dia normal, levando amigos e aproveitando principalmente o jantar, para tomar um chopp Guinness e jogar conversa fora em um dos bares mais agradáveis da cidade.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s