Kabuto – RW 2014, 1ª edição

Nesse atribulado ano de 2014, começamos em março com um de nossos festivais favoritos da gastronomia nacional – e internacional, o Restaurant Week. Nessa primeira edição temos 61 restaurantes participantes, entre os tradicionais do festival e outros recentemente abertos que quiseram mostrar a cara com o menu especial. Portanto, entre 10 e 30 de março (sendo a primeira semana exclusiva para clientes Mastercard Black e Platinum) teremos opções de menu degustação para almoço e jantar, com entrada, prato principal e sobremesa, tudo no preço único de R$37,90 para a opção diurna e R$49,90 para a noturna. O tema dessa edição é Sabores do Brasil, por isso itens como queijo e goiabada, carne seca, mandioca e feijoada são bem recorrentes. Como vocês já sabem, fazemos um estilo de postagem mais compacta durante eventos como esse, e postaremos assim que visitarmos as casas. Caso queiram sugerir algum estabelecimento, deixem um comentário, postem no Facebook do ONDEcomo, ou mandem um e-mail para ondecomo@gmail.com, citando o nome do local e qual menu (almoço ou jantar) vocês gostariam que fosse avaliado.

NOTA GERAL: 4.4/5

Menu JANTAR

Sobre o Kabuto:

O Kabuto é um restaurante simples, bem bolado e geralmente subestimado pelas pessoas da capital. A casa que mantém sua sede em Nova Lima abriu a algum tempo uma nova unidade na movimentada Pium-í, onde, com um cardápio diferenciado do estabelecimento original, serve uma culinária japonesa inovativa e extremamente bem desenvolvida. Seu ambiente caracterizado por seu tipo de cozinha se torna então imediatamente interessante, dando a seus clientes um espaço confortável, bonito e muito receptivo. Para completar o visual, nada melhor que um atendimento simpaticíssimo, com garçons e garçonetes muito solícitos, entendidos do cardápio e extremamente educados. Já visitamos o Kabuto em outra ocasião, e você pode conferir nossas impressões clicando aqui.

Gastronomia:

O Kabuto é um oriental que serve de pratos japoneses e chineses, desde os mais tradicionais até os mais elaborados e distintos. Para o week, serviu vários pratos criados para a ocasião, trazendo à mesa nametake, sunomono de rabanete, maki de enguias, pérolas de tapioca, atum selado e outras delícias que mostram claramente seu capricho e esmero em cada proposta.

Entrada:

Nametake: microcogumelos japoneses servidos no limão: 5/5

Nametake - microcogumelos japoneses servidos no limão

Com uma apresentação simpática, o nametake era simplesmente um delírio, servindo cogumelos bastante diferenciados que jamais podem ser assimilados aos clássicos que encontramos em nossos supermercados. Tudo era então montado num estilo de conserva carregada no limão, resultando então era um fungo macio, de sabor suavizado pelo ácido da fruta que jamais se tornava forte ou enjoativo, criando uma combinação simples mas estranhamente eficiente. Para completar, finíssimas fatias de quiabo que não acrescentam nada além de um visual extra ao conjunto, deixando todo o destaque exclusivamente para seus cogumelinhos.

Sunomono de rabanete: fatias de rabanete ao molho do Chef (criado especialmente para o RW): 4/5

Sunomono de rabanete - fatias de rabanete ao molho do Chef

Um clássico da culinária japonesa, novamente de excelente qualidade, com sabor doce e gosto substancial de gergelim. Aqui, no entanto, a casa brinca justamente com seus ingredientes, onde o clássico pepino é trocado pelo não tão comum rabanete, criando um prato de cores visualmente lindas e sabores afiados. O resultado era uma conserva de cheiro estranho que definitivamente poderia ser degustada para sempre, tornando o prato uma imediata sensação, deixando apenas duas pequenas infelicidades em seus aventureiros degustadores, a primeira entorno de sua quantidade, distante do eterno, e a segunda referente ao seu sabor que, modificado por uma conserva pesada eliminava todos os traços picantes da raiz.

Makimono especial: arroz com shari especial, enguia e finas lâminas de abacate (criado especialmente para o RW): 5/5

Caviar de tapioca no sashimi de atum - tapioca cozida e temperada com molho ponzu e sashimi de atum semigrelhado

O prato era uma porção de makis de tamanho realmente avantajado, com uma quantidade surpreendentemente boa de carne e um inusitado tempero. Montado a partir de uma enguia selada (para aqueles que nunca experimentaram, a carne se assemelha ao clássico salmão skin, mas de paladar mais complexo) e acrescido de uma finíssima parcela da casca de um pepino, os ingredientes eram então envolvidos pela clássica alga e então finalizados com o sempre bem vindo arroz japonês. O resultado era simplesmente soberbo, a carne aflorava em sua boca de maneira direta, deixando claro qual era seu ingrediente principal sem muitas delongas. O crocante da casca do pepino adicionava uma textura verdadeiramente diferenciada ao todo e criava uma perfeita ponte entre o interior do prato e seu arroz agridoce. Para completar o delírio, uma fatia de abacate artisticamente fatiada quebrava o salgado simples até então apresentado, e era intensificada quando adicionada de shoyu, tornando o prato um exemplo maravilhoso de perfeição.

Caviar de tapioca no sashimi de atum: tapioca cozida e temperada com molho ponzu e sashimi de atum semigrelhado (criado especialmente para o RW): 4/5

Makimono especial - arroz com shari especial, enguia e finas lâminas de abacate

A segunda opção de prato da casa era certamente menos inusitada, mas ainda assim sensacional. Suas maravilhosas bolinhas de tapioca, mais conhecidas como sagu, eram simplesmente um exagero de textura e sabor, trazendo à mesa o paladar simplificado da goma de mandioca incrementada de maneira sublime pelo molho onde elas eram mergulhadas, neste caso, o ponzu. Sob as pérolas de sabor e textura, lâminas de atum levemente seladas elevavam o conjunto num sabor forte e presente, e finalmente para arrebatar o todo uma mistura de laranja e shoyu simplesmente inebriante era o bastante para arrancar lágrimas de alegria de qualquer humano.

Ice café Kabuto: sorvete de café com raspas de chocolate meio amargo: 4/5

Ice café Kabuto

Uma sobremesa simples, belissimamente executada e, claro, deliciosa. O enriquecido sorvete de café era servido em pequenos tabletes, coberto com o chocolate meio amargo em raspas e servido em uma taça alta, agregando ainda mais ao visual. O toque de café era suave porém muito perceptível, enchendo o paladar e ainda assim deixando espaço para algo forte como o chocolate meio amargo, trazendo uma textura nova, uma temperatura nova e finalizando de forma espetacular o jantar.

Dicas:

Corra. Sério. O Kabuto é uma pedra preciosa, com pratos inovadores, criativos, e com execução mais que caprichosa. Quase todos os pratos desse menu (exceto o Ice Café e o Nametake) foram criados para o week, então só podemos manter uma leve esperança de que a casa os mantenha eles após o sucesso de cada um. Ainda assim, não desanimem mesmo se eles não forem mantidos, já que a casa é maravilhosa e sem sombra de dúvidas merece uma (ou mais) visitas.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s