Brasil Sabor 2014

OC Brasil Sabor

Durante quase todo o mês de maio, o Brasil sediou um importante evento em nosso cenário gastronômico. O Brasil Sabor é um festival que reúne vários restaurantes e bares em diferentes cidades e incentiva a criação de um prato com traços da culinária local, para apresentar seus sabores aos clientes. É uma oportunidade para reunirmos os paladares nacionais em construções elaboradas e, claro, deliciosas. Nessa edição, há uma novidade interessante: o Brasil Sabor tem um apelo mais competitivo, oferecendo algo novo no cardápio por um preço especial. Isso porque agora existe a promoção Prato em Dobro, na qual comprando o prato do festival, seu acompanhante ganha outro. Uma ótima oportunidade para todos provarem o que há de melhor nas casas que optaram por aderir a promoção, respeitando, claro, os horários escolhidos por cada uma das casas participantes.

Na Mata Café

NOTA: 2/5

Sobre:

O Na Mata Café é um dining club bem localizado em Lourdes, com um cardápio com influência das steak houses americanas, e vários drinks para acompanhar a culinária bem temperada. Infelizmente a casa funciona num sistema de franquias, impossibilitando a unidade em questão de obter certa individualidade, provavelmente privando qualquer tentativa de sua cozinha em se regionalizar e criar algo verdadeiramente criativo. Participante de um conceito onde o maior atrativo da casa são os eventos, o estabelecimento cobra entrada de seus clientes em todas as noites, deixando pouca oportunidade para aqueles interessados em conhecer a parte gastronômica do local e atrelando um valor consideravelmente elevado aos seus clientes, até mesmo quando a nomeada atração não passa de uma pessoa e um Macbook. De qualquer forma, já visitamos o Na Mata antes, e você pode conferir outras impressões clicando aqui.

Prato do festival: Bife de tira com trilogia de risoto (corte nobre retirado da picanha maturada servido com 3 tipos de risoto: açafrão, tomate cereja com amêndoas e alho poró):

Preço: R$49,00 por pessoa

Bife de tira com trilogia de risoto

Montado a partir de uma carne de fato boa, num perfeito ao ponto de cerne rosado, o prato começava forte e agradável. Se de um lado seu preparo era ótimo e seu tempero imponente, doutro sua combinação com o risoto, empapado, sem sabor e completamente dispensável definitivamente não era das melhores. A começar pela estranha parceria, onde um corte duro e robusto era acompanhado por algo que normalmente é diretamente assimilado à sutileza e suavidade, fazendo do todo algo quase vergonhoso de se ver num prato. Para piorar ainda mais a discrepância entre as partes, o risoto por si só não satisfazia, sendo servido completamente fora do ponto e com temperos deveras ignoráveis, tornando qualquer um dos três sabores um verdadeiro terror. Fosse o de tomate cereja com amêndoas, que sem qualquer amostra de suas sementes não obtinha aquela dimensão a mais, ou até do mais fraco de todos, o risoto de açafrão que por sua vez não tinha o suficiente do ingrediente título, se transformando apenas num amarelado arroz empapado, ou finalmente da iguaria de alho poró que, apesar de todos os defeitos, felizmente adicionava certo toque agridoce à carne primordialmente salgada. Ao final um prato fadado ao fracasso que não conseguia em nenhum ponto surpreender, se mantendo tão sem graça quanto sua parede de parmesão decorativa. 

Assacabrasa

NOTA: 1/5

Sobre:

O Assacabrasa é um bar bem abrasileirado, que oferece buffet de saladas e carnes pré-preparadas na hora do almoço e um sutil menu de petiscos a la carte para a janta. De ambiente simples bem no estilo buteco, a decoração da casa é funcional, com bebidas empoleiradas em qualquer bancada, balcão ou até viga disponível, deixando a vista da casa bastante crua e transferindo o foco de seus clientes inteiramente para a programação televisiva que estiver acontecendo no dia.

Prato do festival: Provoleta – Provolone servido na frigideirinha de ferro, com molho pomodori, acompanhado de mini pão de alho:

Preço: R$25,90

Provoleta

A provoletinha do Assacabrasa, bem diferente dos outros pratos que conhecemos no festival, é claramente um petisco, pequeno e suficiente apenas para acompanhar o carro chefe da casa, as carnes. Falando sobre os sabores, devemos assumir – e notem que somos fãs de comida bem temperada – que o provolone, um queijo já forte, estava bem salgado. Na verdade, salgado ao ponto em que comer do queijo se transformava numa lenta tortura, ressecando a boca de maneira tal que nem a torneira aberta de chopp seria o bastante para amenizar a situação ali oferecida. O resultado então era um queijo desagradavelmente exagerado que, apenas semi derretido, conseguia se salvar de seu completo desastre apenas por seus acompanhamentos, um agradável molho de tomates adocicados e uma trinca de pequenos pães de alho que certamente funcionavam melhor por si só do que junto de seus teóricos membros principais.

Ah bon!

NOTA: 2/5

Sobre:

O Ah bon! é um daqueles restaurantes com um ar de cafeteria chique que se mistura harmonicamente com sua parcela de confeitaria. Se de um lado o tipo do estabelecido é extremamente agradável, doutro ele remove consideravelmente o destaque que poderia recair sobre sua carta de pratos, podendo até desestimular seu chefe e seus cozinheiros à buscar algo realmente marcante para o quesito. Seu ambiente – note que falamos da unidade que ofereceu o prato do Festival, localizada na Rua Fernandes Tourinho – é requintado, bem decorado e intimista, mantendo sua mobília escura e um estilo monocromático de pé-direito duplo muito bem dosado. Para completar o visual seu atendimento é simpático e levemente distante, mantendo-se no padrão “chique” de não se envolver muito com os clientes a não ser quando explicitamente solicitado.

Prato do festival: Involtine de lombo com aspargos frescos e espinafre acompanhado de batata confit: 

Preço: R$38,00

Involtini de lombo

Se a casa tinha tudo para surpreender com sua ambientação elegante, o prato oferecido para o festival simplesmente não surpreendia. Apesar de bonito e com proposta super atraente o prato se apoiava exclusivamente em sua carne, um teórico lombo que certamente não se portava como tal, obtendo uma porção avantajada de gordura que resultava num pesado e desagradável molho por todos os legumes do prato. Para completar o prato uma boa porção de diversos legumes apenas parcialmente cozidos, que se mantinham consideravelmente mais enrijecidos que o agradável, além de um ótimo molho que, infelizmente, uma vez misturado à gordura que escorria da carne tinha toda sua presença e suavidade sobrepostas.

Don Pasquale

NOTA: 4/5

Sobre:

O Don Pasquale é o tipo restaurante familiar brasileiro, com atendimento agradável, um ar de domingo e a clássica culinária italiana, uma combinação perfeita para se conciliar as diversas gerações da família. O restaurante esta montado onde acreditamos outrora ter sido uma casa, com ambientes bem divididos e nem sempre muito funcionais para sua atual função. Se de um lado a sensação de privacidade é ampliada, especialmente quando tudo em sua volta esbanja uma eficiente simplicidade, doutro o atendimento do local tem trabalho dobrado para conseguir manter um agradável ritmo e eficiência, coisa que, já adiantamos, o Don Pasquale consegue fazer com facilidade.

Prato do festival: Risoto à Don Pasquale: Delicioso risoto com aromas do mediterrâneo acompanhado de frutos do mar selecionados que resultam em um incomparável sabor:

Preço: R$68,00

Risoto Don Pasquale

Um prato muito, muito bem servido. Montado sobre um arroz ótimo, de bom ponto, firme porém ainda assim suculento, o prato começava muitíssimo bem. Ainda que pouco cremoso para os olhos de um verdadeiro mineiro, as proporções de frutos do mar eram mais que o suficiente para qualquer pessoa se esquecer completamente de tudo. O prato era literalmente um mar de camarões perfeitamente graúdos, consideravelmente frescos para minas e maravilhosamente suculentos, ostras, lulas e finalmente mexilhões. Um verdadeiro exagero muito bem preparado que mantinha todas as diferentes carnes individualmente num ótimo ponto. Para completar o arroz e saborizar o todo, um molho de peixe maravilhoso fazia dos grão sozinhos um verdadeiro delírio, perfeito pra qualquer amante das iguarias ali dispostas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s