Nick Prime Burger

NOTA GERAL: 2.5/5

Rua Alberto Cintra 56, União  Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 3643-9156

Localização e Ambiente: 3/5

Para aqueles mais acostumados com os entornos da Contorno, o Nick pode parecer longe, mas sua localização não poderia ser melhor. Muito bem posicionada, a casa faz parte de um complexo gastronômico surpreendente, onde uma infinidade de estabelecimentos aproveitam da avantajada calçada da rua para se estenderem e abrigarem o maior numero de clientes possível. Apesar de 90% das mesas se concentrarem no espaço externo, existe um pequeno ambiente interno no Nick, com uma decoração simpática, nas cores da marca. Na parte de dentro, a lojinha apresentava alguns quadros, pequenas mesas para dois ou três, e um longo balcão com um caixa, um perfeito exemplo de um ambiente simples e funcional. Ah, e como era de se esperar de tamanho pólo gastronômico, estacionar não é nada agradável, forçando qualquer um a uma bela caminhada de sua vaga até o estabelecimento de sua escolha.

Atendimento: 3/5

Para falar do atendimento, vale ressaltar um detalhe: a loja ao lado também pertence aos donos do Nick Prime, e é ocupada por uma filial do tradicional restaurante Família Paulista. Por esse motivo, recebemos os dois cardápios ao chegar no estabelecimento e percebemos que os garçons atendem ambas as lojas. A questão, no entanto, não era em relação aos dois cardápios enviados às mesas, mas sim ao detalhe de que os garçons simplesmente não tinham a cara do lugar (provavelmente por atenderem casas tão distintas) e consequentemente, não conseguiam imprimir uma personalidade ao estabelecimento. Ainda assim seu atendimento, personalizado ou não, foi rápido e eficaz, se preocupando mais em agilizar todo o processo do que agradar qualquer cliente.

Gastronomia: 2.2/5

O cardápio da sanduicheria tinha várias opções de sanduíches frios, quentes e hambúrgueres, entre alguns periféricos menos importantes. Suas opções variavam quanto a carne, ao pão, aos molhos e aos agregados (tais como queijo, salada e etc). Para acompanhar, opções de batatinhas, anéis de cebola empanados e outras frituras dominavam o menu.

Fritas cheddar & bacon: 2/5

Fritas cheddar & bacon

A entradinha era uma porção de batatinhas “artesanais”, o que nos surpreendeu positivamente. Eram como batatas palito achatadas, algumas ainda com uma casquinha, bem fritas e bem saborosas. Tudo era acompanhado de um cheddar bastante ordinário, certamente oriundo de alguma daquelas bisnagas industrializadas com gosto de plástico e alguns pedaços de bacon frito. Como os acompanhamentos não ajudavam, o problema das batatas nada crocantes persistia e se agravava, deixando esta entrada já pouco relevante ainda mais desnecessária.

Aproxima (pão francês redondo, hambúrguer de lingüiça de pernil, queijo do serro, maionese de limão, cebola roxa e alface): 1/5

Aproxima (pão francês redondo, hambúrguer de lingüiça de pernil, queijo do serro, maionese de limão, cebola roxa e alface)

Vou contar uma história antes de falar sobre esse sanduba. No início de julho, fomos à feira do Aproxima, um circuito que vinha acontecendo em BH desde o começo da Copa do Mundo. A ideia da feirinha era trazer produtores locais para apresentar seus produtos no Mercado Distrital do Cruzeiro, o que acontecerá agora em todo primeiro sábado do mês. O Nick Prime estava presente nessa feira, e levou esse hambúrguer para apresentar (já que utilizava de produtos tipicamente mineiros, como o queijo do Serro). Quando provamos o hambúrguer, ficamos extasiados e loucos para conhecer a casa criadora da iguaria, motivo pelo qual saímos de nosso lugar comum para visitar o Nick no bairro União. O que aconteceu foi uma desconexão entre o produto original e aquele servido na feira, gerando desilusão e ranger de dentes. A ideia das combinações é excelente, a carne era um pouco pesada e gordurosa, com gosto forte, presente e levemente apimentado. Em contraposição, vinha a maionese de limão, suave, de textura excepcional e com um toque cítrico que compunha e quebrava a sensação da linguiça de pernil. O queijo, nessa versão, ficava um pouco apagado (sendo que na feira a fatia era bastante generosa), mas a cebola trazia um picante extra por demais interessante. Todo o conceito era bom, e o problema se concentrava na execução. A carne tinha um tamanho normal, e tudo a acompanhava, mas o pão (novamente completamente diferente daquele da feira), era um pouco maior que um pão de queijo coquetel, dispondo-se com a carne de maneira semelhante à sobreposição de uma moeda em um disco de vinil. Além disso, ao invés da crocância que esperávamos do pão francês, recebemos um item velho e bastante duro. As proporções, por fim, estavam todas erradas, levando o sanduíche ao fundo do abismo da frustração.

Scrumburguer (pão de hambúrguer, hambúrguer, queijo prato, bacon, onion rings, barbecue e pimenta jalapeño): 3/5

Scrumburguer (pão de hambúrguer, hambúrguer, queijo prato, bacon, onion rings, barbecue e pimenta jalapeño)

Esse hambúrguer já era maiorzinho, com uma boa proporção carne-pão, indicando um grave problema no pão de sal anterior. O jalapeño não era tão forte, podendo ter sido apresentado em uma versão em conserva ou de alguma forma que trouxesse um gosto mais avinagrado, do qual sentimos falta. Seu bacon se encontrava realmente duro, ao ponto de acreditarmos numa primeira mordida que um pedaço de algum palito que unia as partes do sanduíche havia sido esquecido dentro da iguaria – tamanha sua dureza. Acompanhado de uma carne também nada suculenta, todo o sanduíche ficava seco e um pouco sem graça transformando cada uma de nossas mordidas numa inquieta sensação de que aquilo poderia, novamente se bem executado, se tornar um bom sanduíche. Até seu barbecue (que poderia ajudar a disfarçar alguns de seus defeitos) era escasso, não sendo suficiente para formar um conjunto vencedor.

Yohei (pão de hambúrguer, hambúrguer de salmão, cogumelos paris frescos salteados ao molho teriyaki, creamcheese e rúcula): 3/5

Yohei (pão de hambúrguer, hambúrguer de salmão, cogumelos paris frescos salteados ao molho teriyaki, creamcheese e rúcula)

A novidade do cardápio, o hambúrguer de salmão, foi sugerida pelo garçom e aceita por nós, que anseavamos por qualquer coisa diferente do padrão da cidade. O hambúrguer era gostosinho, tinha um gosto bastante forte de peixe e estava bastante rosado, mostrando que fora bem grelhado ao invés de simplesmente selado. Com uma carne que na medida do possível se encontrava bem preparada – sem esturricar -, o sanduíche era o primeiro dos experimentados que se encontrava em excelente quantidade. Para completar o pedido uma quantidade boa de creamcheese (figura que anda de mãos dadas com esse peixe nos cardápios do Brasil) vinha temperando bem o conjunto, podendo remover o gosto de qualquer outro detalhe mais sutil que a casa, sabiamente, não adicionava ao sanduba. Seus cogumelos no teriyaki eram gostosos, bem preparados e pontuados pelo sabor adocicado do molho, nos deixando apenas entristecidos por sua quantidade pouco relevante. Ah sim, e a prometida rúcula, bom, não compareceu (ops).

Milkshake de paçoca: 2/5

Para encerrar, pedimos um milkshake que prometia muito, de paçoca, a deliciosa iguaria brasileira feita de amendoim bem salgadinho. Nosso exemplar estava, para nossa profunda tristeza, sem graça, tendo ficado aguado (não sabemos se por leite demais ou sorvete de menos) e com pouco sabor. A quantidade de paçoca era ideal, porém vinha mais polvilhada por cima do copo do que misturada ao milkshake, perdendo uma oportunidade de espalhar os bons sabores. Para enfeitar o copo, fios de calda de caramelo, excelente combinação para o doce de amendoim, que devido a um creme mais líquido, incapaz de sustentá-la, escorria pelas bordas do copo se acumulando apenas em sua base. Um milkshake de gosto bom, afinal paçoca e caramelo são impossíveis de se estragar, e uma textura decepcionante.

Custo Beneficio: 2/5

Caro. Primeiro, pela localização. Não estamos falando de centro-sul porém estamos vendo o mesmo preço. Não estou dizendo que os restaurantes dessa região sejam melhores ou piores que aqueles de outros bairros, porém não podemos comparar valores de aluguel, por exemplo, que justifiquem encontrarmos o mesmo valor em regionais tão distantes. Em segundo lugar, infelizmente o Nick não oferece uma diferenciação em ingredientes, cardápio, atendimento ou execução que justifique seu valor elevado. Os hambúrgueres ficam entre R$20 e R$30, gerando um ticket médio de R$40, para não comer tão bem e sair com uma sensação de insatisfação.

Dicas:

Vá provar o Nick na feira do Aproxima, se eles voltarem para lá. Parece que com a família presente, os simpaticíssimos paulistas, a qualidade impressa é algo espetacular, o que infelizmente a unidade do União não conseguiu alcançar.

post and review by Eduardo Boaventura & Path Tôrres
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s