Nonna Carmela – RW 2014, 2ª edição

Voltou a BH, depois de copa e a tempo para as eleições, o delicioso Restaurant Week, democratizando a gastronomia, como sempre, e trazendo novidades. A edição contou com 52 restaurantes, que ofereceram cardápios de R$37,90 no almoço e R$49,90 no jantar, ambos válidos para o menu degustação de três partes: entrada, prato principal e sobremesa. Portanto, de 8 a 28 de setembro (lembrando que a primeira semana foi exclusivamente para clientes Mastercard Black e Platinum) foi possível conhecer algumas das melhores casas da cidade por um preço bem amigo! Ah, claro, devemos ressaltar que nesta edição a temática escolhida pelo festival foi a de Gastronomia Fusion.

Vale lembrar que de acordo com nossa recente entrevista com o adorável Fernando Reis, organizador do Restaurant Week Brasil, não é obrigatório que os restaurantes façam cardápios unicamente dentro do tema escolhido (até mesmo para manter o teor democrático do festival), porém ele serve para incentivar a criatividade dos donos e cozinheiros, mantendo o festival sempre novo e diferente. Para o festival nosso estilo de postagem é sempre mais resumido, para garantir dinamismo na cobertura. Caso tenham conhecido alguma casa e gostado (ou não) durante o Week, não deixe de comentar em nosso Facebook, aqui no blog, ou mesmo por e-mail, através do ondecomo@gmail.com. Estamos loucos para ouvir suas opiniões! 🙂

NOTA GERAL: 3.4/5

Menu JANTAR

Sobre o Nonna:

O Nonna Carmela é um italiano relativamente novo na cidade, que rapidinho ganhou nosso coração. Seu cardápio mantém a tradição culinária, com algumas massas artesanais e outras muito bem selecionadas. Sua carta também oferece risotos e várias opções acompanhadas de carne, atendendo a gregos e troianos que valorizem um bom almoço ou jantar. Seu espaço é super simpático, sua comida é cuidadosa e bem executada, e os atendentes são sempre muito solíticitos. Para conferir nossas impressões completas sobre o local fora do festival, basta clicar aqui.

Gastronomia:

Como já falamos, o Nonna é um italiano clássico, cheio de sabor e de delicadeza em seus preparos. Para o Week, buscou uma fusão ítalo-mineira, mostrando o que faz de melhor acompanhado de deliciosos quitutes tradicionais de nossa região. Entre as combinações, encontramos galinha caipira com quiabo e polenta, cordeiro com queijo minas e abobrinha com jabuticaba.

Entrada:

Polenta com ragu de galinha caipira e quiabo grelhado: 3/5

Polenta com ragu de galinha caipira e quiabo grelhado

Começamos com o tradicional mineiro a la Maria das Tranças, e encontramos uma entradinha simples e gostosa. O frango era saboroso, suculento e de tempero bem pontuado. Uma pena mesmo era sua reduzida quantidade que, apesar de ótima, não conseguia acompanhar toda a polenta. Polenta que, inclusive, era um verdadeiro exemplar de simplicidade e eficiência, servida em sua versão mais mole, com boa textura e bom sabor, o creme ia de perfeito encontro ao frango, deixando o prato super equilibrado. Para completar o prato um único quiabo decorativo que, preparado por inteiro, se tornava muxibento e complicado de se comer.

Berinjela gratinada com verdes: 4/5

Berinjela gratinada com verdes

A maravilhosa opção vegetariana era deliciosa! Sua berinjela era acompanhada do diferenciado molho de tomates da casa, trazendo um toque aveludado e saboroso, num incrível equilíbrio entre o doce e o salgado da fruta. Para completar, um gratinado de queijo acrescentava aquela textura extra que nenhum mineiro consegue viver sem, fazendo da sutilmente ressecada berinjela uma formidável entrada. Se de um lado o prato já parecia um sucesso, era justamente de um suposto acompanhamento que ele se tornava de fato surpreendente. Longe de serem só um acompanhamento, os verdes superaram nossas expectativas, servidos incrivelmente frescos e maravilhosamente temperados com sementes de mostarda no vinagre. Uma bela combinação, e um excelente início de conversa.

Lasanhete de cordeiro gratinado com queijo minas: 3/5

Lasanhete de cordeiro gratinado com queijo minas

Lembrem-se que lasanhete não é somente um nome fofinho, mas também uma tentativa de te alertar sobre o ínfimo tamanho do prato. Volumes a parte, o exemplar servido era gostosinho, de massa boa, saborosa e no ponto, as lâminas de trigo eram intercaladas pelo mesmo molho delicioso de tomates, queijo e uma carne – para nossa decepção – apenas ok. O suposto cordeiro desfiado estava quase sem gosto algum, e seus pedaços de carne eram deveras sem graça. Se de um lado o queijo minas acertava em cheio, do outro a pequena porção de carne e o tamanho já reduzido do prato nem tanto, tornando essa gostosa amostra de lasanha uma infinidade de oportunidades não muito aproveitadas.

Risoto de abobrinha com perfume de manteiga de curry e escalope suíno com molho de jabuticaba: 4/5

Risoto de abobrinha com perfume de manteiga de curry e escalope suíno com molho de jabuticaba

Um prato também pequeno, com um toque um pouco mais mineiro do que italiano. O risoto estava no ponto certo, al dente, era bem temperado, ainda que sem muito sabor de curry, e tinha alguns legumes que conseguiam incrementar o sabor maravilhosamente. Sua textura também não desapontava e sua consistência não era menos que perfeita. A abobrinha trazia uma quase crocância muito interessante quando combinada com a cremosidade dos grãos, tirando-o de uma possível linearidade entediante. Para completar a louça três pedações de um escalope ressecado (o que infelizmente vem se tornando muito comum dentro do mundo das carnes de porco) e um molho soberbo de jabuticabas, adocicando na medida o prato e criando uma formidável surpresa com aquele inesperado toque azedo das cascas da fruta. Um amor de prato, que, novamente, pecava primordialmente no tamanho.

Sobremesa:

Salame de chocolate com castanha do pará e caju e chantilly com perfume de limão: 3/5

Salame de chocolate com castanha do pará e caju e chantilly com perfume de limão

O salame de chocolate da casa era uma combinação de chocolate amargo com castanhas (que mais pareciam biscoitos, lembrando um outro quitute típico). A sobremesa era sem graça, dura (talvez o interior poderia estar um pouco mais cremoso ou ao menos macio) e com sabor débil de uma versão piorada de palha italiana. Aliás, a palha italiana que a casa serve de agrado juntamente com a conta é muitas milhas superior a esse exemplar, nos fazendo questionar porque não se ater ao que já funciona. Sua combinação com o chantilly, uma boa promessa que supostamente suavizaria o conjunto, era uma grande falha, com um chantilly batido além do ponto e um sabor de limão pouco presente. Ah, e vários dos salames da mesa ainda vieram com pedaços de plástico, o que mostra uma falta de costume com a sobremesa que certamente era uma novidade na casa.

Dicas:

O Nonna Carmela é atualmente um dos melhores italianos da cidade, se não for o melhor. Porém ainda não pegou o ritmo do Week, apresentando pratos acertados porém pequenos e sobremesas mal guiadas. Nossa recomendação é correr para a casa com a família, os amigos ou a dois, e provar das massas maravilhosas em um dos ambientes mais simpáticos da cidade, dentro ou fora de qualquer festival.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Aun Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s