Hermengarda – RW 2014, 2ª edição

Voltou a BH, depois de copa e a tempo para as eleições, o delicioso Restaurant Week, democratizando a gastronomia, como sempre, e trazendo novidades. A edição contou com 52 restaurantes, que ofereceram cardápios de R$37,90 no almoço e R$49,90 no jantar, ambos válidos para o menu degustação de três partes: entrada, prato principal e sobremesa. Portanto, de 8 a 28 de setembro (lembrando que a primeira semana foi exclusivamente para clientes Mastercard Black e Platinum) foi possível conhecer algumas das melhores casas da cidade por um preço bem amigo! Ah, claro, devemos ressaltar que nesta edição a temática escolhida pelo festival foi a de Gastronomia Fusion.

Vale lembrar que de acordo com nossa recente entrevista com o adorável Fernando Reis, organizador do Restaurant Week Brasil, não é obrigatório que os restaurantes façam cardápios unicamente dentro do tema escolhido (até mesmo para manter o teor democrático do festival), porém ele serve para incentivar a criatividade dos donos e cozinheiros, mantendo o festival sempre novo e diferente. Para o festival nosso estilo de postagem é sempre mais resumido, para garantir dinamismo na cobertura. Caso tenham conhecido alguma casa e gostado (ou não) durante o Week, não deixe de comentar em nosso Facebook, aqui no blog, ou mesmo por e-mail, através do ondecomo@gmail.com. Estamos loucos para ouvir suas opiniões! 🙂

NOTA GERAL: 4.2/5

Menu JANTAR

Sobre o Hermengarda:

O Hermengarda é um contemporâneo que mistura as receitas da vovó (literalmente) com toques internacionais de preparos, temperos e ingredientes maravilhosos. Já virou carta marcada no ONDEcomo, já que tentamos provar da casa em cada oportunidade que temos. Quem nos acompanha já deve ter visto esse nome por aqui, e já deve ter lido nossos comentários sobre o ambiente intimista, atendimento simpático e todos os prazeres frequentemente atrelados ao nome. Porém, para quem ainda não leu, vale a pena dar uma conferida clicando aqui para ver nossas impressões do Hermengarda e aproveitando para ler nossa linda entrevista com o chef da casa, o fofíssimo Guilherme Melo.

Gastronomia:

Como falamos, o Hermengarda mistura preparos clássicos e ingredientes bem mineiros com pitadas ousadas de cozinhas ao redor do mundo. O resultado é um lugar que nunca cai na mesmice, sempre surpreendendo e deixando aquele gostinho de quero mais. Para o week, abusaram do tema, fundindo a cara de Minas com caras ocidentais e ibéricas, deixando tudo mais brasileiro e mais gostoso.

Entrada:

Legumes em molho de ostra: brócolis, cenoura, milho verde e batata baroa em molho oriental: 5/5

Legumes em molho de ostra brócolis, cenoura, milho verde e batata baroa em molho oriental

A entradinha que parecia simples, era na verdade um excelente exemplo da frase “menos é mais”. Os legumes variados executados à perfeição estavam com texturas e sabores maravilhosamente pontuados, destacados por um molho de tomates saborosamente adocicado que, apesar de ótimo, deixava as expectativas um pouco abaixo quando relacionadas ao prometido gosto das ostras. Ainda assim, seu toque era ideal para acompanhar os legumes e suas inúmeras texturas, sem deixar de lado ou sobrepor qualquer outro sabor do prato. Uma simples e maravilhosa surpresa, que certamente ganha um lugar novo no coração destes que já são fãs da casa.

Prato principal:

Nhoque de ervas ao molho de queijo da Serra da Canastra: 4/5

Nhoque de ervas ao molho de queijo da Serra da Canastra

Não é a primeira vez que ficamos atônitos com um nhoque na casa. Apesar de ser uma de nossas massas favoritas, o nhoque é muitas vezes subestimado, devido a sua simplicidade inerente e a existência de tantos exemplares ineficientes. Para os dotados dessa opinião, Guilherme traz uma elegante virada de jogo, mostrando que o versátil travesseiro de massa é perfeito para sugar bons molhos e adicionar uma excelente e única textura aveludada a qualquer prato. Com uma massa trabalhada à perfeição, o prato conseguia junto à ótima combinação de queijo e ervas não apenas ser uma opção vegetariana, como também uma oportunidade para o verdadeiro deleite mineiro. Se existe apenas um pequeno porém no prato este se dá conta devido ao seu tom por demais homogêneo, criando uma combinação relativamente enjoativa que, apesar de tudo, novamente era verdadeiro amor.

Arroz de rapariga: arroz com frango, costelinha, linguiça, ervilha, milho verde, açafrão da terra, limão e ovo cozido ralado: 5/5

Arroz de rapariga arroz com frango, costelinha, linguiça, ervilha, milho verde, açafrão da terra, limão e ovo cozido ralado

Uma combinação simpática e bem brasileirinha, que trazia elementos maravilhosos à mesa, num estilo mexidão gourmet farto e delicioso. O arroz era bom, no ponto corretíssimo e com o toque do açafrão para trazer um saborzinho extra. A costelinha era excelente, também no ponto ideal, e bem acompanhada por nacos de frango e rodelinhas de linguiça. Essas últimas vinham temperando o conjunto e evoluindo os paladares, de mãos dadas com os legumes simples e gostosos como milho e ervilhas frescas. Para finalizar com chave de ouro, um toque cítrico e um ovinho ralado, fazendo o conjunto deixar verdadeiras saudades.

Acabaxi grelhado, calda quente de açaí e cachaça e sorvete de creme: 3/5

Acabaxi grelhado, calda quente de açaí e cachaça e sorvete de creme

Uma sobremesa daquele almoço de domingo na casa da vovó, porém mais sofisticada, alcóolica e bastante saborosa. A fatia de abacaxi estava bem gostosa, com uma boa temperatura para acompanhar o sorvete de creme. O ácido da fruta era bem cortado pela suavidade da bola gelada, e a calda de açaí completava maravilhosamente o conjunto com um toque mais forte e terroso. Infelizmente, a presença da calda acabava roubando qualquer merecedor destaque do flambado, perdendo o equilíbrio que a sobremesa matinha até então.

Pudim de queijo com calda de goiabada: 4/5

Pudim de queijo com calda de goiabada

O pudimzinho era delicioso, com uma textura levemente granulada mas ainda assim gelatinosa e cremosa, parecendo uma panacotta em uma temperatura geladinha maravilhosa. Seu sabor, talvez felizmente, era tomado pelo coco, e não pelo queijo, o que descaracterizava um pouco o clássico, mas não prejudica em nada o desempenho da sobremesa. A calda de goiabada era um delírio, docinha e em textura perfeita, sendo o contraste ideal para o queijo/coco do pequeno pudim. Seu único porém era o fato da calda ser servida fria, ao invés de quente, perdendo uma oportunidade de se criar uma luta ainda mais gostosa de sensações com o pudim.

Dicas:

O Hermengarda é um restaurante para entrar na lista dos frequentados. Um valor justo para uma culinária cuidadosa, bem executada e sempre repleta de ingredientes selecionadíssimos. Talvez seja difícil conseguir uma reserva durante os finais de semana ou nos festivais, mas tente ir mais cedo ou durante a semana para não deixar de aproveitar dessa maravilha belohorizontina.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s