Oak Wine Bar – RW 2015, 1ª edição

Desde o começo dessa semana, o Restaurant Week tomou conta da cidade e os belo-horizontinos já podem degustar os melhores estabelecimentos por um preço super justo: R$37,90 no almoço e R$49,90 no jantar! Esse valor é válido para o menu degustação criado especialmente para o festival, composto por uma entrada, um prato principal e uma sobremesa. Curtiu? Pois nós curtimos muito! Então, aproveite para conhecer casas novas e voltar às casas mais tradicionais da cidade para provar esse menu super exclusivo!

Quem nos segue já sabe que há alguns anos o Week se tornou temático, o que, conforme citado pelo simpaticíssimo Fernando Reis, organizador do evento no Brasil, serviu para incentivar a criatividade no desenvolvimento dos cardápios. Ainda assim, não é uma obrigatoriedade aderir ao tema, então os chefs podem ficar a vontade para brincar com os ingredientes que quiserem. Nessa edição, que já é a 10ª, o tema é Gastronomia Saudável, e preza pela priorização de ingredientes frescos e naturais em composições leves, juntando sabor e saúde em um mesmo menu. Interessante, não? E bastante alinhado com a vibe atual dos brasileiros.

Para finalizar, o Week arrecada R$1 por refeição para doar para o Hospital da Baleia, trazendo a esse festival um motivo ainda mais nobre. ❤

Vamos então, aproveite a temporada para curtir o Week em BH, de 16/03 a 05/04! E não se esqueça de conferir o ONDEcomo regularmente para ver nossa cobertura do evento! Faremos, como é de costume, posts mais curtos e mais frequentes para levar aos nossos leitores uma boa noção do que está rolando no festival! Ah, e claro, sugestões são suuuper bem vindas! Comente nos posts, aqui, no Facebook (/ondecomo), Instagram (@ondecomo) ou mesmo nos mande um e-mail no ondecomo@gmail.com! Nos vemos no Week! 🙂

NOTA GERAL: 3.2/5

Menu ALMOÇO

Sobre o Oak:

Temos que admitir que essa é outra figurinha repetida aqui no ONDEcomo. Já fomos e voltamos ao Oak diversas vezes, e sempre nos surpreendemos com a gastronomia de super bom gosto, com os pratos criativos, muito bem apresentados e incrivelmente bem servidos. É sempre bom lembrar que essa é uma casa que conhecemos através do Week, portanto prova aquilo que sempre dizemos sobre o festival: é uma ótima oportunidade para as casas se apresentarem, exibirem sua cozinha e ganharem uma nova clientela! A casa em questão tem uma decoração super sofisticada, dividida em partes internas e externas, e garçons super presentes, sempre opinando, sugerindo e mostrando total domínio do cardápio. Para conferir nossas demais visitas ao estabelecimento, clique aqui.

Gastronomia:

O menu da casa é contemporâneo, portanto tem um pouco de todas as influências, sendo as mais comuns em questão a italiana e a francesa. Mesmo assim, tem maravilhosas contribuições brasileiras e de variadas regiões do globo, trazendo um cardápio rico e nada entendiante. Para o week, foram mais para o país da bota, escolhendo fettuccine e risoto como carros chefe.

Entrada:

Canjiquinha cremosa com costelinha defumada e agrião: 4/5

Canjiquinha cremosa com costelinha defumada e agrião

Nossa entradinha abrasileirada era bem interessante, com uma canjiquinha em excelente ponto, de sabor muito rico e notáveis toques de manteiga. A costela vinha em reduzida quantidade, quase que apenas decorando o prato, e seu molho, que retinha o paladar da carne, coroava o todo para quebrar qualquer monotonia impressa pela canjiquinha. Ainda assim, e algumas poucas garfadas mais tarde, todos os demais membros do prato se esgotavam, sobrando apenas aquela sensação de que a casa poderia sim ter pensado melhor nessas proporções. Visualmente falando temos um prato feiosinho, em boa parte pela escolha equivocada da louça na qual a entrada era servida, uma vez que ela certamente funcionaria melhor num recipiente menor e mais alto, ao invés deste prato raso em evidência. Ainda assim uma excelente entrada, com um toque de manteiga bastante distante do tema saudável do festival e que – convenhamos – era puro amor.

Pratos principais:

Risoto com ragu de filé e champignon selvagem: 2/5 

Risoto com ragu de filé e champignon selvagem

O tal risoto veio mais parecendo um ensopado, com textura aguada e grãos bastante amolecidos. Uma verdadeira infelicidade para o prato que, sem seu ingrediente principal bem executado, simplesmente não conseguia funcionar. Ainda assim o prato tinha seus méritos, o ragu estava consideravelmente saboroso e a utilização do caldo que desprendia da carne para temperar o prato também ajudava no paladar geral, mas provavelmente atrapalhava no ponto já molhado do prato. Para completar, um punhado de cogumelos que, como esperado da clássica combinação de cogumelos e carne, funcionava como uma luva.

Fettuccine Santa Amália Speciale de salmão à la vodka: 4/5

Fettuccine Santa Amália Speciale de salmão à la vodka

Agora sim! A massa estava no ponto ótimo, com o toque firme (que pessoalmente acreditamos que poderia ser ainda mais firme, mas tudo bem) e textura aveludada, para completar um molho relativamente ralo de salmão e creme de leite muito bem montado, completando o prato de forma acertada. Seu peixe, apesar de servido em iscas, também merecia certo destaque, uma vez que seu ponto estava distante do esturricado, desmanchando na boca e retendo aquela explosão de sabor em casa mordida. Por fim, um azeite que colocava tudo em perspectiva, amarrando o prato de forma a nos deixar sorrindo como bobos.

Sobremesas:

Sorbet de açaí com banana caramelizada e farofa de castanha: 3/5

Sorbet de açaí com banana caramelizada e farofa de castanha

Gostaríamos de fazer uma ressalva antes de entrar nessa categoria. O Oak é notadamente reconhecido (pelo menos por nós) por sua maestria ao final das refeições. Sim, suas sobremesas beiram e frequentemente alcançam a perfeição, trazendo ingredientes maravilhosos, combinações incríveis e apresentações de deixar qualquer um babando. Então entendam quando dizemos que ficamos decepcionados com as sobremesas desse menu. O primeiro deles, o sorbet, era simples demais, sendo somente uma quenelle de açaí acompanhada de uma farofinha. Ok, as castanhas estavam gostosas e traziam o crocante que a sobremesa pedia, a banana ainda que pouco caramelada combinava como uma luva com o creme da fruta, mas a verdade esmagadora era a de um prato extremamente clichê, pequeno, feio e sem qualquer diferencial, algo completamente aquém do histórico da casa.

Parfait de chocolate branco e compota de frutas tropicais: 3/5

Parfait de chocolate branco e compota de frutas tropicais

Uma gostosura, nos deixando tristes apenas pela mesma falta de criatividade e de coração que vimos na sobremesa anterior. O sorvete/parfait de chocolate branco era excelente, com toque suave, textura amolecida e sabor presente do chocolate. A calda de morangos que acompanhava era o companheiro ideal, com um toque azedo e uma textura gelatinosa para equilibrar bem o doce excessivo do chocolate. Não fiquem tristes, era bem gostoso, só não era bom o suficiente, muito menos para os altos padrões da casa.

Dicas:

Sabe aqueles lugares que você tem que conhecer? O Oak é um deles! Sua culinária maravilhosa sempre coloca um pé na ousadia, nos deixando muito positivamente surpresos a cada refeição. Por isso recomendamos uma ida fora do festival, ao menos deste, quando a casa poderá mostrar tudo o que faz de melhor.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Aun Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s