Più Pizza & Birra – RW 2015, 1ª edição

Desde o começo dessa semana, o Restaurant Week tomou conta da cidade e os belo-horizontinos já podem degustar os melhores estabelecimentos por um preço super justo: R$37,90 no almoço e R$49,90 no jantar! Esse valor é válido para o menu degustação criado especialmente para o festival, composto por uma entrada, um prato principal e uma sobremesa. Curtiu? Pois nós curtimos muito! Então, aproveite para conhecer casas novas e voltar às casas mais tradicionais da cidade para provar esse menu super exclusivo!

Quem nos segue já sabe que há alguns anos o Week se tornou temático, o que, conforme citado pelo simpaticíssimo Fernando Reis, organizador do evento no Brasil, serviu para incentivar a criatividade no desenvolvimento dos cardápios. Ainda assim, não é uma obrigatoriedade aderir ao tema, então os chefs podem ficar a vontade para brincar com os ingredientes que quiserem. Nessa edição, que já é a 10ª, o tema é Gastronomia Saudável, e preza pela priorização de ingredientes frescos e naturais em composições leves, juntando sabor e saúde em um mesmo menu. Interessante, não? E bastante alinhado com a vibe atual dos brasileiros.

Para finalizar, o Week arrecada R$1 por refeição para doar para o Hospital da Baleia, trazendo a esse festival um motivo ainda mais nobre. ❤

Vamos então, aproveite a temporada para curtir o Week em BH, de 16/03 a 05/04! E não se esqueça de conferir o ONDEcomo regularmente para ver nossa cobertura do evento! Faremos, como é de costume, posts mais curtos e mais frequentes para levar aos nossos leitores uma boa noção do que está rolando no festival! Ah, e claro, sugestões são suuuper bem vindas! Comente nos posts, aqui, no Facebook (/ondecomo), Instagram (@ondecomo) ou mesmo nos mande um e-mail no ondecomo@gmail.com! Nos vemos no Week! 🙂

NOTA GERAL: 3.2/5

Menu JANTAR

Sobre a Più:

A Più é uma pizzaria muito conhecida em BH, que ainda busca reconhecimento por algo que não seu menu de redondas. Seu ambiente é bastante simples e um pouco desorganizado. São muitas mesas, muitas mesmo, e se ao início da noite elas são organizadas, basta alguns minutos e alguns clientes para a casa ficar parecendo um salão de festas infantil. Várias mesas são aleatoriamente unidas para atender a grupos maiores e pronto, o lugar que é cheio de pilastras acaba ficando confuso e de movimentação relativamente complicada. Os atendentes são simpáticos e muito presentes, e sua comunicação com a cozinha é excelente, garantindo agilidade e assertividade nos pratos. Já visitamos a casa em outras ocasiões, então confira nossas outras impressões clicando aqui.

Gastronomia:

O menu da casa, como dissemos, é bastante recheado de pizzas. Admitimos que é difícil chegar no lugar e não ficar tentado a pedir qualquer item dessa extensa seção do cardápio, mas fomos fortes. Como mencionamos, a casa busca um lugar na gastronomia da cidade como um italiano, tentando diversas vezes – inclusive no week – apresentar cardápios de massas e outros pratos para mudar essa cara de pizzaria. Para essa edição, foram de risoto e fettuccine, ressaltando esse lado que querem tanto mostrar.

Entrada:

Pennette ao creme roquefort com ovas tipo caviar: 3/5

Pennette ao creme roquefort com ovas tipo caviar

A entradinha era composta de um penne normal, coberto por um molho de queijo roquefort e algumas ovinhas de capelin. O ponto do penne estava levemente mais macio que o ideal, o sabor do queijo era beeeem presente, porém – surpreendentemente – nada enjoativo e o conjunto acabava se mostrando um pouquinho salgado além da conta para a faixa etária que geralmente frequenta a casa. Sobre tudo isso um punhadinho de ovas de capelin, coroando e acrescentando um toque crocante ao prato, além de embelezar consideravelmente seu visual simples.

Pratos principais:

Risotto alla Baccalà: 4/5

Risotto alla Baccalà

Humm, se o ponto do prato anterior estava um pouquinho errado, esse aqui já estava ideal. O arroz estava bem al dente, com toque super presente, como deveria ser. A quantidade de queijo era reduzida, como em um legítimo risoto italiano, característica que funciona um pouco como uma flecha no coração ávido pela iguaria de nós mineiros. Seu tempero era ótimo, com pimentões vermelhos e amarelos de puro amor, e o prato era coroado por lindas azeitonas pretas inteiras, um toque de tomate e muito bacalhau (muito mesmo). Por fim um prato pra lá de bom, muito bem feito a partir de uma combinação simples e assombrosamente eficiente.

Steak de chorizo de angus ao molho de azeite, sálvia e tomilho com fettuccine de manjericão: 2/5

Steak de chorizo de angus ao molho de azeite, sálvia e tomilho com fettuccine de manjericão

Montado a partir de um filé no ponto certíssimo e uma massinha que, como a entrada, estava um pouquinho acima do correto, o prato em questão era o perfeito exemplo de como a logística do tempo dentro de uma cozinha é importante. Com uma carne alta e bem macia o prato tinha tudo para ser ótimo, especialmente com seu cerne ainda rosado. Ao lado desse exemplar de bom gosto uma massinha gostosa, com pouco gosto de manjericão mas uma textura muito bem dosada. E daí chegamos no problema: a logística. O prato estava a dois pontos do frio, indicando que este tinha ficado esperando seu parceiro, o risoto, algum tempo no balcão da cozinha. Porém o problema não era só esse, ele também estava seco, muito, muito seco, deixando claro que seus ingredientes não apenas tinham esfriado de tanto esperar num balcão, como estiveram prontos há ainda mais tempo, e também ficaram em algum local aquecido esperando, o que resultou numa carne seca e numa massa seca, transformando esse que certamente seria um exemplar de satisfação numa quase inexplicável frustração.

Sobremesas:

Affogato al caffè com castanha-de-caju (café expresso): 3/5

Affogato al caffè com castanha-de-caju (café expresso)

Um prato que era mais uma montagem do que uma criação, formado com a clássica junção de uma bola de sorvete e uma dose de café expresso. Nesse caso a casa também adicionou um pouquinho de castanha de caju, provavelmente para adicionar certo crocante. O resultado, no entanto, apesar de clássico e eficiente, era apenas normal, uma vez que o conjunto poderia ser consideravelmente mais trabalhado para resultar numa combinação muito mais rica e saborosa. Seu sorvete tinha algumas pedras de gelo, suas castanhas não adicionavam qualquer sabor ao todo, servindo exclusivamente como um bônus de texturas e, pessoalmente, o conjunto pedia por um toque de cacau, mas provavelmente isso é apenas uma mania boba nossa.

Banana ao forno: 4/5

Banana ao forno

Banana ao forno é amor e sempre será amor, principalmente quando temperada com canela e açúcar. O prato que é quase como o super trunfo de qualquer pizzaria vinha acompanhado de uma bola de sorvete de creme, chantilly e calda de chocolate. Todos esses itens eram gostosos, simples e contribuíam bastante com a sobremesa, especialmente pelo chocolate artesanal e super denso que quebrava o doce pleno estabelecido pelos demais integrantes da obra. Mas, de novo, quem se importa com isso quando se tem uma banana assada coberta com canela?

Dicas:

A Più realmente surpreendeu nesse menu. Já provamos o cardápio em outra edição do week e digamos apenas que foi uma triste experiência. Mas, dessa vez, ela juntou o que sabe melhor e montou pratos saborosos, com bons ingredientes e combinações deliciosas. Definitivamente uma boa opção para quem quer ir além das pizzas!

post and review by Eduardo Boaventura e Path Aun Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s