Full House Pub

NOTA GERAL: 3.2/5

www.fullhousepub.com.br
Rua Lavras, 417 – São Pedro  Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 3504-0887

Localização e Ambiente: 4/5

O Full House Pub foi recentemente inaugurado no bairro São Pedro, em um local primordialmente residencial, porém muito próximo de points de comércio e gastronomia. Sua ideia é oferecer, além de um cardápio de cervejas e burgers, um espaço para jogatina, onde as pessoas se reúnem para um eventual poker estilo Texas Hold’em. A fachada escura é um pouquinho escondida, e o espaço interno parece uma taverna, com suas paredes de tijolos alaranjados, grandes mesas com sofás bordô, um bar e um balcão na entrada, onde é feito o cadastro do cliente e onde retiramos nosso cartão de consumo (como em uma boite). Ainda que possível unir os prazeres, o estabelecimento é bem distinto, tendo o espaço do restaurante reservado para a hamburgueria/pub enquanto seu segundo andar é exclusivo para o carteado.

Atendimento: 4/5

Diferentemente do sugerido pelo nome, não é um pub no modelo inglês ou irlandês conforme a defesa da casa (no qual é necessário pedir no balcão), e existem garçons disponíveis para anotar e levar os pedidos até as mesas. Para falar a verdade, só vimos uma garçonete no momento de nossa visita, e ela foi suficiente para atender todo o bar (que não estava lotado) com maestria. A bem treinada atendente sabia ser simpática, educada e presente, sem jamais ser invasiva, mostrando domínio do cardápio e uma excelente comunicação com a cozinha.

Gastronomia: 2.4/5

Como vocês devem ter percebido pelas milhares de vezes que já citamos isso, o pub é uma hamburgueria, que serve alguns petiscos (ideais para grandes grupos que vão atrás de bebidas porém querem algo para mastigar de vez em quando), e uma pequena seleção de burgers e hot dogs, que pode ser seguida por uma interessante sobremesa.

Burgers e Hot Dog:

Flush Burguer (Hambúrguer bovino, creme cheddar e salada): 3/5

Flush Burguer

Talvez vocês considerem essa uma escolha segura, careta ou mesmo simples demais. Mas a verdade é que, ao provar um lugar novo, é interessante pegar um prato básico, justamente para avaliar sua execução. É um bom momento para analisar ingredientes, preparos individuais e proporções. Por esse motivo, optamos pelo simplérrimo x-burger, que nos mostraria muito sobre a casa que estávamos conhecendo. O Burger era bom! Montado com uma avantajadíssima porção de um queijo ok, o sanduíche começava melhor que a média, mas não bom o suficiente para causar um impacto verdadeiro. Podemos dizer que seu queijo não era um daqueles exemplares toscos de posto de gasolina, com aquele gostinho único de plástico e sua cor radioativa, mas também não chegava a ter aquele gosto pesado de um cheddar de verdade. A sacada da casa aqui foi dar àquele que acreditamos ser o clássico queijo fundido sabor cheddar (sim, o quadradinho), uma textura muito mais cremosa com a adição de creme de leite, deixando o todo não só mais vistoso, mas com uma textura muito mais elegante. Nossa tristeza com o quesito foi só uma infeliz adição de sal, que deixava cada mordida do creme consideravelmente penosa mesmo para aqueles fãs do tempero. Passamos então para a boa carne da casa que, no ponto ideal, ajudava bastante o conjunto. Para terminar, um bom pão que infelizmente acabou ficando tempo demais numa estufa para aquecer, chegando à mesa mais crocante que o desejado e levemente enrijecido. Ah sim, suas batatinhas chips eram boas, artesanais e vinham em abundância, sendo suficientes para acompanhar cada mordida do sanduba.

Beer Burguer (Hambúrguer bovino, tiras de bacon, creme de cheddar, redução de cerveja preta e salada): 2/5

Beer Burguer

O burger que levava redução de cerveja era feito com a mesma carne do anterior, mesmo queijo (o tal creme de cheddar) e mesmo pão. O resultado então era igualmente gostoso, não fosse à redução de cerveja que, levemente adocicada, não trazia qualquer sabor da preferida dos brasileiros, criando apenas um bem vindo contraponto doce/salgado com o já citado queijo. Se até então tudo funcionava de forma aceitável, o verdadeiro problema se encontrava na textura de tal molho que, super líquido, deixava o burger completamente desajeitado, molhando o pão exageradamente e tornando o simples ato de comer o sanduba com as mãos uma completa lambança. Talvez um molhinho mais encorpado pudesse agregar bem nas texturas e evitar o constrangimento de sair com o hambúrger nas mãos, na cara, nas roupas e na mesa toda.

Flop Burguer (Pão australiano, hambúrguer de pernil, tiras de bacon, requeijão de raspa, molho mostarda e mel e salada): 3/5

Flop Burguer

O burger que era o mais diferente até então, e podemos dizer até o mais mineiro, por usar pernil e requeijão de raspa, nos encheu de expectativas, nos deixou de boca seca ao ver seu tamanho e seu belo porte, e nos decepcionou na primeira mordida. A carne, suposta estrela da combinação, estava bastante…. como diremos… comum? Não havia nada demais, nenhum temperinho, nada que a elevasse com relação ao que foi provado até então, reforçando o fator da casa acrescentar ingredientes demais para criar uma liga boa de ser manuseada pelos seus cozinheiros, mas que acabava mascarando o verdadeiro sabor que importa, o da carne. Seu pão australiano, diferente de seus companheiros supra-citados, estava macio e um pouco sem gosto, e seu queijo/requeijão era delicioso, aflorando tudo que esperávamos do ingrediente. Para completar, um molho de mostarda e mel bom, contrastando bem com a carne mais salgada e com o bacon (aliás, percebam que não falamos do bacon porque ele meio que se escondeu no sanduba, perdendo sua presença tão especial), tendo novamente como defeito sua textura líquida, proporcionando uma nova e embaraçosa bagunça. Ah sim, as batatas, o que dizer? Daquelas congeladas de supermercado, sabem né?

Hot Dog Especial (Salsicha, molho cheddar, tiras de bacon, cebola caramelizada e crisp de alho poró): 2/5

Hot Dog Especial

O estranho exemplar que vocês contemplam na foto é um elaborado cachorro quente, coberto por uma camada muito generosa de cebolas caramelizadas (sim, todo aquele preto no prato é constituído de cebolas) e queijo levemente gratinado. O dog era feito na baguete (velha), e acompanhava além dos kilos de cebola, algum bacon novamente pouco presente e outro queijo, esse abaixo da cebola, com base no mesmo cheddar que mencionamos. Sua cebola era boa, bem feita, macia e caramelizada corretamente, o que era um grande triunfo, já que todo o sabor dependia quase que unicamente desse ingrediente. O problema é que os outros itens tornavam-se inexistentes, procurando brechas suaves nas lacunas da cebola, fazendo com que a própria salsicha desapareça e se torne um figurante em seu próprio filme, perdendo a característica básica que nos remete a um cachorro quente. É aqui que abrimos um parênteses para a casa, que provavelmente conseguiria dar ao prato muito mais destaque apenas substituindo a salsicha por uma avantajada linguiça de gosto forte e tendências apimentadas.

Sobremesa:

Ice cream with caramel coffee (Sorvete de creme coberto por caramelo de café): 2/5

Ice cream with caramel coffee

Uma sobremesa simpática e diferente das básicas do cardápio nosso de cada dia. Ela pegava o tradicional sorvete e gourmetizava com um caramelo de café, o que deixava a taça mais bonita e com certeza mais gostosa. Em teoria. As questões eram muitas: o sorvete não tinha nada demais, a calda era somente um exemplar industrializado de caramelo acrescido de pó de café, o caramelo não era bom e nem o café. Ou seja, meio que a boa ideia acabou não dando muito certo. Seu paladar de café era suave até demais e, quando aparecia, tinha um gosto somente ok. Enfim, uma boa ideia com uma execução economicamente infeliz.

Custo Beneficio: 3/5

Com 40% de desconto (obrigada Chefs Club!), a conta ficou bem apetitosa. Normalmente, ela não é caríssima, porém está em um patamar normal e aceitável para o estilo do pub. Os sandubas vão de R$20 a R$40, sobremesas e entradas ficam na casa dos R$20 e por fim uma combinação satisfatória fica em R$60. Um valor ok, e uma comida gostosa e confortável, sem uma tentativa (agora tão comum) de gourmetização exagerada. Claro que você ainda tem a oportunidade de sair com mais dinheiro que você entrou, arriscando uma partida de poker com os amigos. 🙂

AQUI TEM CHEFS CLUB, que deixa a conta bem mais gostosa.

chefs club

Dicas:

Nossa dica é provar os básicos. A casa não tenta servir nada muito complexo, e, como sustenta uma boa execução, se destaca realmente nos mais básicos. Então, opte pelo simples, use seu ChefsClub e pule a sobremesa. Se for um fã das cartas, chame os amigos para uma partida, garantindo muita diversão e a boa companhia de um extenso menu de cervejas.

post and review by Eduardo Boaventura & Path Aun Tôrres
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s