Itália Grill – RW 2015, 2ª edição

NOTA DO JANTAR: 3.0/5

Na segundona, dia 14/09 começou o festival mais democrático da gastronomia aqui na capital mineira! Até o dia 04/10, o Restaurant Week toma conta da cidade e os menus degustação (entrada, prato principal e sobremesa) já estão listados no site! São 60 restaurantes participantes – sendo 16 novos! – que servirão almoço por R$39,90 e jantar R$51,90 no jantar! Partiu week?

Nas últimas edições, o Week sugere um tema para inspirar o menu das casas, fato que o organizador Fernando Reis considerou interessante para estimular a criatividade dos chefs na criação dos cardápios. Aderir ao tema não era obrigatório, mas sempre serve como fonte de ideias. Esse ano, o tema não remete a nenhuma culinária específica, não valoriza nenhum ingrediente especial e é um conceito totalmente abstrato. Chama-se Gastronomia Afetiva. A ideia é criar pratos que tragam uma memória de família, viagens e momentos marcantes. Segundo Fernando: “Nosso objetivo com este tema é buscar estreitar ainda mais a relação que existe entre clientes e restaurantes, enaltecendo as comemorações em torno da mesa, despertando sensações e mostrando temperos que traduzam as características de cada chef”. Ademais, o Week ainda arrecada R$1 por refeição para doar para o Hospital da Baleia, trazendo motivos ainda mais estimulantes para provar alguns dos menus.

Três dicas importantes que aconteceram na última edição e se repetem nessa:

1) Você continua podendo trocar Dotz para degustar o Week! 2.000 dotz = menu week almoço e 2.750 dotz = menu week jantar! Incrível, não é? Confira no site os restaurantes que aderiram a esse benefício clicando aqui.

2) Ainda é possível reservar online através do The Fork, uma empresa do Trip Advisor. Clique e veja onde você pode reservar agora!

3) Vejam que mantivemos o campo em nosso blog para falar do Week! Ele fica logo abaixo do título, onde há uma aba fixa chamada Restaurant Week.

Corra e tente ir no maior número de casas possível! E não se esqueça de conferir o ONDEcomo regularmente para ver nossa cobertura do evento! Serão posts mais curtos e mais frequentes para levar aos nossos leitores uma boa amostragem dos menus! E queremos sugestõooes! 🙂 Comente nos posts, aqui, no Facebook (/ondecomo), Instagram (@ondecomo) ou mesmo nos mande um e-mail no ondecomo@gmail.com!

NOTA GERAL: 3.0/5

Menu JANTAR

Sobre o Itália Grill:

O Itália Grill é um restaurante bem antigo aqui em BH, localizado dentro do Diamond Mall, em uma grande esquina da praça de alimentação, próximo a onde hoje fica o Verdemar. Como praticamente qualquer restaurante dentro de uma praça de alimentação, a casa tem ambiente normal, sendo um grande salão aberto, com sofazinhos ao fundo e muitas mesas distribuídas por todo o restante do espaço. A sensação é de conforto, porém ela é por diversas vezes interrompida pela percepção de se estar completamente em público, vendo pessoas passando por todos os lados, com roupas de academia, crianças e carrinhos de supermercado. Se seu ambiente não encanta, por outro lado seu atendimento é excelente, com garçons conhecedores do cardápio e da proposta da casa, sempre tentando ao máximo treinar os ouvidos e os olhos para escutar e enxergar os acenos frente a tantos desvios de atenção. A comunicação com a cozinha era excelente, fazendo com que tudo fosse ágil e em um ritmo ideal para um menu degustação.

Gastronomia:

O italiano tem a real comida típica abrasileirada, ou seja, muitas massas e algumas carnes para acompanhá-las. Para o Week a casa aproveitou de seus pratos já existentes, servindo uma opção de massa e outra de carne, na tentativa de mostrar um pouquinho de cada especialidade.

Entradas:

Casquinha de salmão: 4/5

Casquinha de salmão

Aqui nós começamos com um padrão de fartura que a casa manteve em cada um dos pratos servidos no festival, deixando claro que aquele diminutivo no nome do prato servia apenas para relembrar do clássico que tanto conhecemos. A enorme porção de salmão estava super agradável, com sabor excelente e, ainda que seu gosto de peixe fosse pouco mais fraco que a expectativa, todo o combinado de temperos alegravam a boca de forma a fazer até os não fãs da iguaria sorrirem. O prato lindamente apresentado era uma aula de casquinhas (ões), sua textura combinava super bem com todos os ingredientes e passava da aveludada batata ao encorpado queijo, terminando no (um pouco além do ponto) peixe. Os aplausos de encerramento ficam para o limão, que fazia toda diferença na degustação do prato, acrescentando aquela nova dimensão ácida que tanto amamos com o pescado.

Pratos principais:

Tornedor ao chateaubriand (Molho Francês ao vinho especial, shoyu, ervas finas e champignon acompanhado de arroz piemontese e batatas coradas): 3/5

Tornedor ao chateaubriand (Molho Francês ao vinho especial, shoyu, ervas finas e champignon acompanhado de arroz piemontese e batatas coradas)

O prato, enorme, era composto por um arroz muito bom, super cremoso e muito saboroso, com temperos bem pontuados e sutis, evitando qualquer sensação pesada ou até aquele desagradável gosto de creme de leite. Para acompanhar, uma ótima carne, muito suculenta (como se pode ver na foto) e somente um pouco além do ponto, mantendo-se bem molhadinha e bastante macia. Seu molho era abundante, bem temperado e, ainda que parecesse terceirizado, não influenciava negativamente no prato, permitindo que seu paladar incrementasse verdadeiramente o singelo arroz. Para finalizar, ótimas batatas fritas que mantinham aquela crostinha crocante e aquele miolo cremoso.

Penne ao molho sangiovese alla rabiata (camarões médios, fungui, tomate fresco, pimenta calabresa molho levemente picante): 2/5

Penne ao molho sangiovese alla rabiata (camarões médios, fungui, tomate fresco, pimenta calabresa molho levemente picante)

A massa – que veio na pior escolha de louça possível, praticamente garantindo uma carimbada vermelha nas roupas brancas – estava além do ponto, ficando hiper mole e bem decepcionante. Seu molho de tomates era bom, porém não surpreendia, faltando em textura e em sabor, algo que até então todos os pratos exibiram tão bem. Para completar, um punhado de cogumelos pouco hidratados diminuíam o conjunto criando uma aquém sensação de chiclete velho na boca. Se existia alegria aqui  ela se dava por conta dos camarões, de fato bem feitos e abundantes, mas que, apesar de ótimos, infelizmente não conseguiam segurar o prato sozinhos. Para completar, um prometido toque de pimenta calabresa que acabava despercebida, resultando num prato entediante.

Sobremesas:

Torta Holandesa: 4/5

Torta Holandesa

Se até então vocês não entenderam o padrão do restaurante, essa sobremesa era GIGANTE. Sinceramente, um menu do week aqui serviria dois sem dificuldades. Mas essa não é a questão, a questão aqui era a toestá que, super bem feita, era a alegria geral da mesa. Começamos então pelo principal do conjunto, seu creme de confeiteiro lindo, extremamente suave e de textura soberba. Fechando o creme como um sanduíche, uma dupla de camadas de biscoito agradáveis ajudavam com um gosto sutilmente “afarinhado” e um toque macio, deixando apenas um único detalhe para torcermos o nariz, a cobertura de chocolate. Não que ela fosse ruim, de forma alguma, é só que ela era, diferente de todos os ingredientes citados até então, grosseira, atrapalhando um pouco a suavidade e elegância do ingrediente principal aqui, o creme. O resultado então era uma espessa camada de chocolate que infelizmente roubava a harmonia até então servida, deixando esta que poderia ser uma das melhores tortas holandesas da vida num patamar apenas normal.

Petit Gateau com sorvete de creme: 2/5

Petit Gateau com sorvete de creme

Hummmm, bobo? Acho que essa é a palavra que descreveria bem o bolinho que provamos. Ele não estava tão derretido por dentro, o que era uma infelicidade, mas estava bem assadinho e crocante por fora (evidenciando que realmente passou da hora no forno). Seu sabor, assim como o de basicamente todos os nomeados “petit gateau” que vemos por aí, simplesmente não saía daquele conhecido nada demais, ficando bem dentro do esperado e consequentemente servindo apenas como escolha para aqueles que, não tão fãs de gastronomia, optam por escolhas completamente seguras. Ah sim, existia também o agradável e igualmente normal sorvete, que servido no formato da maior bola da história, condizia com a fartura já ressaltada do local.

Dicas:

Vá em grupo e divida, pois as porções são imensas!! Nossa sugestão é ficar com as carnes que, por incrível que pareça, surpreenderam mais que as massas. Ah, e lembre-se que é um shopping, então evite domingos e dias de super movimento se não quiser enfrentar uma bela fila para assentar e se quiser ainda reter alguma sensação de privacidade.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Aun Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s