Taika Izakaya

NOTA GERAL: 4.3/5

Rua Juvenal de Melo Senra, 383 – Belvedere  Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 2127-1818

Localização e Ambiente: 5/5

Em volta da ex-lagoa mais frequentada de BH (a Lagoa Seca), ficava um restaurante simpático chamado Merlin. Há tempos, o restaurante fechou as portas e deixou o imóvel vazio. Talvez ele tenha sido ocupado em algum momento durante esses anos, mas admitimos não determos essa informação. O ambiente é lindo, de tamanho ideal, com três fileiras de mesas muito bem montadas defronte a um balcão de bebidas super simpático. O lugar é bem escurinho, ganhando um tom sofisticado, intimista, misterioso e até mesmo romântico. Sob o teto vazado e em meio às paredes cobertas de um híbrido asiático de tapete e cortina, as mesas escuras e os sofázinhos negros do Taika criava um ambiente mais que propício para um pequeno evento elegante ou um jantar bastante especial.

Atendimento: 4/5

Um primor. A casa, que inaugurou na primavera de 2015, tinha um atendimento assombroso. E entendam, esse é um grande elogio. Todos os garçons e garçonetes que nos atenderam tinham absolutamente zerado o cardápio, e conheciam a casa como se fossem eles mesmos os donos. Essa sinergia e envolvimento é algo realmente raro de se imprimir, principalmente em uma casa com nenhum histórico e com tão pouca história. No Taika, você fica completamente confortável em pedir uma sugestão para os atendentes, certos de que eles têm informações quase tão densas quanto os próprios cozinheiros teriam.

Gastronomia: 4.2/5

Pelo nome vocês já devem ter sacado que se trata de um restaurante de culinária oriental, certo? Pois bem, mas esse não é mais um dos vários “fusions” que vemos na cidade, com seus nada clássicos rolls de cream cheese e okonomiyakis de frango com catupiry. Esse é um japonês com ar de japonês, que com certo cuidado mescla outras culinárias em sua carta, focando tanto nos ingredientes como nos preparos. Para começar, você pode provar uma ou várias das diversas entradinhas da casa. Na sequência, uma ótima pedida são as duplas de sushi, uma forma magnífica de provar itens bem distintos. Para os menos orientais, a casa ainda dispõe de pratos principais muuuito interessantes.

Entradas:

Salmon crispy carpaccio (carpaccio de salmão servido com ovas e massa crocante, ao molho à base de shoyu, vinagre balsâmico e gengibre): 3/5

Salmon crispy carpaccio

Para começar, um carpaccio de salmão nos pareceu uma boa escolha. A bela apresentação trazia um peixe bem fresco, agradável e bem feito. O corte era ideal, ficando fininho o suficiente para ser leve sem mascarar a fibrosidade natural do peixe. O molho que acompanhava nos pareceu talvez forte demais para a espessura do peixe proposto, porém o real deslize estava em seu crocante (aparentemente de legumes) que, igualmente potente, deixava o gosto de fritura e óleo se sobressair demais no conjunto. O resultado era um prato gostoso, que certamente fará sucesso entre as pessoas menos criativas e não muito inseridas num mundo de sutilezas. Ah, vale destacar algumas poucas ovas de capelin dispostas aqui e a colá, certamente um relevante toque no todo e uma agradável surpresa para qualquer pessoa.

Ussuzukuri takô (carpaccio de polvo ao molho oriental): 4/5

Ussuzukuri takô

Partindo para o segundo carpaccio, resolvemos provar algo menos habitual, e escolhemos o polvo. Novamente, o corte era exemplar, trazendo no belo prato algo próximo de um papel de seda. Por cima, um molho incrível, muito bem temperado e com uma textura deliciosa. A combinação dos dois era excelente, de dar água na boca desse que vos escreve (mesmo somente apreciando a foto no momento). O resultado era um prato ótimo, que talvez poderia prezar mais pela carne e menos pelo molho, procurando algo mais discreto, mas que certamente conseguia arrancar suspiros de qualquer um.

Hotate Truffle (vieiras aquecidas com manteiga de trufa servidas no limão siciliano): 5/5

Hotate Truffle

A novamente bela apresentação era o prato mais delicado até aqui, pontuando muito bem a nossa coletânea de entradas. Vieiras são super sensíveis, então é muito importante que qualquer prato que as utilize preocupe-se muito com o toque, o ponto e os sabores acrescidos a ela. A textura estava excelente, o tempero era sutil e gostoso e, infelizmente, apesar de sua apresentação, a presença do limão siciliano era por demais sutil, deixando o combinado menos elegante que ele poderia se tornar. Sobre o todo um punhado de ovas de salmão que, se não muito bem trabalhadas, acabariam se tornam algo chato de ser utilizado, mas – para nosso deleite – bastava uma bolinha daquelas tocar a língua para nos colocar em cheque e nos fazer ponderar se existiria outro ingrediente que se posicionaria tão bem ali, afinal, além de suaves e muito saborosas, as ovas traziam um gosto defumado maravilhoso ao prato.

Sushi de salmão e atum prensados com massa crocante de legumes: 5/5

Sushi de salmão e atum prensados com massa crocante de legumes

Uma peça super simpática, com variação entre atum e salmão prensado. Bom, começamos então pelo salmão, onde cada bolinho era super saboroso, muito bem bolado e (diferentemente do primeiro carpaccio que provamos) acompanhado de uma proporção de crocante que não contaminava o todo com sabor de gordura, especialmente quando pareada com o vinagre bem ponderado do arroz. As peças de salmão eram temperadas com yuzu, mas seu sabor fraco se tornava bastante irrelevante, enquanto as de atum tinham um toque picante, igualmente sutil, porém certamente mais presente que a fruta oriental tão apreciada pela casa. Seu único defeito se dava justamente por conta de sua fofa montagem prensada que, apesar de visualmente agradável, deixava as peças ineficientes de se molhar no shoyu. Afinal, virar uma peça dessas – além de complicado de se fazer sem desmontar tudo – ocasionaria em deixar todo o crocante no potinho de molho, enquanto não virá-las e molhar o arroz empaparia tudo, arruinando as sutilezas agridoces de um bom grão.

Pratos principais:

Walnutz shrimp tempura (camarões salteados em wok e servidos com nozes caramelizadas): 5/5

Walnutz shrimp tempura

O prato que nos fazia salivar só de ler a descrição vinha com a carne no ponto, nozes excelentes e um bom molho, tudo super bem equilibrado e em excelentes proporções. De fato uma combinação simples, complicada de se descrever (uma vez que o descritivo do prato era basicamente aquilo que se encontrava em nossa frente) e realmente impressionante em seus sabores e texturas, com o doce das nozes e o adocicado do pescado contrabalanceando o molho a base de soja e o frescor dos brotos. Algum porém? Sim, a casca do camarão poderia ser completamente removida, atribuindo mais elegância ao prato,  mas nada muito preocupante.

Arroz de pato (arroz basmati puxado em wok, com pato confitado): 4/5

Arroz de pato

Com mais uma louça de encher os olhos, o prato de pato era super gostoso, com um excelente arroz e bastante sabor da ave. Sua carne era preparada separadamente, tendo cada peça um ponto distinto, assim como sua pele que era frita e misturada aos grãos como um crocante. Um prato simples, disposto numa escolha estranha de louça que retinha um paladar excelente e uma textura simplesmente incrível. Ah sim, e não vamos nos esquecer do ótimo ovo poché, que ajudava a unir o todo balanceado a força da carne.

Arroz frito com ovo: 5/5

Esse era um acompanhamento que encontramos no fim do cardápio, que não resistimos e acabamos pedindo quando praticamente não aguentávamos mais nada. O arroz era bom, bem ponderado, porém pouco presente ou mesmo pouco salgado. A questão é que faltava algo para acompanhar o acompanhamento, porém nada melhor que uma dose pequena do nosso famoso molho de soja (sim, o clássico shoyu), para transformar o prato em um verdadeiro pecado, perfeito para transitar das carnes para os doces.

Sobremesas:

Yuzu mango raviolli (raviolli de manga recheado com creme de yuzu, servido com sorbet de limão e chocolate branco com crocante de sembei): 4/5

Yuzu mango raviolli

Uma sobremesa perfeita! O prato exótico vinha com rodelinhas super refrescantes, um gosto de manga bom, porém insuficiente (sim, você entendeu certo, estamos dizendo que os belos raviólis poderiam sim ter mais gosto de manga). As lasquinhas meio grosseiras de chocolate branco adoçavam os demais itens não muito açucarados e completavam perfeitamente o conjunto, especialmente quando servido junto do sorbet de limão que fornecia aquele belo tapa ácido.

Taika chocolate cake (bolo de chocolate feito com castanha do Pará, servido com lichia recheada de ganache de chocolate branco e morango ao perfume de whisky gold label): 3/5

Taika chocolate cake

Bom, o tanto que eles eram bons no ravioli eles perdiam no bolo. O centro das atenções do prato, a esponja do bolo, tinha uma textura que beirava o decepcionante, e um paladar fácil de se enjoar. Seu gosto de chocolate era fraco e os demais componentes do prato incapazes de solucionar seus defeitos. O sorbet em questão era de frutas vermelhas e a calda de morango veio sem qualquer toque do “perfume de whisky”. Sobre o todo, uma perdida lichia de textura débil era recheada de um creme sem gosto igualmente questionável, além de um bonito quadrado de chocolate branco (igual ao da outra sobremesa) que aqui não conseguia completar os sabores, se tornando apenas um bloco doce sobre um outro conjunto já doce.

Custo Beneficio: 4/5

As entradinhas ficavam entre os R$30 e R$40, enquanto as duplinhas (que acabamos não pedindo frente a tantas coisas interessantes) ficavam na casa dos R$25. Os pratos flutuavam próximos aos R$60, e as sobremesas também saíam por R$20 e poucos. No final, um ticket médio de R$100 garante uma experiência bem gostosa e satisfatória, o que é muito válido perante à qualidade do atendimento, ao aconchego da casa e à maestria dos garçons. Só podemos esperar que o nível seja mantido ao longo dos meses e que a casa possa aflorar de maneira sustentável com uma culinária consideravelmente fora do padrão filé ao molho de gorgonzola mineiro.

Dicas:

Entre os pratos, nosso destaque foi o de camarões e nozes. Então, se gostar dos dois itens e não for alérgico a nenhum deles (já que são duas das alergias mais comuns), peça sem pensar duas vezes. Para uma experiência mais japonesa, o atum e salmão prensados são uma boa sugestão. Outra boa ideia é escolher algumas duplas ou um conjunto de sushis do dia, finalizando sempre com o incrível arroz frito com ovo. Puro amor.

post and review by Eduardo Boaventura & Path Aun Tôrres
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s