O Conde – RW 2016, 1ª edição

NOTA JANTAR: 3.8/5

Sobre o Conde:

A linda casa na Conde de Linhares deu espaço a esse belo restaurante, clássico, elegante e até mesmo intimidador. Mas não se espantem. O cardápio não é caro além da conta e existe uma varanda bem mais informal, onde aqueles que – como nós – só querem apreciar de boa comida (e não tirar onda) podem ficar bem à vontade. A parte interna é bem chique, com longas janelas, mesas redondas postas, lustres pendendo do teto e um bar gigantesco. Os garçons são bem formais e competentes, mas não deixam de ser simpáticos e agradáveis. Mesmo com o grande número de pilares, estão super atentos aos chamados dos clientes, garantindo que tudo corra com ritmo maravilhoso. Já visitamos a casa fora do week, e você pode conferir uma visão mais completa aqui.

Gastronomia:

A casa tem um estilo internacional, mantendo um mix interessante de ingredientes e modos de preparo de todo o mundo. No cardápio tradicional, encontramos massas, risotos, carnes vermelhas, frutos do mar e outras variedades. Para o week, foram de italiano com toque brasileiro (para se manter no tema), criando um menu agradável e bem equilibrado.

Entradas:

Salada Caprese (Mussarela de búfala , tomatinhos confitado do azeite e farofa de pão): 5/5

Salada Caprese

Excelente começo. O que podemos dizer dessa saladinha? Definitivamente simples e muito boa! Seus tomates levemente aquecidos não só adquiriam uma textura suave e macia, sem perder o frescor do fruto fresco, como também conseguiam brincar com o tom mais frio do queijo, criando uma dança que trazia uma sequência de sorrisos. O sabor do azeite era suave, talvez para os mais aficionados com a iguaria fosse suave demais, mas ainda assim nada relevante, especialmente porque quando adicionado ao crocante do prato, uma farofa de pão, o resultado não forçava além da conta nos gostos nem na quantidade de gordura disposta pelo conjunto. Certamente uma excelente entrada, talvez uma das melhores de todo o festival, que infelizmente tinha tamanho não maior que de um exemplar de coquetel.

Bruschettas de Linguicinha com hortelã ( Fatia de pão torrada, linguicinha, hortelã e cebola): 4/5

Bruschettas de Linguicinha com hortelã

A segunda entrada já tinha nuances mais claramente brasileiros, graças à sua linguiçinha dichavada. O conjunto começava então por um pão gostoso de corte bastante fino, que infelizmente não exalava aquele frescor como os demais que havíamos encontrados por aí. Felizmente, para compensar sua base, um ótimo recheio de linguiça se tornava primordial para cada mordida. Combinando excepcionalmente bem com a singular folha de hortelã, que trazia um frescor ímpar ao prato cortando muitíssimo bem qualquer sensação gordurosa da carne. Uma pena – e vocês verão que esse defeito é uma constante nesse menu – ser tão pequeno.

Prato Principal:

Fetutine na fonduta com Açafrão e cubos de filét mignon (Massa grano duro,na founduta de queijo e açafrão e cubos de filé mignon): 2/5

Fetutine na fondita com Açafrão e cubos de filet mignon

Composto de uma massa em excelente ponto, idealmente al dente, o prato começava bem mas ia tropeçando ao longo da jornada. Se seu molho de queijo tinha sabor incrível e textura nada menos que perfeita, aveludada e muito bem envolvida à massa, sua carne que mais parecia um pacotinho de comida gourmet de cachorro sobre a massa tornava tudo verdadeiramente esquisito e desalojado. Seus cubinhos estavam ressecados, com pouco sabor e praticamente nenhum molho, puxando drasticamente o prato para baixo, sem contar que sua combinação com o queijo quase chorava por algum toque de vinho robusto para alegrar a boca.

Sobremesas:

Brownie com brigadeiro e calda de Baunilha (Bolo de chocolate, brigadeiro e calda de baunilha): 4/5

Brownie com brigadeiro e calda de Baunilha

Que ideia simples, brasileiríssima e maravilhosa para os amantes do doce. Seu gosto era delicioso, montado com base num bolinho incrível de boa textura (podendo apenas ter caído mais para aquele toque “fudge” que amamos nos brownies), o prato que era mais um bolo que um brownie simplesmente derretia na boca, deixando apenas aquela presença forte de chocolate. Para completar, uma porção digna de um excelente brigadeiro (agora sim, nada de economias como vínhamos vivenciando até aqui) e uma calda de baunilha soberba!

Semifredo de Chocolate (Chocolate, creme de leite, crocante de amêndoas e calda de morangos): 4/5

Semifredo de Chocolate

Voltando para a Itália, encontramos um Semifredo maravilhoso, porém muito pequeno! O que parecia aquela golada de vinho que você toma para ver se está do seu agrado, na verdade era toda a sobremesa, nos deixando #xatiados. Ainda assim, a sobremesa em seu insignificante volume não poderia passar despercebida. Seu creme era muito chocolatudo, e suas duas quase decorativas caldinhas, uma de chocolate densa e forte e outra de morangos bem refrescante, ajudavam a criar variáveis de sabor durante cada garfada. Para coroar tudo um amontoado de pralinés (esses toques brasileiros estão de enlouquecer) maravilhosos, com um crocante perfeito e um açucarado de comer de joelhos. Ai, puro amor.

Dicas:

Que tal ir correndo? Mas sem muita fome ok? Certamente um menu ótimo (principalmente nas entradas e sobremesas) que faz valer a pena experimentar a linda execução e conhecer a bela casa do Conde.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Aun Tôrres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s