2015

OC melhores festivais 2015

Estamos de volta! Antes de começarmos a conhecer as novidades da cidade, que tal vocês conferirem o que brilhou no ano passado? Bora?

2015 foi um ano de poucos festivais. Apesar de muita coisa ter rolado, muitos dos eventos foram bastante desfocados da gastronomia, ora mais focados nas bebidas, ora na fama, enfim. Maaas, nossos clássicos marcaram presença, e claro que ficamos colados para trazer o mais legal para vocês.

Para começar, o belíssimo (se você é nosso seguidor já até sabe o que vamos falar agora hihi) Restaurant Week! Esse ano aconteceu uma coisa que nunca tinha rolado antes – e que nem foi uma coisa legal. Fomos nas duas edições do Week e, como é de praxe, elegemos os melhores menus. Só que a segunda edição acabou sendo um terror. Não é que os menus estivessem ruins, mas nenhum deles era memorável. A maioria estava num nível pouco surpreendente/dentro da caixa bastante entendiante, o que fez com que NÃO houvesse post de melhores do Week. Não houve. Portanto, se vocês estranharam não verem o post de melhores da 2ª edição aqui no OC, não comemos mosca, simplesmente não havia o que comemorar ou alguém para premiar.

Anyway, o Burger Fest voltou em 2015, mais maduro, melhor organizado e com novidades. Elegemos aqui os melhores desse ano, e avisamos que essa lista pode – e vai – te dar fome.

Bora conferir!

Restaurant Week 2015

Alma Chef – RW 1ª edição

NOTA GERAL: 4.0/5

www.almachef.com.br | Rua Curitiba, 2081 – Lourdes – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 2551-5950

Cheese cake do Paul

A casa que estreia aqui no ONDEcomo fazendo bonito é uma das novidades do Lourdes, com proposta multifacetada (almoço Chef Service, jantar a la carte, espaço para cursos, empório, eventos) e um maravilhoso e enxuto cardápio. Sua localização é privilegiada, em uma das ruas de maior movimento do bairro, e seu ambiente super clássico é um colírio. O atendimento é frio, como já colocamos que é padrão em algumas casas “finas”, o que não deixa de ser cortês, mas perde a simpatia e graciosidade que um atendimento mais natural poderia ter.

Nossa experiência gastronômica no week foi nada menos que maravilhosa, então, como a casa têm vários pratos no menu oficial, recomendamos que você saia correndo para provar alguns itens. O primeiro deles é o Ceviche tradicional Lima style, que, para quem gosta da culinária peruana, beirava a perfeição com sua carne maravilhosa, toques crocantes da batata e da pipoquinha, e um tempero cítrico ótimo. Outro item de babar era a Cotoletta alla milanese, rúcula e mostarda, agora em estilo austríaco. A carne à milanesa era de se comer de joelhos, muito bem acompanhada pela saladinha de batatas e por uma pincelada de mostarda de derreter corações. Para encerrar, o Cheese cake do Paul que ficou na memória como o equilíbrio agridoce e um belo encerramento.

Confira nossa visita à casa durante o festival.

PS: A casa não manteve o mesmo brilho na 2ª edição de 2015. Falta de sorte nossa, ou falta de padrão da casa? Esperamos que o próximo week traga de volta o amor que vimos na 1ª edição.

Casa de Música Gourmet – RW 1ª edição

NOTA GERAL: 4.0/5

www.casademusicagourmet.blogspot.com | Rua Curitiba, 2307 – Lourdes – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 2516-2307

Risoto parmigiano com filé e crocante de grana padano

Essa é uma das casas que adoramos. Todos sabem da maravilha que é chegar em um lugar e ficar bem confortável, sendo bem atendido, comendo bem e bebendo bem. Pois é, é esse o resumo do Casa de Música. Seu ponto em Lourdes é bem movimentado porém não caótico, permitindo ainda um ar fresco e pouco barulho. A casa que recentemente passou por mudanças agora serve vários risotos (adotados de sua ex-vizinha Sorriso) com novas receitas, e pratos inéditos muito bem compostos. Para o week, mostrou um pouquinho de cada, levando o Risoto parmigiano com filé e crocante de grana padano (um dos mais pedidos da casa) e uma moqueca de deixar qualquer um de queijo caído. Nossas recomendações são: (1) vá e vá logo, aproveite que a casa também serve os pratos do week no menu normal e se jogue; (2) prove aMoqueca de frigideira com purê de banana tostada e leite de coco, que estava sem pontas soltas, em um ponto maravilhoso e acompanhada por um purê de banana também incrivelmente bom, (3) se for provar do risoto (que é sensacional) não se esqueça da redução de vinho tinto; (4) despeça-se da casa com lágrimas nos olhos e um belo exemplar do Clássico Creme Caramelo. A sobremesa que nos fidelizou de primeira é uma das melhores finalizações da cidade, e merece atenção especial pela sua textura perfeita e sabor docinho.

Confira nossa visita à casa durante o festival.

PS: A casa fechooooooou! 😦

Cantina Piacenza – RW 1ª edição

NOTA GERAL: 4.3/5

www.cantinapiacenza.com.br | Rua Aimorés, 2422 – Lourdes – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 2515-6092

Fagottini de ossobuco ao molho de funghi

A Cantina Piacenza também já é um velho favorito. O querido chef Américo não poupa esforços para criar menus minimalistas e sensacionais, utilizando bem de temperos e combinações inusitadas. Sua localização no Lourdes é privilegiada, quase ao lado do Diamond Mall, oferecendo ainda assim um espaço reservado e bastante intimista. Seu cardápio tradicional divide-se em almoço e jantar, sendo que o almoço executivo vale tanto a pena quanto o próprio week (já que é composto de uma saladinha deliciosa de entrada e de um prato principal por um preço super em conta). Para esse week, serviram dois tipos de fagottini e um ravioli (abusando das massas recheadinhas), brusquetas maravilhosas e sobremesas bem gostosinhas.

Ficaram marcados em nossos corações a Brusqueta Don Corlelone com filé ao molho de cerveja preta, uma combinação perfeita de filé e pão com tempero magnífico e textura maravilhosa, a Salada de batata com bacalhau, mostrando que simplicidade e bons ingredientes fazem pratos incríveis, e, entre os pratos principais, destacamos o Fagottini de espinafre e nozes ao molho branco com gorgonzola, uma luta de cores e sabores que marcou a nossa tarde com seus toques fortes de queijo e a crocância das nozes.

Confira nossa visita à casa durante o festival.

Único – RW 1ª edição

NOTA GERAL: 4.0/5

Av. Coronel José Dias Bicalho, 547 – Pampulha – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 3879-8430

Petit gâteau de doce de leite com calda de frutas vermelhas e sorvete de limão

A segunda novidade desse week foi o Único, um restaurante novo na Pampulha que conseguiu amarrar super bem o menu degustação, mostrando ritmo, coerência, boa execução e muita criatividade. Além disso, o atendimento foi impecável, nos deixando com uma impressão ainda melhor da noite. Os dois pratos principais da casa, o Risoto de frango defumado com damascos e gorgonzola e também o Medalhão de ojo de bife grelhado no azeite de carvão, acompanhado de fettuccine Santa Amália Speciale ao molho 2 funghi foram tudo que precisávamos para saber que a casa estava no caminho certo. Dois pratos muito bem montados e decorados, mostrando maestria na execução e muito cuidado na escolha de ingredientes e combinações. No risoto, um frango com toque leve de defumado, e o mix delicioso de um queijo azul com o adocicado do damasco. Ao mesmo tempo, a carne do Medalhão era executada à perfeição, no ponto ideal de textura e suculência e muito bem combinada pela massa com cogumelos.

Mas, apesar de todas essas estrelas, nossos olhos brilharam com a sobremesa, o incrível Petit gâteau de doce de leite com calda de frutas vermelhas e sorvete de limão. A explosão de sabores começava no bolinho, com cerne super cremoso e um doce de leite delicioso. Seu encontro com o sorvete de limão era pura alegria, finalizando a harmonia do prato com o azedinho do coulis de frutas vermelhas. Sinceramente, precisamos falar mais alguma coisa?

Confira nossa visita à casa durante o festival.

Hermengarda – RW 1ª edição

NOTA GERAL: 4.1/5

www.hermengarda.com.br | Rua Outono, 314 – Carmo – Belo Horizonte – MG | Tel: (31) 3225-3268

Salada caprese com queijo do Serro e castanha-do-pará

Ainda bem que a casinha da vovó Hermengarda nunca nos decepciona (já que sempre vamos cheios de expectativas para ver o que o chef Guilherme criou para nos enlouquecer). Localizada em uma área bem vista do Carmo, a casa garante um ambiente calmo e bastante aconchegante, com um cardápio super ousado. Os toques mineiros são muito bem vindos, e, como somos loucos por queijo, não é de se surpreender que vários dos pratos ganhem logo nosso coração quando apresentam a iguaria. Para essa edição, os itens que ficaram marcados em nossa pele foram: os Rolinhos de abobrinha com carne de sol e queijo coalho, pequenas perfeições enroladinhas em camadas finíssimas de abobrinha, a Salada caprese com queijo do Serro e castanha-do-pará, que nos surpreendeu super positivamente, trazendo quase uma culinária viva para a mesa e honrando o tema do festival. Como prato principal, ficamos impressionados com o Bobó de camarão e baroa com farofa de tomilho, arroz e batata palha, outro prato simples e abrasileirado, com uma história para contar. Os camarões estavam perfeitos e a combinação crocante era um amor. Para encerrar, o estupendo Bolinho de queijo da Serra da Canastra com calda de frutas vermelhas,uma releitura muito, mas muito interessante de Romeu & Julieta, com um doce cítrico e um bolinho fofo delicioso.

Confira nossa visita à casa durante o festival.

Burger Fest 2015

Metrópole Burger Fest do Metrópole Bar & Hamburgueria

Metrópole Burger Fest: Hambúrguer de 200g de blend de picanha, molho de cebola caramelizado no vinho, couve crocante, queijo prato derretido, servido no pão australiano. 4/5

Metrópole Burger Fest

A casa, que foi uma das estreias no festival, deu o que falar. Primeiramente, o atendimento primoroso e o ambiente super agradável já nos fizeram querer visitar de novo a simpática esquina. Para completar, ambos os sanduíches servidos pela cara eram ótimos, mas um deles conseguiu um espacinho especial em nossos corações. Bonito, bem montado e muito saboroso, o burger que levava o nome da casa combinava ingredientes simples, muito bem executados e bastante harmoniosos. Seu pão australiano era fresco e macio, e seu toque adocicado era um bônus para a inteligente combinação, indo de mãos dadas com a sensacional cebola no vinho e sua boa couve crocante (simplesmente soberba). A carne era alta e, apesar de ter espaço para melhorias, ainda assim era suculenta e saborosa. O queijo prato era uma ótima ideia, com textura aveludada e sabor suave, mas ainda assim poderia ter vindo em maior quantidade. As batatinhas eram deliciosas e, como podem ver, nada estufava muito, já que o item era um burger médio, dando espaço para entradas rateadas antes do protagonista entrar em cena.

P&M Thai Burger do Dub

P&M Thai Burguer: Pão de hambúrguer caseiro, hambúrguer de porco de 200g, cogumelos, asian coleslaw (preparado de cenoura, pepino, cebola roxa, coentro, hortelã e tahine) e maionese de Sriracha. Acompanha batata rústica. 4/5

P&M Thai Burguer

O Dub é um dos deliciosos barzinhos do Maletta, um de nossos recantos favoritos na cidade. No ano passado, a casa trouxe não só o segundo melhor burger, como também o melhor custo x benefício do festival. Para continuar fazendo bonito, o Dub trouxe um burger muito bem temperado, bem dosado e super, super saboroso! Seu pão era bom, caseiro, fresco, super macio e muito, mas muito especial. Sua carne era ótima, macia e bem feita, no ponto corretíssimo e bem temperada (algo que tem sido raro por aí, já que as casas estão deixando a função do tempero para ser cumprida fora da carne). Talvez estivesse um pouco alta demais, mas ainda assim, nada de muito grave. O coleslaw (ou o prepradão de legumes cortados a juliene) era incrível, com um toque ácido e amargo lindíssimo, e uma textura extra realmente relevante. Sob a carne um amontoadinho de cogumelos definitivamente relevantes contribuíam também com sua própria textura e forneciam ainda um amadeirado sabor ao todo. O molho de alho que acompanhava era excepcional, combinando tanto com as batatinhas quanto com o próprio sanduba. Ah sim, as batatinhas rústicas, para finalizar, eram tudo de bom, macias, salgadinhas e muito bem feitas.

Cheese Picanha do Bistrô Burger

Cheese Picanha: Hambúrguer de picanha de 200g, molho barbecue, alface, requeijão de raspa e geleia de pimenta, em um pão de hambúrguer. 4/5

Cheese Picanha

O Bistrô Burguer é uma casa que visitamos no ano passado graças ao festival, e voltamos esse ano para ver como eles estavam de burger. De burger, portanto, a casa vai bem, obrigado, porém de atendimento… nem tanto. O lugar excluiu seus atendentes e transformou tudo em um fast food que não é fast. Com isso, você tem que ir até o balcão, pedir, pagar, sentar, aguardar, levantar de novo, pegar, sentar, comer, daí levantar e ir embora. Chato, não? Também achamos. Ah, e lembre-se que se você quiser alguma coisa a mais (tipo, achou que cabe mais um sanduba, outra batatinha, ou quer uma sobremesa), vai ter que voltar para a fila e repetir todo o processo. Bom, mas vamos falar de comida, né? A carne era saborosa, macia e muito bem feita, montada na medida (sem exagerar no tamanho!), enquanto o pão era gostoso, fresco e bem macio, combinando bem com o requeijão de raspa cremoso e em boa quantidade. Sua combinação com a carne era ótima, não deixando nenhum dos dois apagar o outro. O barbecue consideravelmente inexistente era complicado de ser notado, trazendo apenas um sabor interessante quando presente que, infelizmente, não combinava muito bem com a geleia. Geleia inclusive que, para nossa alegria vinha separada, (não por ela ser ruim, de forma alguma, na verdade ela era ótima, combinando muito bem com o sanduíche e melhorando cada mordida do todo), justamente porque sua parceria com o molho de churrasco já adocicado acabava fazendo chover no molhado, deixando o sanduíche enjoativo e um pouco moroso. Por fim, uma ótima opção, com batatinhas super gostosas e uma Itubaína Retrô para acompanhar! :)

Luther King do J’s Fine Burger

Luther King: Hambúrguer de peito de frango de 160g, tomate, bacon crocante, queijo catupiry, alface americana, molho bauru, em um pão australiano. 4/5

Luther King

O J’s é um lugar famoso, que vive cheio (portanto, não vá morrendo de fome e se prepare para esperar em pé) e tem um cardápio imenso, o que nos deixou gratos por existirem somente as 3 sugestões no festival. Os burgers são grandes e muito bonitos, mas nem tão especiais. Das três opções do festival apenas esse da foto era realmente de alegrar a boca. A carne de frango era ótima, bem feita e ideal para combinar com os molhos mais fortes. Seu pão australiano era apenas ok, meio seco e sem sabor, mas felizmente a quantidade de queijo e molho ajudavam enormemente. O molho bauru, feito a base de uma maionese extremamente temperada, já começava a levar as coisas para outro nível, com um sabor delicioso que contaminava positivamente todo o burger. Para completar e aveludar tudo, um requeijão (que chamam de catupiry) bastante bom, que lutava bem com a quantidade extra de bacon do sanduíche. Sem sombra de dúvidas, o melhor sanduíche da casa para o festival, e um dos melhores de todo o circuito, sendo o único de frango na lista de indicados.:)

post and review by Eduardo Boaventura & Path Aun Tôrres