Akemi

Desde o começo dessa semana, o Restaurant Week tomou conta da cidade e os belo-horizontinos já podem degustar os melhores estabelecimentos por um preço super justo: R$37,90 no almoço e R$49,90 no jantar! Esse valor é válido para o menu degustação criado especialmente para o festival, composto por uma entrada, um prato principal e uma sobremesa. Curtiu? Pois nós curtimos muito! Então, aproveite para conhecer casas novas e voltar às casas mais tradicionais da cidade para provar esse menu super exclusivo!

Quem nos segue já sabe que há alguns anos o Week se tornou temático, o que, conforme citado pelo simpaticíssimo Fernando Reis, organizador do evento no Brasil, serviu para incentivar a criatividade no desenvolvimento dos cardápios. Ainda assim, não é uma obrigatoriedade aderir ao tema, então os chefs podem ficar a vontade para brincar com os ingredientes que quiserem. Nessa edição, que já é a 10ª, o tema é Gastronomia Saudável, e preza pela priorização de ingredientes frescos e naturais em composições leves, juntando sabor e saúde em um mesmo menu. Interessante, não? E bastante alinhado com a vibe atual dos brasileiros.

Para finalizar, o Week arrecada R$1 por refeição para doar para o Hospital da Baleia, trazendo a esse festival um motivo ainda mais nobre.

Vamos então, aproveite a temporada para curtir o Week em BH, de 16/03 a 05/04! E não se esqueça de conferir o ONDEcomo regularmente para ver nossa cobertura do evento! Faremos, como é de costume, posts mais curtos e mais frequentes para levar aos nossos leitores uma boa noção do que está rolando no festival! Ah, e claro, sugestões são suuuper bem vindas! Comente nos posts, aqui, noFacebook (/ondecomo), Instagram (@ondecomo) ou mesmo nos mande um e-mail no ondecomo@gmail.com! Nos vemos no Week! 🙂

NOTA GERAL: 2.3/5

Menu JANTAR

Sobre o Akemi:

O Akemi é um restaurante que foi inaugurado no comecinho de 2015, e que faz agora sua estreia no Week. Fica localizado no Vale do Sereno, bairro que juntamente com seu vizinho, o Vila da Serra, cresceu significativamente nos últimos anos, e hoje já tem uma quantidade considerável de bares, restaurantes e outras conveniências. O Akemi é dotado de uma fachada larga e recuada, com estacionamento frontal e um espaço super confortável. Seu ambiente é bem decorado com adornos e paredes em vermelho contrastando com a mobília em madeira escura. As luminárias baixas deixam o ambiente à meia luz, e as mesas são bem arrumadinhas com pequenas esteiras funcionando como apoios e uma amável mini jarrinha branca de shoyu. Temos no balcão um espaço refrigerado fechado em vidro, onde podemos ver as postas e os cortes de peixe. Ao lado, uma parte aberta onde ficam as bebidas sobre uma camada de gelo. Os garçons são presentes e prestativos, mesmo quando não sabem alguma informação, correm atrás para conseguí-la de forma ágil. Ainda assim, algumas falhas na conexão com a cozinha foram notadas, o que resultou em uma espera de quase uma hora por um suco de laranja, e um espaçamento igualmente demorado para cada um dos pratos do menu.

Gastronomia:

Sua especialidade é a culinária japonesa, ainda que o estabelecimento tente se vender como “fusion”. No cardápio, vimos robatas, combinados, temakis, makis, yakisoba, e até mesmo pratos mais tradicionais, com carne vermelha e batatas. Para o Week, optaram por um menu variado entre crus e preparados, mostrando um pouco dos dois lados da casa.

Entradas:

Gunkan de salmão ao maçarico com tartare de salmão grelhado, geleia de pimenta-biquinho e abacaxi: 2/5

Gunkan de salmão ao maçarico com tartare de salmão grelhado, geleia de pimenta-biquinho e abacaxi

O prato que não veio muito bem montado era composto de uma fatia de salmão enrolada, coberta por um tartar de salmão sem qualquer textura e finalizado com uma calda apimentada que ouso dizer ser apenas um molho de pimenta daqueles bem clássicos (sim, aquele mesmo da perna de pau), não tendo em sua receita nem a prometida pimenta-biquinho nem o famoso abacaxi. As peças eram desmotivadoras, seu tartar – bastante sem graça – mais parecia um patê com base de salmão, se distanciando daquela elegante carne triturada na ponta da faca. Além disso seu peixe exterior estava definitivamente maçaricado demais, esquentando além das expectativas o conjunto em questão, especialmente seu arroz, que com todo aquele clássico açúcar e vinagre envolvidos em seu preparo se tornava uma combinação débil de sabores em sua nova temperatura.

Haddock com geleia de pimenta: 2/5

Haddock com geleia de pimenta

Um bonito canapé, que parecia um botão de rosa cor-de-rosa. As não tão finas camadas de haddock que se abraçavam eram boas, porém o paladar exclusivo do peixe deixava o prato simplesmente incompleto. Dotado de um elevado gosto de fumaça, cada uma das belas fatias tinha seu próprio sabor ignorado, deixando o paladar do simples prato muito direto e relativamente ineficiente, já que o gosto predominante era o do defumado, que em certas mordidas se tornava sutilmente apimentado pela tal “geleia”. E sim, notem nas aspas, afinal elas são muito importantes uma vez que tal “geleia” (pirata neles!) era a mesma disposta quase que decorativamente no outro exemplar de entrada, só que aqui sem a promessa da pimenta-biquinho e do abacaxi. Um prato que, além de ínfimo, não satisfazia com sua limitação de texturas e sabores.

Prato principal:

Salmão no papelote com brócolis, alho-poró e shimeji puxados na manteiga: 3/5

Salmão no papelote com brócolis, alho-poró e shimeji puxados na manteiga

Servido um pouquinho, ou melhor, consideravelmente além do ponto o pequeno pedaço do peixe era gostosinho, bem temperado e muito bem acompanhado. Dotado da clássica e questionável apresentação no papelote, o visualmente alternativo prato era, na medida do possível, gostoso e bem acompanhado. Sua combinação com maravilhosos cogumelos é sempre assertiva e o incremento de algum verde para uma nova textura e uma variação de frescor – aqui oferecidos pelo brócolis – também se mostraram muitíssimo bem vindos. Uma pena apenas a quantidade de manteiga ser tão pequena (podemos dizer que beirava a inexistência), perdendo a oportunidade de oferecer aquele inigualável paladar enriquecido. Talvez, no entanto, a casa tinha o intuito de seguir o tema de gastronomia saudável do festival, reduzindo assim este não tão saudável ingrediente, vai saber.

Sobremesa:

Fondue tropical: frutas tropicais grelhadas servidas com ganache de chocolate: 2/5

Fondue tropical - frutas tropicais grelhadas servidas com ganache de chocolate

A sobremesa que possivelmente era o único prato visualmente agradável da noite era acompanhada de sorvete e um potinho de ganache. Composta por uma boa quantidade de frutas bastante aleatórias, o prato tinha um ótimo preparo, mas uma questionável escolha de como o fazer, uma vez que em cada uma das pequenas pecinhas das frutas o paladar de pescado poderia ser reconhecido, deixando claro que a sobremesa da casa havia sido preparada na mesma grelha que outrora foram feitos alguns dos peixes do estabelecimento. Daí em diante nada mais funcionava, do gostoso sorvete à ok ganache, nada conseguiria tirar aquele infeliz paladar do mar de cada uma das frutas ali dispostas, transformando este prato em mais uma infelicidade.

Dicas:

Bom, como provamos nesse dia alguns pratos do cardápio convencional (fora do Week) acreditamos que o Week não seja a melhor opção. O ritmo estava ruim (entendam como um eufemismo de péssimo) para uma degustação, e seus pratos simplesmente não conseguiam manter um padrão. A casa deixou claro certo descaso (ou despreparo) para com o festival e portanto nossa maior dica é para que vocês optem por provar o Akemi fora do festival, de preferência em um dia não tão disputado.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Aun Tôrres

Anúncios