Bistrô da Matilda

Desde o começo dessa semana, o Restaurant Week tomou conta da cidade e os belo-horizontinos já podem degustar os melhores estabelecimentos por um preço super justo: R$37,90 no almoço e R$49,90 no jantar! Esse valor é válido para o menu degustação criado especialmente para o festival, composto por uma entrada, um prato principal e uma sobremesa. Curtiu? Pois nós curtimos muito! Então, aproveite para conhecer casas novas e voltar às casas mais tradicionais da cidade para provar esse menu super exclusivo!

Quem nos segue já sabe que há alguns anos o Week se tornou temático, o que, conforme citado pelo simpaticíssimo Fernando Reis, organizador do evento no Brasil, serviu para incentivar a criatividade no desenvolvimento dos cardápios. Ainda assim, não é uma obrigatoriedade aderir ao tema, então os chefs podem ficar a vontade para brincar com os ingredientes que quiserem. Nessa edição, que já é a 10ª, o tema é Gastronomia Saudável, e preza pela priorização de ingredientes frescos e naturais em composições leves, juntando sabor e saúde em um mesmo menu. Interessante, não? E bastante alinhado com a vibe atual dos brasileiros.

Para finalizar, o Week arrecada R$1 por refeição para doar para o Hospital da Baleia, trazendo a esse festival um motivo ainda mais nobre.

Vamos então, aproveite a temporada para curtir o Week em BH, de 16/03 a 05/04! E não se esqueça de conferir o ONDEcomo regularmente para ver nossa cobertura do evento! Faremos, como é de costume, posts mais curtos e mais frequentes para levar aos nossos leitores uma boa noção do que está rolando no festival! Ah, e claro, sugestões são suuuper bem vindas! Comente nos posts, aqui, noFacebook (/ondecomo), Instagram (@ondecomo) ou mesmo nos mande um e-mail no ondecomo@gmail.com! Nos vemos no Week! 🙂

NOTA GERAL: 3.2/5

Menu JANTAR

Sobre o Bistrô da Matilda:

O Bistrô da Matilda é um cantinho super aconchegante relativamente afastado da cidade. Ele fica na rua principal do condomínio Vale do Sol, conhecida como Quinta Avenida, que aos poucos vem se tornando um point gastronômico até para aqueles menos aventureiros. Seu ambiente a meia luz é romântico, intimista e bastante quieto, tornando-se ideal para uma saída a dois ou um encontro mais reservado. O atendimento é personalístico e fica difícil não se apegar às adoráveis pessoas que comandam o salão, especialmente pela proximidade da proprietária e gerente do bistrô, sempre presentes, simpáticas e muito bem humoradas, tornando qualquer noite muito mais aprazível. Já visitamos a casa várias vezes, e você pode conferir nossas impressões clicando aqui.

Gastronomia:

O chefe inglês do estabelecimento leva um pouco de sua nacionalidade para a mesa, trazendo iguarias típicas deliciosas como Fish & Chips e as deliciosas Potato Skins & Sour Cream. Além disso, temos alguns pratos contemporâneos maravilhosos, trazendo um pouco do Brasil e do mundo. Não podemos nos esquecer que também consta no cardápio um maravilhoso sorvete de baunilha artesanal, uma das grandes estrelas da casa. Para o week, a casa misturou legal, levando à mesa Tailândia, Líbano, Inglaterra e outras influências muito bem vindas.

Entrada:

Sopa “tom yum” de frango: 3/5

Sopa “tom yum” de frango

Chamamos carinhosamente esse prato de: conhecendo a Tailândia em uma colherada. A sopinha, que foi introduzida como um prato tailandês, era quase tudo que a nacionalidade tem de mais típico. Primeiro o coentro fresco, que temperava todo o prato com bastante presença, algo que lá funciona quase como a pimenta do reino para nós, deixando tudo com um gosto muito característico e com aquela sensação de frescor imediato. Depois passamos para o paladar picante, prometido pelo conceito da sopa e até mesmo pela garçonete, que desapontava um pouco (especialmente para algo tailandês), mas tudo bem, afinal estamos no brasil e – vamos admitir – picante nunca foi o nosso forte. Para completar a sopa alguns pedaços de frango agradáveis, tornando a entradinha um bom prato, que talvez pudesse ter uma mais elaborada combinação de picante, salgado, azedo, e doce (sim, tudo junto) que é muito característica da culinária daquela região. Ainda assim, um ótimo pedacinho introdutório de uma riquíssima região do globo.

Crostini mediterrâneo: 4/5

Crostini mediterrâneo

Hummm, essa entrada é o que chamamos de amor em cima de um pão. Era composta de um incrível patê de azeitona e mais um punhado de babaganouch, equilibrados como pesos iguais em uma balança. Cada mordida era evidentemente super cremosa, cremosa ao ponto que vale até ressaltar que se demorássemos muito para comer, a pequena fatia de pão era embebida no líquido das pastas perdendo todo aquele crocante do crostini. Ainda sobre os pãezinhos, um punhado de abobrinhas refogadas e um creme que perante tantos sabores se tornava absolutamente decorativo. Acompanhando o todo uma saladinha escassa muitíssimo bem temperada com mel, incrementando aquele adocicado muito bem vindo ao prato.

Pratos principais:

Ragu de filé-mignon e champignon acompanhado de batata lyonnaise: 2/5

Ragu de filé-mignon e champignon acompanhado de batata lyonnaise

Bem diferente da foto que vimos na cartilha do evento, nossa versão de ragu e batatas era composta por uma carne picadinha acompanhada de bastante molho, além de batatinhas cozidas cortadas em lâminas não tão finas assim. Feito a partir de uma boa carne e um excelente molho altamente enriquecido, o destaque do prato certamente se recaía sobre aquele maravilhoso creme de cogumelos, trazendo todo o paladar do fungo e da própria carne à vida. Por outro lado, nossas batatinhas cozidas eram, como podemos dizer, completamente sem graça. Não incrementavam qualquer textura inovadora ao prato, nem retinham nenhum sabor extra de qualquer tempero, tinham um simples propósito de criar um complemento de carboidratos para completar o todo e encher a barriga de qualquer pessoa mais faminta. No final, um prato ok, que infelizmente se destacava negativamente dos demais exemplares sempre tão pensados que conhecemos da casa.

Tilápia salteada com alcaparras e servida com arroz maluco de camarão: 3/5

Tilápia salteada com alcaparras e servida com arroz maluco de camarão

Um excelente peixe, num excelente ponto e com excelente gosto. O ingrediente do prato era direto, simples e eficiente, um filé de tilápia levemente salteado, temperado com alcaparras e besuntado de limão, o supra sumo da comida simples que agrada, especialmente pelo teor ácido e afiadíssimo que este incrementava ao todo. Por outro lado seu acompanhante, o arroz maluco, era apenas gostosinho, repleto de mini camarões que mal superavam o tamanho de um milho de pipoca. O pobre ator coadjuvante não conseguia se destacar em nada, fosse em seu sabor por demais simplista, ou por sua textura completamente apática de qualquer diferença. Uma verdadeira pena que tal peixe tão surpreendentemente temperado não obteve um acompanhamento à altura, que brincasse com texturas e jogasse com o toque quase além da conta de sua carne.

Sobremesas:

Pera cozida servida com calda de caramelo, chantilly e pistache: 4/5

Pera cozida servida com calda de caramelo, chantilly e pistache

A sobremesa que vinha em apresentação simpática era super gostosa, com um caramelo delicioso, em cozimento ideal, e um chantilly apenas ok. Ainda assim é bom destacar que mesmo sem um sabor exemplar, este último era justamente quem ajudava a quebrar o sabor predominantemente doce da sobremesa, deixando-a bastante equilibrada e consequentemente elevando o todo de forma a trazer sorrisos para a face das pessoas. A escolha da pera como ingrediente principal do prato também não poderia ser menos que excelente, especialmente quando podemos considerá-la uma das melhores frutas para se trabalhar com calda, atingindo a harmonização perfeita e deliciosa combinação de toques e texturas. Para encerrar, um pistache polvilhado sobre o todo trazia o crocante que faltava, coroando essa maravilhosa sobremesa.

“Spotted Dick” acompanhado de creme inglês: 3/5

“Spotted Dick” acompanhado de creme inglês

O item que nos assustou pelo título suspeito era na verdade um bolinho, bastante tradicional na Inglaterra (que diria né?), que funciona – em sua versão original – como se fosse um pudim com frutas desidratadas. Nesse caso, o bolinho, com sabor acentuado de baunilha, era bem gostoso, e sua base recheada de passas não conseguia muito um destaque relevante dentro do contexto. Ainda tínhamos como acompanhante um estranho creme inglês que, sem qualquer sabor de baunilha servia apenas como uma calda rala adocicada. O resultado era no mínimo estranho uma vez que a combinação não pode ser considerada uma das melhores. Pensem comigo: um bolo com sabor acentuado de baunilha pede algum acompanhamento diferenciado, ao ponto que colocar sobre ele um creme pouco espesso que geralmente também é acompanhado de baunilha serviria como chover no molhado. Até aí tudo bem, uma vez que o molho em si não tinha qualquer gosto do tempero em questão, o porém, no entanto, é que com isso nós chegávamos a outro problema, já que sem a baunilha o molho simplesmente não conseguia funcionar, servindo apenas como algo para empapava a massa do bolo.

Dicas:

O Bistrô da Matilda é um de nossos refúgios favoritos. Sua localização é ideal para dar uma fugida da rotina e provar uma culinária com toques ingleses que é simplesmente maravilhosa. O menu do Week sempre nos surpreendeu na casa, porém dessa vez ficamos um pouco frustrados. Os pratos eram todos ótimos, e não havia nenhum tropeço que nos fizesse nos lamentar de nossas escolhas, mas faltou aquilo que a casa sabe fazer tão bem: trazer um toque especial em tempero e amor, contribuindo com ousadia e distinção para uma elevação perceptível do prato e de suas tão importantes sensações.

post and review by Eduardo Boaventura e Path Aun Tôrres