Massa Nostra

NOTA GERAL DO JANTAR: 3.0/5

Na segundona, dia 14/09 começou o festival mais democrático da gastronomia aqui na capital mineira! Até o dia 04/10, o Restaurant Week toma conta da cidade e os menus degustação (entrada, prato principal e sobremesa) já estão listados no site! São 60 restaurantes participantes – sendo 16 novos! – que servirão almoço por R$39,90 e jantar R$51,90 no jantar! Partiu week?

Nas últimas edições, o Week sugere um tema para inspirar o menu das casas, fato que o organizador Fernando Reis considerou interessante para estimular a criatividade dos chefs na criação dos cardápios. Aderir ao tema não era obrigatório, mas sempre serve como fonte de ideias. Esse ano, o tema não remete a nenhuma culinária específica, não valoriza nenhum ingrediente especial e é um conceito totalmente abstrato. Chama-se Gastronomia Afetiva. A ideia é criar pratos que tragam uma memória de família, viagens e momentos marcantes. Segundo Fernando: “Nosso objetivo com este tema é buscar estreitar ainda mais a relação que existe entre clientes e restaurantes, enaltecendo as comemorações em torno da mesa, despertando sensações e mostrando temperos que traduzam as características de cada chef”. Ademais, o Week ainda arrecada R$1 por refeição para doar para o Hospital da Baleia, trazendo motivos ainda mais estimulantes para provar alguns dos menus.

Três dicas importantes que aconteceram na última edição e se repetem nessa:

1) Você continua podendo trocar Dotz para degustar o Week! 2.000 dotz = menu week almoço e 2.750 dotz = menu week jantar! Incrível, não é? Confira no site os restaurantes que aderiram a esse benefício clicando aqui.

2) Ainda é possível reservar online através do The Fork, uma empresa do Trip Advisor. Clique e veja onde você pode reservar agora!

3) Vejam que mantivemos o campo em nosso blog para falar do Week! Ele fica logo abaixo do título, onde há uma aba fixa chamada Restaurant Week.

Corra e tente ir no maior número de casas possível! E não se esqueça de conferir o ONDEcomo regularmente para ver nossa cobertura do evento! Serão posts mais curtos e mais frequentes para levar aos nossos leitores uma boa amostragem dos menus! E queremos sugestõooes! 🙂 Comente nos posts, aqui, no Facebook (/ondecomo), Instagram (@ondecomo) ou mesmo nos mande um e-mail no ondecomo@gmail.com!

NOTA GERAL: 3.0/5

Menu JANTAR

Sobre o Massa Nostra:

Outra novidade que viemos a conhecer no Week! A Massa Nostra é uma casinha super simpática na Savassi, em uma rua de movimento relativo, bem próxima à área mais badalada do bairro. Seu espaço é decorado como se fosse a sala da casa de uma tradicional família italiana, com um estilo bem caseiro e simpático. Como é de costume na cidade, as mesas mais procuradas (principalmente no calor) são aquelas do lado de fora que, mesmo sem a simpatia do lado de dentro, trazem o excelente atendimento da casa regado a uma brisa irresistível.

Gastronomia:

Como podem ver, a casa é um italiano dos mais tradicionais, servindo não apenas massas artesanais, mas também pizzas que parecem deliciosas. Uma pena elas não fazerem parte do week para provarmos (quem sabe em outra ocasião, né?). Para esse menu, trouxeram à mesa bruschettas, massas e um par de sobremesas artesanais bem típicas e bem diferentes. Vale a pena conferir nossa visita. 🙂

Entradas:

Bruschetta semplice (Pão toscano da casa, muçarela, tomate fresco, orégano): 3/5

Começamos nosso jantar com uma bruschetta feita com pão toscano, diferente da tradicional feita com o pão italiano. O simpático dono veio até à mesa nos falar sobre os pães caseiros e sobre a sua escolha do toscano (graças à ausência de sal na massa). Composta a partir de um pão deveras interessante, a bruschuetta agradava, e, ainda que suas finas fatias não estivessem tão frescas assim, o fato de sua textura crocante completar bem os demais ingredientes transformava a pequena entrada em uma ótima escolha! Com um queijo gostoso e bastante bem servido, algo incomum na comunidade italiana, tudo se tornava molhadinho e maravilhosamente unificado, deixando apenas uma infelicidade: a grande quantidade de tomates foi servida ainda fria. Esse tropeçozinho (não tão inho assim) acabava por afetar um pouco na sintonia do conjunto, piorando a textura do queijo e a experiência do todo.

Bruschetta calabrese (Pão toscano da casa, muçarela, linguiça calabresa, tomate fresco, orégano): 4/5

Ahh, essa versão já conseguia superar – e muito – a anterior! O pão continuava uma delícia, e a muçarela também, porém nessa versão (como havia calabresa) o tomate vinha em menor quantidade, não sendo suficiente para que o gradiente de temperaturas impactasse tanto no resultado final, tornando essa famosa combinação da calabresa e queijo incrível, especialmente quando combinadas com um bom azeite.

Pratos principais:

Ravioli all’Alpina (Ravioli produzido na casa, recheado com creme de funghi, servido ao molho de funghi porcini, finalizado com salsinha e queijo tipo parmesão): 3/5

Ravioli all’Alpina

Começando bem a seção de pratos principais a dupla de massas da casa agradava em vários aspectos. Feitas a partir de uma massa excepcional, com textura al dente, espessura ideal, sensação fresca e paladar diferenciado, as bolsinhas não poderiam ser menos que ótimas. Isso então, quando combinado de um bom recheio de ricota, algo que no brasil (já que nossa ricota é bastante diferente do resto do mundo) não costuma vir acompanhado de muitos elogios, era o bastante para arrancar suspiros dos mais ávidos pelo país da botina. Para acompanhar, um  molho de funghi porcini muito aceitável, com toque talvez um pouco forte demais para os demais ingredientes do prato. Uma massa ótima, que me faz querer voltar à casa para que eu me mergulhe naquele ponto aveludado surpreendente.

Ravioli alla Romana (Ravioli produzido na casa, recheado com queijo pecorino romano, servido ao molho amatriciana), finalizado com salsinha e queijo tipo parmesão): 4/5

Ravioli alla Romana

Ai, só de começar com a mesma massa de amor já nos derretemos e nos jogamos nesse prato. A versão carnívora do ravioli era recheada com queijo pecorino, trazendo um sabor super presente e uma textura bem diferente da que provamos acima. O molho de tomates estava muito bem temperado, trazendo à tona o sabor de tudo que estava ali disposto. Para completar a dupla de sucesso algumas avantajadas fatias de bacon que pareciam gentilmente aquecidas em algum brodo para depois serem fritas até a textura desejada. Pura perdição.

Sobremesas:

Cantuccini di Prato (biscoitos da casa, produzido com amêndoas, acompanhados de pequena dose de “vino dolce passito” para serem embebidos): 2/5

Cantuccini di Prato

A primeira sobremesa oferecida segue bastante a ideia tema do festival nos levando direto para aqueles momentos na casa da vovó. O biscoito oferecido era o clássico cantuccini, de bom sabor, boa textura mas num ponto um pouco duvidoso, não se tornando crocantíssimo (num nível que algumas pessoas mais desavisadas poderiam chamar até de duro). Ainda assim seu toque de amêndoas era ótimo, mas sua combinação com um vinho de sobremesas um pouco decepcionante. Talvez porque nas Américas esse biscoito seja mais normalmente combinado com café, ou porque pequenas porções de vinho em restaurante acabam se tornando um ponto bastante negativo quando pesamos sua conservação, oxidação e consequentemente paladar; a questão é que o prato simplesmente não chegava lá, se tornando rapidamente enjoativo e infeliz.

Brutti ma buoni (bolinhos – produzidos na casa – com creme de amêndoas, servidos com sorvete de creme e calda de chocolate): 2/5

Brutti ma buoni

Os bolinhos eram bem diferentes do que esperávamos (talvez estivéssemos imaginando um pequeno bolo ou algo frito), parecendo, como o item anterior, um biscoitinho. Mas a verdade era diferente, os pequenos “bolinhos” eram bastante carregados na canela, com muitas castanhas e uma bola de sorvete de creme para acompanhar. Eram gostosos, claro, mas não impressionavam muito, especialmente pela falta de boas texturas e por causa daquele amargor tão classicamente presente nas sobremesas italianas.

Dicas:

Bom, as massas são incríveis! As sobremesas nos pareceram meio perdidas, mas definitivamente a casa entra na lista daquelas que vale a pena provar. Ah, e eles montaram um cardápio vegetariano! Então, para quem tem restrições, esse pode ser um bom estabelecimento para comer bem mesmo sem carne! 🙂

post and review by Eduardo Boaventura e Path Aun Tôrres

Anúncios